Gestão de riscos e antifraude para marketplaces: por que é importante adotar

Riscos sempre fizeram parte do mundo dos negócios. No entanto, com a constante digitalização e grande procura por compras online, novos tipos de brechas podem afetar os lucros e, principalmente, a segurança. E isso interfere na empresa e também nos consumidores. Para evitar essas vulnerabilidades, como é a sua gestão de riscos atualmente?

Como o material criado pelo PagSeguro destaca: “a insegurança ainda é presença constante na vida de quem escolhe vender pela internet, afinal, as fraudes, invasões de conta e roubos de dados continuam sendo um risco muito grande, representando prejuízos consideráveis para o e-commerce.”

Por isso, vamos ajudar você a entender como a gestão de riscos e antifraude em espaços online é necessária. Acompanhe!

Por que uma gestão de riscos é necessária no comércio online 

Com a necessidade de contar com processos seguros nos marketplaces, a gestão de riscos é uma abordagem que deve ser considerada pelas empresas o quanto antes. Quem escolhe vender pela internet, acaba se arriscando a ser vítima de fraudes, invasões e até mesmo roubo de dados, o que pode acarretar em grandes prejuízos.

Diferente do ambiente físico, o varejo online (ainda mais agora do que anos atrás) possui diversos players e intermediários, como marketplace, site, redes sociais, etc. Em muitos casos, o que acontece é que as empresas não possuem times dedicados de análise de riscos e prevenção a fraudes, contando com os serviços que as plataformas oferecem.

Isso provoca a necessidade de pensar sobre a importância da gestão de riscos que é adotada, já que se trata de uma estratégia que pode criar caminhos a serem seguidos em diversas situações. Dessa forma, é preciso saber sobre os impactos que o e-commerce pode sofrer para que as estratégias de prevenção e detecção de fraudes sejam adotadas.

É válido considerar que as ameaças no ambiente virtual não são visíveis quando comparadas com uma loja física. Enquanto na loja física o cliente e o cartão estão presentes em sua frente, na virtual eles estão atrás da tela do computador, aumentando a exposição e a necessidade de conhecer melhor o cliente e as características da transação.

Principais riscos em marketplaces para ficar atento

Embora seja impossível a redução das ameaças a nível zero, é possível identificá-las, avaliá-las e traçar estratégias para que causem menos impactos. Nesse sentido, é preciso focar em, sobretudo, minimizar os prejuízos que essas situações podem causar, garantindo mais segurança para quem compra e para o crescimento da empresa.

Em relação a isso, algumas das condições em que um negócio pode ser submetido, ao se ver vulnerável a ataques virtuais, são: indisponibilidade da loja, perda da confiança dos clientes, problemas na transação em operações de venda, queda significativa de taxa de conversão e na reputação da marca.

Por isso, é importante se manter atento aos principais riscos em um marketplace, como:

  • Invasão e comprometimento de dados;
  • Chargebacks;
  • Abusos;
  • Inadimplência;
  • Golpes, fraudes e extorsões.

Vale lembrar que não são apenas lojas online que vendem produtos caros ou de marca renomada que estão sujeitas aos riscos. Lojistas que possuem faturamento de baixo a médio também não estão livres de ameaças, podendo, inclusive, serem usados, sem saber, para teste de cartões (para saber se estão válidos e ativos).

Fraudes mais comuns em produtos do e-commerce

É de se esperar que alguns produtos sejam mais cotados por fraudadores e ameaças virtuais. Provavelmente, o motivo para que estejam na lista dos mais comuns de sofrerem fraude seja a revenda relativamente fácil no que diz respeito ao mercado. Por exemplo, um celular possibilita mais facilidade de ser revendido do que um móvel.

Para ilustrar alguns dos tipos de produtos mais visados por fraudadores, temos: eletrônicos, celulares, jóias, bebidas, games, vestuários, entre outros no qual tenham uma revenda mais rápida.

Por que você deve investir na gestão de riscos e antifraude 

A importância para que marketplaces garantam um ambiente seguro e operante está justamente em evitar as chances reais de perda de negócios e de ter sua imagem comprometida.

Segundo o Mapa da Fraude 2020, publicado pela Clearsale, no Brasil houve incidência de R$3,6 bi em tentativas de fraude. Além disso, em 2020, setores de e-commerce, mercado financeiro, vendas e telecomunicações foram vítimas de 403 tentativas de fraude por hora ou 7 tentativas por minuto.

Além disso, ao realizar uma boa gestão de riscos, que é essencial para negócios de todos os segmentos, é possível:

Oferecer mais segurança quanto aos dados dos clientes

Os ativos mais importantes em uma loja virtual são os consumidores. E cada vez mais os ataques virtuais têm predominado em capturar informações sobre os clientes. Isso afeta diretamente a credibilidade do e-commerce, influenciando ainda mais na insegurança de compradores em relação a realizar compras online.

