Entenda o que é marketplace B2B e como isso funciona

Os benefícios de vender em um marketplace não são nenhuma novidade para as lojas virtuais, tanto é que, de acordo com o estudo E-commerce Radar 2018, 35% dos pedidos são realizados por meio desses canais no comércio eletrônico brasileiro. Agora, porém, outras empresas estão descobrindo as vantagens dessa plataforma com o crescimento do marketplace B2B no mercado nacional.

O que é marketplace B2B

Para entender o que é marketplace B2B, vamos detalhar os dois termos que compõem esse conceito: um marketplace atua como um shopping virtual, no qual várias empresas do mesmo segmento ou de diversos nichos diferentes oferecem seus produtos e serviços. Trata-se de uma opção com benefícios tanto para os lojistas como para os clientes, como veremos neste artigo.

Já o termo B2B tem origem na expressão do inglês business-to-business, que significa de empresa para empresa. Dessa forma, esse modelo de vendas não tem como foco o consumidor final, como ocorre nos negócios B2C (business-to-consumer), mas sim outras pessoas jurídicas que, por sua vez, podem fazer uso das soluções adquiridas internamente ou revendê-las aos seus próprios clientes.

Assim, um marketplace B2B reúne empresas que têm como público-alvo outras empresas. Trata-se de um segmento relativamente novo no Brasil, mas que tem tudo para crescer. Nos Estados Unidos, por exemplo, esse mercado teve um crescimento de 11% em 2018 em relação ao ano anterior e as vendas no mesmo período ultrapassaram US$ 1 trilhão

Lá, as transações no comércio eletrônico já representam 7,2% do total de vendas no comércio B2B. A tendência é que isso também ocorra no Brasil, trazendo bons resultados tanto para quem vende quanto para quem compra Aliás, segundo uma pesquisa da Forrest Research, o valor das transações no e-commerce B2B é três vezes maior que o das vendas no comércio eletrônico B2C. 

Os benefícios do marketplace para empresas

O marketplace B2B transforma o relacionamento entre empresas fornecedoras e clientes, trazendo benefícios para ambas as partes. Para quem tem uma indústria, um comércio ou uma prestadora de serviços, por exemplo, estar em um marketplace é ganhar visibilidade na internet, o que é essencial em segmentos competitivos, nos quais é preciso estar sempre à frente da concorrência.

Vender em uma plataforma como essa não exige um grande investimento e nem muito esforço com os cuidados rotineiros, principalmente depois do início das operações e da adaptação da equipe à plataforma. Os custos com a atração de clientes são otimizados, já que eles é que encontram as suas soluções na internet ― estar em um marketplace com bom tráfego é essencial nesse sentido.

Alguns marketplaces também oferecem ferramentas de cotação em que o comprador pode solicitar um orçamento para que as diversas empresas disponíveis na plataforma respondam e aumentem as oportunidades de fechar negócio. Ou seja, em um só canal, é possível divulgar soluções, atrair novos clientes, fazer vendas com facilidade e aumentar o faturamento da empresa.

E esses benefícios também valem para os compradores: com o acesso a uma plataforma que reúne fornecedores de diversos produtos, fica muito mais rápido, prático e simples procurar soluções, pedir cotações, selecionar parceiros e até mesmo negociar. Afinal, em um marketplace B2B, os preços são visíveis para todos, o que significa mais transparência e, por consequência, poder de barganha.

Outra vantagem para a equipe de compras é que é possível consultar os produtos a qualquer hora e em qualquer lugar, sem a necessidade de entrar em contato com um representante para fazer algum pedido. A facilidade de comparar preços, modelos e especificações entre as soluções de diferentes marcas é outro diferencial importante do marketplace para empresas.

Como vender em marketplace B2B

Se você deseja vender em marketplace B2B, a primeira coisa a fazer é buscar sites que podem ser interessantes para a sua empresa. É importante entender de que forma eles funcionam, se atuam em um nicho específico ou abrangem diversos segmentos, como é realizado o processo de adesão e que outros benefícios a plataforma oferece para os parceiros.

Geralmente, o processo para aderir a um marketplace é simples e rápido. Você cadastra os dados da empresa, aguarda a avaliação do marketplace e, se aprovado, começa a vender em pouco tempo. Os marketplaces costumam utilizar um meio de pagamento eficiente, que facilita o acompanhamento dos pedidos e a conciliação financeira, para que os parceiros tenham total controle das operações.