Impactar os indicadores de performance da empresa

Chargebacks de fraude impactam diretamente a saúde financeira da empresa, criando instabilidade no fluxo de caixa e resultando em prejuízos. No entando, ao identificar e conhecer as ameaças, é possível prever os meios de ataques. Isso possibilita um melhor preparo para o enfrentamento, por meio da gestão de riscos.

Gerenciar melhor as operações e otimizá-las

Ao investir em uma eficiente gestão de riscos e antifraude, torna-se possível otimizar as operações da loja. Isso porque, ao controlar melhor as ameaças e ter noção dos perigos ao redor, os sustos que podem ocorrer durante a atuação do negócio são minimizados, o que confere aos gestores maior tranquilidade, produtividade e eficiência.

Defesa contra inadimplência dos sellers

Contar com processos seguros nos marketplaces exige também uma boa gestão de risco contra a inadimplência de sellers. Um exemplo disso são aqueles que não possuem capital de giro para atender a demanda de venda e solicitaram a antecipação do pagamento das vendas realizadas. Então, ele usa esse dinheiro para comprar, posteriormente, os produtos que vendeu.

No entanto, nada garante que ele vai enviar o produto para o consumidor. Caso isso não ocorra, o comprador vai abrir um processo de chargeback para pedir o dinheiro de volta, já que não recebeu o que comprou.

Assim, acaba comprometendo não só o faturamento do marketplace em si, como também a organização do negócio, já que ele precisa devolver o valor de um produto que não foi entregue, porém, o saldo já foi adiantado para o seller.

Uma forma de tratar este risco é investindo em uma gestão que crie gatilhos de venda no início da vida do seller, determinando um volume X para as vendas. Isso permite testar o comportamento do lojista quanto à inadimplência desse tipo.

Concluindo…

Por fim, entender como o marketplace está sujeito a fraudes e precisa de uma boa gestão de riscos é o primeiro passo rumo à garantia de mais segurança. O segundo, portanto, é sobre o quanto você está disposto a investir e ter seu negócio protegido.

O Moip tem o objetivo de ajudar você a reduzir não só as transações fraudulentas como também as complexidades na hora de realizar a gestão de riscos.

Com experiência no mercado, além de expertise em promover processos de qualidade para grandes clientes do país, o Moip oferece a você gestão de riscos para seller e compradores,  além da possibilidade de resolver tudo em um só contrato. Conheça agora mesmo a solução de pagamentos mais completa para a sua empresa!

API de pagamento: conheça os desafios para criar uma solução financeira

Não é mais segredo que, a cada dia que passa, as pessoas ficam mais e mais dependentes das plataformas digitais. Desde o simples consumidor doméstico até as grandes corporações que dependem 100% de softwares, fato é que todos esses usuários ativos representam uma demanda crescente por ferramentas mais complexas, mais seguras e mais completas — é por isso que a criação de um bom API de pagamento vem se tornando uma tarefa cada vez mais desafiadora!

Isso porque muitas pequenas e médias empresas, na busca por soluções de pagamento eficientes por um preço acessível, acabam integrando suas operações com interfaces de terceiros. O problema é que esse formato não oferece, digamos, a melhor das experiências para o consumidor, o que, por consequência, gera menores taxas de conversão.

É justamente para resolver esses desafios que os APIs de pagamento já estão nascendo com a missão de otimizar processos e tendo de se reinventar em um mercado extremamente dinâmico e exigente. Pensando nisso, preparamos um artigo com os principais obstáculos envolvidos na criação de soluções financeiras e com boas práticas que podem contribuir para esse tipo de desenvolvimento de software. Acompanhe com a gente!

Quatro desafios na criação de soluções financeiras

O trabalho de desenvolvimento de softwares é um dos que possuem uma das demandas de produção mais elevadas do mercado. Todos os dias, empresas e gestores pedem por soluções mais funcionais e sofisticadas em diversas áreas — um reflexo bastante compreensível de um rápido movimento de digitalização que já toma conta de operações, projetos e fluxos de trabalho no mundo todo.

Os usuários exigem cada vez mais dos desenvolvedores, solicitando softwares mais estratégicos e com níveis de complexidade maiores. Sobretudo, eles priorizam o imediatismo nas respostas, o atendimento integral a todos as suas necessidades e a segurança que evite falhas e vulnerabilidades de qualquer espécie. Nesse contexto, é sempre bom ter na ponta da língua os principais requisitos que devem ser atendidos no desenvolvimento de soluções financeiras e, por isso, separamos alguns deles aqui:

1 – Ambiente tecnológico em constante mudança

Novas tecnologias estão surgindo e as antigas estão se atualizando o tempo todo. É o tipo de evolução que é notada por qualquer pessoa. Basta imaginar o ambiente tecnológico de 5 anos atrás, por exemplo, para que se perceba grandes diferenças na usabilidade, na interface e, claro, na segurança envolvida nas soluções financeiras. Aqui, o grande desafio é garantir que essas novas interfaces consigam manter o passo com as atualizações, protocolos e diretrizes de segurança sem expor os usuários a riscos desnecessários ou vazamentos de informações pessoais!

2 – Complexidade e eficiência em pauta

Hoje em dia, a verdade é que os usuários de aplicativos, de sistemas ou de soluções financeiras não querem saber quantos protocolos diferentes de segurança você desenvolveu, e sim o quão rápido a plataforma pode ser acessada! Ou seja, eles querem que o software, independentemente da sua complexidade, tenha um tempo de resposta mínimo e uma performance sem falhas que atenda a todas as suas necessidades. Na prática, isso representa um fluxo bastante frenético de suporte e de manutenção para assegurar que essa solução não deixe ninguém na mão.

3 – Cenário de desenvolvimento dinâmico

Na criação de soluções financeiras, quem trabalha no desenvolvimento também sabe que deve estar sempre sujeito a ter de modificar ou remodelar todo ou grande parte do sistema ainda durante a fase de desenvolvimento. Isso porque os clientes nem sempre possuem uma jornada previsível e muitas dificuldades só aparecem quando o caminho começa a ser percorrido. Tenha em mente que nem mesmo o mais criterioso dos planejamentos é capaz de cobrir todas as possibilidades e, por isso, é preciso estar preparado!

4 – Usabilidade e compatibilidade

Independentemente da quantidade de funcionalidades, módulos e abordagens que uma solução financeira oferece, quem desenvolve esse tipo de solução precisa sempre se preocupar com a usabilidade (facilidade do usuário para interagir com o sistema) e com a compatibilidade (resposta e comunicação com as demais soluções financeiras necessárias). Aqui, é importante tentar prever, ao máximo, todas as possíveis reações e desdobramentos, além de trabalhar com um olho no futuro, deixando espaço na plataforma para a adoção rápida e assertiva de novas alternativas financeiras quanto elas ficarem disponíveis.

E como tudo isso afeta a criação de uma API de pagamento?

Antes de mais nada, vale dar um passo atrás para compreendermos um pouco melhor o conceito de API. A expressão vem de Application Programing Interface, que define uma série de instruções e padrões de programação que formam uma interface de acesso a um app online. Em outras palavras, uma API permite que dois sistemas distintos “dialoguem”, permutando dados para determinado objetivo.

Metaforicamente, podemos pensar no serviço da API da mesma forma que pensamos no trabalho de um garçom. Em um restaurante, buscamos o que desejamos no menu e solicitamos ao garçom, que encaminha o pedido para cozinha e, no fim, entrega o prato pronto na mesa. Em uma plataforma digital, a ideia da API é a mesma: ela vai receber seu pedido, levar até o sistema responsável pelo tratamento e lhe devolver o que foi solicitado.

Já deu para começar a perceber o ponto de convergência entre os desafios na criação de soluções financeiras e as APIs de pagamento, não é mesmo? Ora, com a vasta quantidade de aplicativos e softwares entrando no ar com as mais variadas finalidades ― e com a monetização de canais mais em alta do que nunca ―, em tempo nenhum foi tão importante viabilizar a comunicação e a permuta de dados, garantindo assim a compatibilidade das interfaces e a navegabilidade do usuário de forma sutil e progressiva.

Sem contar que, especialmente quando pensamos na atual realidade rápida e conectada do mundo e das pessoas, fica claro que uma boa API de pagamento também é essencial na hora de entregar produtos e soluções ainda mais valiosas para os usuários, sem prejudicar a experiência de compra com redirecionamentos, longos formulários e validações infinitas.

Além disso, o desenvolvimento de uma API de pagamento ainda permite que outros aplicativos e softwares possam se integrar ao seu sistema. Isso não significa que você irá criar uma API apenas para expor seu sistema a terceiros, é claro, mas pode indicar propósitos específicos, como uso particular na sua corporação ou mesmo como de uma interface sua exclusiva para os clientes do seu negócio, já pensou?

Benefícios de uma API de pagamento

Você já deve ter percebido que usar uma API de pagamento também é uma forma eficiente de tornar processos corporativos mais simples e ágeis, trazendo muitos benefícios para o negócio. É só ter em mente que oferecer múltiplos meios de pagamento integrados ao cliente é sempre uma forma de agregar valor aos seus produtos, pois ele se sentirá mais confortável para escolher como quer fazer a compra.

E não para por aí: já que falamos no desenvolvimento de softwares e soluções financeiras, vale ressaltar que desenvolver toda uma plataforma de pagamentos é um processo complicado e que exige muitos recursos financeiros e humanos, além de tempo, é claro.