Em geral, vender em marketplace B2B não é uma atividade mais complexa do que vender por outros canais. No entanto, esse modelo tem particularidades que exigem cuidados. A gestão do estoque é um exemplo disso: as vendas entre empresas costumam envolver uma grande quantidade de itens e é essencial garantir que eles estejam disponíveis em estoque.

Caso contrário, pode haver atrasos na entrega, o que é extremamente prejudicial para os negócios, já que tempo é dinheiro. Sem contar que a imagem do marketplace, mas principalmente da empresa fornecedora, pode ficar arranhada com o cliente, fazendo com que ele não compre mais com você e, ainda, influencie outras pessoas com essa experiência negativa.

Por isso, utilize ferramentas que possibilitem o controle do estoque e que, de preferência, ofereçam integração com todos os canais. Dessa forma, se algo for vendido por representantes diretamente ao cliente, a baixa do produto será feita em todo o estoque e ele deixará de constar como disponível também no marketplace, evitando transtornos.

Outro processo que exige cuidado é a logística. No marketplace para empresas é muito comum que as transações incluam um grande volume de mercadorias ou que elas tenham dimensões maiores, o que exige mais atenção na entrega. Por isso, é indispensável contar com parceiros logísticos capazes de atuar com as características desse modelo de negócio e que garantam o cumprimento dos prazos.

O atendimento no marketplace B2B também requer atenção, embora ainda demande menos esforço e tempo do que nos canais de venda convencionais. Como o cliente tem a maioria das informações de que precisa na própria plataforma, o atendimento costuma ser mais utilizado para tirar dúvidas pontuais, pedir detalhes dos produtos ou mesmo negociar melhores condições.

Esse suporte precisa ser eficiente para que a transação seja concluída. Afinal, de nada adianta ter um bom preço e oferecer a mercadoria de que o comprador precisa se ele não sentir que pode confiar na sua empresa. Dessa forma, mantenha profissionais qualificados para prestar atendimento quando necessário, mesmo que a demanda seja menor do que em outros canais de venda.

Por fim, vale ressaltar que mesmo que o marketplace B2B no qual você vá vender tenha uma marca consolidada e reconhecida no mercado e invista em marketing, é importante que você continue fazendo investimentos nessa estratégia também. Com isso, é possível atrair ainda mais compradores e ganhar credibilidade com o seu público.

Meio de pagamento para marketplace é com a Wirecard

Se você quer vender em marketplace B2B ou mesmo criar uma plataforma como essa, é fundamental ter atenção ao meio de pagamento. Essa ferramenta tem um papel crucial nas vendas, pois é a partir dela que o site pode oferecer várias formas de pagamento, efetuar transações com segurança e fazer a divisão das comissões e taxas entre administração e sellers de forma correta.

E tudo isso você encontra no meio de pagamento para marketplace da Wirecard, que oferece split de pagamentos e uma conta digital para que os sellers possam controlar os pedidos e acompanhar todos os recebimentos com transparência. Acesse o nosso site para saber mais sobre essa solução e impulsionar os resultados do seu negócio!

Se você ficou com alguma dúvida sobre marketplace B2B ou quer compartilhar a sua opinião em relação ao assunto, deixe seu comentário aqui embaixo para conversarmos!

Vender em Marketplaces pode ser uma alternativa viável para o desemprego

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,2% no primeiro trimestre de 2020, atingindo 12,9 milhões de pessoas, segundo o IBGE. Com a crise do coronavírus, esses números devem ser muito maiores até o fim de junho, quando fecha o próximo trimestre. Para driblar o mercado de trabalho escasso e conseguir uma renda, a aposta de muitos trabalhadores é vender em marketplaces.

Mas fica uma dúvida: é possível trabalhar com e-commerce sem gastar muito? De acordo com o especialista em comércio eletrônico, Frederico Flores, a resposta é sim. Uma alternativa segura para quem está começando a empreender na internet é optar por vender em marketplaces, como o Mercado Livre, Lojas Americanas e Submarino, por exemplo.

“Iniciar uma loja dentro dos marketplaces pode ser a solução mais segura e prática para quem busca uma renda em meio ao desemprego, mas é preciso ter dedicação e estratégias para fazer a loja decolar. Além disso, o investimento inicial para empreender na internet é baixo e algumas ferramentas gratuitas já disponíveis no mercado podem ajudar no início de negócio”, explica ele.