Por outro lado, usar uma API de pagamento é uma forma de usufruir de modalidades diferentes de pagamentos automatizados sem precisar realizar todos esses investimentos e sem abrir mão da funcionalidade. Basta fazer a integração e mãos à obra! Prático, não é mesmo?

Ah, lembrando que a API de pagamento também é o tipo de solução capaz de fazer cobranças de forma automatizada, utilizando essa tarefa. Assim, seus colaboradores que eram dedicados às tarefas de cobrança terão mais tempo para outras atividades da empresa, melhorando a produtividade e diminuindo a incidência de erros!

Conte com a API de pagamentos do Moip

Bom, provavelmente ficou claro que contar com o suporte de um bom API de pagamentos é o caminho perfeito para garantir a satisfação dos seus clientes e assegurar a usabilidade de qualquer plataforma. E fique sabendo que, aqui no Moip, você conta com um API totalmente integrado à solução de pagamentos que oferecemos!

Ou seja: você oferece o meio de pagamento que encanta seus clientes, aumenta a conversão, melhorar suas vendas e o Moip se encarrega de processar todas as suas transações com toda a agilidade e segurança que só uma empresa que já tem tradição em simplificar pagamentos pode oferecer, tudo em compliance com as regulamentações do Banco Central e planejado para oferecer a melhor experiência possível no seu negócio.

Interessante, né? Então, entre em contato agora mesmo com a nossa equipe e comece a usar a API de pagamentos do Moip. Estamos à disposição para tirar dúvidas e orientá-lo na implantação.

Conheça agora as 4 melhores formas de receber pagamentos online

Como receber pagamentos online é uma das maiores preocupações dos empreendedores que atuam no e-commerce. É preciso oferecer uma boa diversidade de meios de pagamento e é essencial que todos sejam seguros e confiáveis. Afinal, atualmente as pessoas gastam bem mais tempo utilizando a internet, diferentemente de alguns anos atrás.

Essas inúmeras horas de rede têm como consequência a formação de um público pós-graduado em assuntos online, com um altíssimo nível crítico e que sempre busca as melhores ferramentas que o meio oferece. E é exatamente com isso que as diversas modalidades de e-commerce devem se preocupar, procurando se preparar para oferecer o que há de melhor e mais seguro quando o assunto é receber pagamentos online.

A verdade é que o alto grau de instrução dos consumidores virtuais de hoje em dia exige o oferecimento de bons métodos pelos e-commerces como a condição necessária para a conclusão de qualquer compra. Caso contrário, os clientes fecham sua página e, em questão de poucos minutos, compram na concorrência.

Por tudo isso, a escolha das formas de pagamento é uma das mais relevantes para o e-commerce, capaz até de alavancar as vendas e melhorar a sua competitividade. Isso porque de nada adianta oferecer bons produtos e custo baixo se a loja não disponibiliza o meio de pagamento utilizado pelo cliente ou se não transmite segurança para que ele finalize a transação.

E é pensando na importância desta decisão que nós elencamos as 4 melhores formas de receber online para ajudar você nesta análise. Acompanhe!

#1 Recebimento de pagamentos e facilidade na gestão com a Wirecard:

A Wirecard é uma solução completa para receber pagamentos online, justamente porque integra várias formas de pagamento em uma única ferramenta. Com ela, você pode fazer a emissão de boletos, receber com cartões de crédito, por débito online e tudo isso de forma integrada. Isto é, você não precisa gerenciar os recebimentos de cada forma de pagamento de maneira separada.

Todas as informações sobre suas vendas e recebimentos estão em uma mesma ferramenta, na qual, além de gerir os pagamentos recebidos, você pode realizar reembolsos, acompanhar futuros lançamentos e desempenhar outras tarefas que facilitam a gestão financeira do seu negócio.

Com essa solução, você recebe os valores das vendas realizadas por boleto bancário e no débito online imediatamente, assim que o cliente concluir o pagamento. E no caso das vendas feitas nos cartões de crédito, você tem a opção de parcelar em até 12 vezes e o melhor: receber o valor integral, independentemente do número de parcelas, em até 14 dias.

E também tem outra vantagem, a antecipação de recebíveis. Funciona assim: se você vendeu de forma parcelada, mas está precisando do dinheiro das parcelas de imediato, você pode antecipar o recebimento desses valores com a Wirecard, atendendo às necessidades do seu negócio.

O melhor dessa solução é que você não precisa fazer contratos com cada adquirente, bandeira ou instituição bancária. Todos os serviços são abrangidos por um único contrato e com uma só integração. Isso quer dizer que você não precisa correr atrás desses serviços, pois a Wirecard faz tudo isso para você! E vale lembrar que a solução pode ser facilmente inserida em e-commerces, aplicativos e marketplaces.

E já que falamos neles, os marketplaces podem contar com o split de pagamento, uma ferramenta que faz a divisão automática dos pagamentos a cada loja, de acordo com as comissões e taxas estipuladas pela administração do marketplace, o que oferece mais segurança e confiança para as duas partes.

Outra facilidade da solução, tanto para e-commerce quanto para marketplace, é o checkout transparente, que permite que o consumidor finalize a transação sem sair do site da loja, o que faz com que ele se sinta mais seguro em cadastrar seus dados e concluir a compra. Outra vantagem é que essa ferramenta armazena as informações do seu cliente. Dessa forma, ele pode fazer as próximas compras com apenas alguns cliques, sem precisar cadastrar todos os dados novamente.

A análise de risco automática e manual é outro benefício, uma vez que evita as fraudes e os tão temidos chargebacks. Assim, você garante a segurança das suas transações e evita prejuízo e desgastes na relação com os clientes.

E vale lembrar que, se você também tem uma loja física, pode integrar a solução para receber pagamentos online com a maquininha de cartão da Wirecard para os estabelecimentos físicos. Além de aceitar diversas bandeiras e ter a segurança que é a marca da Wirecard, você pode gerenciar todas as vendas, virtuais ou presenciais, em uma mesma ferramenta de gestão.

Ainda tem mais: você também pode fazer cobranças por e-mail. É só enviar o link para o cliente para receber os pagamentos diretamente na sua Conta Wirecard. Simples e prática, essa é uma ferramenta excelente para recuperar vendas e atender pedidos personalizados.

Outra solução vantajosa é a venda pelo Apple Pay: com ela, o consumidor pode fazer pagamentos pelo iPhone e outros dispositivos da Apple a partir da biometria ou do reconhecimento facial, uma alternativa que oferece mais segurança contra as fraudes e o chargeback.

Em nosso site, você pode conhecer a solução e todas as vantagens que ela oferece. E em caso de dúvida, é só entrar em contato! A nossa equipe está à disposição para ajudar a alavancar os resultados do seu negócio!

#2 Agilidade nas transações com os cartões de crédito:

Mais de 60% dos pedidos captados no comércio eletrônico ocorrem a partir dos cartões de crédito, conforme o estudo E-commerce Radar 2017, divulgado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm). Isso porque esse meio de pagamento traz diversos benefícios para os consumidores, entre eles a rapidez nas transações, que são feitas em poucos cliques e segundos.

Outra vantagem é a possibilidade de parcelamento: segundo a mesma pesquisa, 30% das compras em cartão são parceladas em duas e três vezes e 13% em mais de seis parcelas. Porém, para garantir os benefícios desse meio de pagamento, é importante oferecer as principais bandeiras utilizadas no país, além de segurança para que o cliente efetive a compra.

Em relação a esses aspectos, é fundamental que os lojistas do e-commerce entendam a diferença e as funcionalidades das várias partes envolvidas ao receber online. As próprias bandeiras são um exemplo. Elas são responsáveis por entrar em contato com os bancos emissores dos cartões a fim de verificar se existe limite disponível para que o cliente efetive a compra.

As bandeiras mais utilizadas no país são Visa, Mastercard, Hipercard, Dinners Club, American Express, Elo e Hiper. É indispensável oferecer o maior número de bandeiras possível ou, pelo menos, as mais usadas pelos seus clientes para aumentar a conversão de vendas.

Ao processar os pagamentos online, outro agente importante são os bancos emissores dos cartões de crédito ou débito. O papel deles é informar às bandeiras se existe limite ou saldo disponível. Assim, se há saldo, o banco emissor realiza a cobrança pela transação ou, no caso do crédito, reserva o valor na conta do cliente.

Para fazer a comunicação entre a sua loja, as bandeiras e o bancos, você também pode contratar uma adquirente, cujo papel é transmitir as informações da venda às bandeiras. As mais conhecidas no mercado brasileiro são a Cielo, a Rede, a GetNet e a Stone. Para contratá-las, é necessário pagar uma taxa por transação, que varia conforme a empresa, o plano e a forma de pagamento utilizada.

As taxas para compra no débito são as mais baixas, seguidas pelo crédito à vista e pelo crédito parcelado. Quando você contrata uma adquirente, o dinheiro das vendas é repassado à sua loja, normalmente, em até 31 dias no caso do crédito e de imediato no débito.

Outro serviço que você pode contratar para receber pagamentos online nos cartões de crédito é o gateway de pagamentos. Ele serve para processar a transação e facilitar a integração dos e-commerces com os meios de pagamento disponibilizados por eles, funcionando como uma maquininha de cartão das lojas físicas.

Ao contratar uma adquirente ou um gateway de pagamentos é importante adquirir também os serviços de gestão antifraude e de conciliação financeira, já que esses meios de pagamento costumam não contar com esse suporte importante, principalmente se considerarmos que o Brasil tem 3,6 fraudes por minuto envolvendo o pagamento com cartão de crédito e débito na internet.