Como vender em marketplaces de forma segura

Para auxiliar os novos empreendedores do comércio eletrônico, Flores listou alguns caminhos para quem deseja começar a vender em marketplaces de forma segura. Confira!

1º: Entenda o que é um marketplace

Os marketplaces são plataformas de e-commerce colaborativas, que funcionam como um shopping virtual conectando lojistas e prestadores de serviços a compradores. Existem marketplaces de nicho, que são focados em determinados públicos e vendem apenas alguns segmentos de produtos. Estude as regras e os custos de cada um para avaliar qual faz mais sentido ao seu negócio.

2º: Conheça as taxas e comissões

Alguns marketplaces cobram taxas de 5 a 25% por cada venda efetuada ou até mensalidades fixas para disponibilizar os serviços nos sites. Antes de começar a vender, procure saber qual é a porcentagem da plataforma escolhida.

3º: Prepare os produtos

Escolha seu nicho de mercado e prepare o estoque dos seus produtos, que podem ser usados ou novos. No início, foque em apenas um segmento, como moda, games, eletrônicos, entre outros. Comercializar de tudo pode atrapalhar a fidelização dos clientes e dificultar seu controle de estoque. Quanto mais afinidade você tiver com tipo de mercadoria, mais fácil será para se organizar e vender.

4º: Faça títulos atraentes para os anúncios

Ao fazer uma busca no Mercado Livre, por exemplo, o primeiro passo para chamar a atenção do cliente com certeza é o título. Por isso, abuse dos caracteres permitidos e deixe seus anúncios o mais atraentes possíveis. Ficar ligado nas tendências de busca da categoria, usando as palavras mais pesquisadas é um tiro certeiro.

5º: Capriche nas fotos dos produtos

Para atrair mais clientes, o ideal é fazer as fotos com fundo branco e apostar na alta definição. Imagens com aspecto amador não passam uma boa impressão aos clientes e, por este motivo, é imprescindível divulgar ótimas fotos. Na internet é possível encontrar vários tutoriais para fazer tudo em casa, sem gastar nada.

6º: Dê opções de frete e pagamento

Oferecer aos usuários diversas formas de pagamentos e opções de fretes é essencial para quem quer ter sucesso nos marketplaces. Pesquisas apontam que um dos principais motivos para o abandono de carrinho é o alto valor do envio. Então procure oferecer frete grátis para seus produtos – mesmo que você tenha que aumentar o preço um pouquinho nesses casos.

7º: Preste atenção no atendimento ao cliente

Oferecer uma boa experiência de compra ao seu cliente passa diretamente pelo atendimento. Portanto, retorne os e-mails e dúvidas dos usuários rapidamente e seja claro nas respostas. De forma geral, quem responde às perguntas primeiro, aumenta suas chances de vender, mesmo com preço mais alto. Essa é uma boa oportunidade de fazer valer a qualidade e agilidade do seu serviço.

8º: Automatize sua loja

Administrar todas as etapas de vendas em marketplaces exigia tempo e um investimento que nem todos os lojistas possuíam. Porém, hoje já existem soluções de baixo custo e até gratuitas para ajudar no gerenciamento das lojas digitais, desde o recebimento de um pedido até sua entrega.

A Becommerce, por exemplo, é uma ferramenta que gerencia todas as etapas de vendas no Mercado Livre. Por meio da plataforma é possível controlar os anúncios, responder às perguntas dos possíveis clientes e fazer a qualificação dos usuários de forma automática – facilitando a vida do lojista e permitindo aumento significativo nas vendas. Mas há várias outras disponíveis no mercado.

Conte com a Wirecard para vender em marketplaces

Esperamos que você aproveite bastante as dicas que o especialista listou neste artigo e, sempre que precisar ou surgir uma dúvida, volte a ele para consultar suas opções. Para saber mais sobre vender em marketplaces e obter sucesso, você também pode acessar o nosso blog. Nele, temos diversos conteúdos que podem ajudá-lo a tirar essa ideia do papel de forma eficiente e sustentável.

E, claro, saiba que estamos do seu lado para auxiliá-lo neste momento tão desafiador para todos. Acesse a página da nossa campanha especial, Conte com a Wirecard, e veja as iniciativas que disponibilizamos para você. Se surgir alguma dúvida, é só entrar em contato!




Fonte: Segs