Dessa forma, optar por uma adquirente ou um gateway pode até ser uma alternativa mais em conta de início. O problema é que ela se torna cara caso você deixe para trás o serviço de gestão de risco ou, por outro lado, acabe contratando-o de forma separada.

Pensando nisso, a solução para receber pagamentos online da Wirecard já conta com todos os serviços necessários: oferece as principais bandeiras de cartão, abrange proteção contra fraudes e, ainda, a conciliação financeira para você organizar e controlar mais facilmente os seus recebimentos.

Além disso, como falamos no início deste tópico, a segurança é outro fator importante. Conforme pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), apenas 20% dos consumidores entrevistados sentem-se totalmente seguros em fazer compras pela internet. Na média, os entrevistados conferem nota 7,9 para o grau de segurança nas compras online.

Diante disso, oferecer segurança é fundamental ao vender com cartões de crédito pela internet. O primeiro passo é contar um bom serviço de gestão de fraude. Na Wirecard, por exemplo, sempre que uma transação é iniciada, os dados são avaliados automaticamente pelo nosso sistema.

Se existe alguma possibilidade de erro, fraude ou qualquer outro problema, uma equipe formada por profissionais especializados analisa manualmente o caso. Se tudo estiver certo, a venda é liberada. Caso contrário, a transação não é aprovada. Tudo isso para evitar que o seu cliente seja vítima de fraudes e para impedir que a sua loja tenha prejuízo com elas e com os chargebacks.

Ainda sobre as vendas com cartões de crédito, outra prática oferecida pela solução da Wirecard é a retentativa automática multiadquirente. Se, por algum motivo, determinada adquirente não aceitar a transação, automaticamente nós fazemos uma tentativa com outras adquirentes, medida que oferece uma maior conversão para o seu negócio.

Além disso, outra solução oferecida pela Wirecard que contribui para oferecer mais segurança e confiança ao consumidor é o checkout transparente. Com ele, o cliente não precisa sair do seu site para fazer o pagamento. A solução é personalizada e se adapta ao ambiente do seu e-commerce, fazendo com que o cliente se sinta mais seguro para concluir a compra. Essa tecnologia pode aumentar a taxa de conversão em até 30%.

#3 Popularidade e segurança com a emissão de boletos:

A emissão de boletos bancários é uma forma de receber pagamentos online muito utilizada no comércio eletrônico brasileiro por lojas online de diversos portes e segmentos. De acordo com o E-commerce Radar 2017, 35,5% dos pedidos captados são pagos por esse meio.

Desde novembro de 2018, todos os boletos emitidos devem ser registrados. Isso quer dizer que eles precisam conter dados tanto do pagador quanto do emissor, como o nome, o CPF ou o CNPJ e o endereço. E também informações sobre a própria transação, como o valor, a data de vencimento e, ocasionalmente, dados complementares, como os encargos em caso de atraso.

Essa obrigatoriedade surgiu a partir da implementação da Nova Plataforma da Cobrança, uma medida criada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) para oferecer mais segurança contra fraudes e mais praticidade aos clientes. Assim, após coletar os dados do consumidor, a empresa faz a emissão de boleto e envia as informações para o banco por meio de um arquivo de remessa.

Desse modo, tanto o banco quanto o lojista tem mais facilidade em acompanhar os recebimentos, o que torna a conciliação financeira muito mais eficiente. Além disso, esse registro também traz outro benefício: na hora do pagamento, as informações do título são comparadas àquelas que estão registradas no sistema. Se estiver tudo certo, o pagamento é liberado.

Se não, o pagador é orientado a procurar o banco emissor do título para verificar a situação. Isso é importante para evitar as fraudes, como aquela que consiste na modificação dos códigos de barras por um estelionatário a partir de um vírus instalado no computador do cliente. Ao mudar o código, o pagamento acaba caindo na conta do criminoso, e não da empresa beneficiária, dando início a um processo complicado para ambas as partes.

Apesar de modernizar o sistema de cobrança e ser uma medida importante contra as fraudes, a obrigatoriedade da emissão de boletos registrados também trouxe receios aos lojistas. Isso porque antes, com os boletos simples, a taxa de emissão era cobrada apenas se o título fosse pago pelo cliente. Agora, no entanto, a cobrança é realizada a cada emissão, independentemente do pagamento pelo consumidor.

O grande problema é que, conforme o estudo E-commerce Radar 2017, dos 35,5 pedidos captados por meio do boleto bancário, apenas 22,9% são aprovados, o que indica que muitos consumidores acabam não pagando os títulos. Assim, os lojistas pagariam as taxas pela emissão sem conseguir efetivar a venda, o que pode causar um prejuízo significativo conforme o volume de pedidos de cada loja.

A desistência do pagamento do boleto pelo consumidor pode ter diversos motivos e, atualmente, as empresas têm investido em estratégias de marketing para lembrar e estimular o cliente em relação à quitação do título, como os lembretes de vencimento enviados por e-mail, SMS, redes sociais ou pelos aplicativos de cada loja online.

Aliás, os próprios clientes têm facilidades com o boleto registrado. Com o registro, os títulos podem ser pagos em qualquer banco e mesmo após a data de vencimento, sem a necessidade de emitir uma segunda via. Além disso, eles também têm mais segurança em quitar um boleto emitido e pago por meio de um sistema que evita as fraudes.

Já para os lojistas, além da segurança e da praticidade na conciliação financeira, o registro também permite a possibilidade de protesto do título. Essa opção é importante nos casos em que o produto é enviado ou o serviço é prestado antes do pagamento. Com isso, caso o cliente não pague, é possível fazer o protesto do título, já que o boleto registrado conta com todos os dados do pagador.

Aqui na Wirecard, a solução de pagamentos online conta com a opção de emissão de boletos registrados. E o melhor é que nós cobramos a taxa de emissão apenas sobre os títulos pagos pelos clientes, e não sobre todas as emissões. Assim, você tem todos os benefícios dessa forma de pagamento sem pagar a mais por isso!

#4 Pagamento instantâneo com o débito em conta online:

O débito em conta online é um meio de pagamento que vem crescendo no e-commerce. Conforme as Estatísticas de Pagamentos de Varejo e de Cartões no Brasil referentes a 2017, divulgadas pelo Banco Central, as transações em cartão de débito cresceram 16% ao ano, mais do que as transações em crédito, que tiveram aumento de 9,3% no mesmo período.

Nessa modalidade, quando uma transação é feita, o dinheiro é automaticamente debitado da conta corrente do comprador e, assim, não é necessário se preocupar com eventuais atrasos, idas ao banco ou qualquer tipo de multa. Essa opção traz até mesmo mais facilidade na gestão das contas pessoais, pois o cliente não tem surpresas quando chega a fatura, já que tudo é debitado em tempo real.

Para os lojistas, o débito em conta online também é uma boa forma de pagamento, pois o dinheiro é repassado ao e-commerce instantaneamente. Quer dizer, não é necessário esperar para receber o valor da venda, como ocorre com os cartões de crédito. E vale lembrar que essa também é uma opção contemplada pela solução de pagamentos online da Wirecard.

Escolha a melhor forma de receber pagamentos online e melhore seus resultados

Os meios de pagamento são um fator importante na conquista de clientes. Como você viu, de nada adianta que todos os serviços do seu e-commerce funcionem bem e que você ofereça preços atrativos se, na hora de pagar, o cliente não puder efetuar o pagamento com a opção que tem disponível. Ou, pior, se não se sentir seguro em comprar na sua loja.

Por isso, para receber online, aposte na diversidade, a fim de satisfazer o cliente independentemente da forma de pagamento que ele utilize. E não esqueça da segurança: é essencial que o consumidor se sinta confiante ao inserir os dados na sua plataforma.

Se você ficou com alguma dúvida sobre o assunto, deixe seu comentário ou entre em contato com a nossa equipe. E em nosso site, você também pode conferir todos os benefícios da nossa solução para que você receba pagamentos online com praticidade e segurança!

Checkout Transparente: aumente a sua taxa de conversão em 30%

O Checkout Transparente é a ferramenta ideal para quem busca aumentar a taxa de conversão de suas vendas, e dar mais segurança para os seus clientes no momento da compra. O Moip foi o criador desse serviço, sendo hoje marca registrada dessa solução de pagamento inteligente.

(mais…)

Precisa receber pagamentos? Conte com o Moip

A Wirecard é uma empresa que oferece soluções de pagamento para lojas virtuais e físicas, assinaturas online e marketplaces. Nossos clientes contam com mais de 15 de meios de pagamento, ferramentas de gestão de risco, além de uma adesão simplificada.

Conferido com o certificado de segurança PCI DSS (reconhecido mundialmente), a Wirecard é utilizado por mais de 50 mil negócios, desde start-ups até empresas estabelecidas, e processa mais de 1 milhão de transações online a cada mês.

Receba pagamentos

A missão da Wirecard é facilitar o envio e o recebimento de pagamentos eliminando distâncias e integrando pessoas e empresas. As cobranças podem ser encaminhadas via o e-mail ou para o smartphone de quem deve pagar. O pagador também encontra diversas opções para pagamento como: cartões de crédito, boleto e débito bancário.

A Wirecard possui interfaces para o recebimento de doações, venda de conteúdo digital, carrinho de compras e muito mais. Além disso, a administração de sua Conta da Wirecard pode ser feita pelo computador ou smartphone.

Aumente as suas taxas de conversão

A Wirecard é criador do sistema de Checkout Transparente, que oferece uma experiência de compra inteligente e ágil para o seu cliente, pois viabiliza que todo o processo de compra seja feito sem redirecionamentos de página. Essa solução é conhecida por garantir um aumento nas taxas de conversão em até 30%.

Garanta um aumento em suas taxas de conversão oferecendo uma experiência de compra inteligente para os seus clientes e acabe com os abandonos de carrinho! Baixe o nosso e-book clicando no banner abaixo!

e-book-checkout-acabe-com-os-carrinhos-abandonados-na-hora-do-pagamento-og

Acesse wirecard.com.br/blog e confira todas as nossas soluções!

5 erros mais comuns cometidos em um e-commerce

Quando surpreendidos pelas incontáveis oportunidades que um e-commerce pode oferecer, muitos futuros empresários do ramo de negócios virtuais acabam não planejando devidamente o empreendimento e derrapam logo no começo das operações. (mais…)

Logística no e-commerce: desenvolva-a com eficiência

Uma das etapas mais importantes para o bom funcionamento de uma loja virtual é sem dúvida a logística no e-commerce. Tema de grandes discussões, debates e palestras, é justamente este o assunto que vamos abordar hoje, no segundo post da série passo a passo para abrir uma loja virtual.

Essa Palestra Online abaixo ensina grandes dicas sobre a otimização de um processo de logística no e-commerce. Nele, você verá sobre operadores logísticos, embalagens, fulfilment e muito mais. Confira!

Muito mais do que uma simples entrega

A logística no e-commerce é um grande desafio, independentemente do tamanho da empresa – pequena, média ou grande. O processo que envolve receber o pedido, separar e organizar o produto e entregá-lo em perfeitas condições e dentro do prazo para o cliente, tem deixado muitos empresários do mundo virtual de cabelo em pé.

Vale lembrar que com uma boa organização e até mesmo com um sistema eficiente para o controle de mercadorias, empresas de pequeno porte podem fazer o processo de logística internamente. Esta opção pode ser considerada principalmente devido aos custos bastante elevados para a terceirização de um sistema de logística.

Mas, para tanto, é preciso conhecimento. Investir em cursos sobre o assunto, conversar com outros empresários da área e buscar o máximo de informações podem trazer bons resultados.

De qualquer forma, ter uma boa logística (ou, e-logística – termo usado em e-commerce) – interna ou com o auxílio de uma boa plataforma externa – é imprescindível para crescimento sustentável e fidelização dos clientes de sua loja virtual.

Veja algumas dicas para turbinar a logística no e-commerce:

Planejamento – Tudo começa com o bom e velho planejamento. As formas e etapas de entrega dos produtos precisam estar claras e bem definidas desde as ideias embrionárias do negócio. Considere as características físicas do produto, área de atuação do e-commerce e o estoque da mercadoria.

Atenção ao estoque – O produto que você irá entregar é perecível? Necessita de armazenamento adequado? Quais os cuidados devem ser tomados no momento de embalar este produto? O setor administrativo da empresa estará próximo ao estoque? Analise cada detalhe e coloque hipóteses negativas para evitar ou reverter possíveis problemas.

Cuidados com a embalagem – Se você pensa que a embalagem não é muito importante, pois o que importa de fato é a qualidade do seu produto, você não está totalmente equivocado. Mas tenha em mente que a embalagem pode enriquecer a percepção do cliente com a sua loja e produto, além de que uma embalagem de qualidade pode preservar a integridade da mercadoria. Leia mais sobre a importância da embalagem em e-commerce, clicando aqui.

Forneça informações – Quer deixar o seu cliente tranquilo? Diga para ele em qual etapa do processo de entrega está o produto que ele comprou. Muitos fornecedores de logística fornecem este serviço e se você for o responsável pela entrega, não deixe de se atentar a este ponto.

Escolha uma empresa de entrega – No mercado existem muitas empresas do ramo de entrega e logística e na hora da escolha por alguma delas, considere as características da sua empresa, localização do estoque, serviços que o fornecedor oferece e quanto de valor a sua empresa poderá arcar com este custo. Veja a lista de fornecedores de logística e entrega do Portal E-Commerce Brasil.

Não se esqueça da troca – Não frustre o seu cliente. Tenha um sistema eficiente de troca de produtos. Caso não tenha mais o produto que o cliente comprou em estoque, seja honesto e avise-o com rapidez. O sistema de troca do seu e-commerce só será eficiente se o seu estoque estiver afinado com a entrega.

O processo de logística não é simples, mas se bem organizado servirá de base para fidelizar o cliente e criar uma empresa sustentável.

Tem alguma outra ideia sobre logística no e-commerce? Será um prazer ouvir a sua opinião! Comente e compartilhe conosco o seu conhecimento!

No próximo artigo: a importância de dispor canais de atendimento ao cliente.

Até lá!

marketing-digital-para-empreendedores-cta

Leia também:

Passo a passo para abrir uma loja virtual

Como escolher uma plataforma de e-commerce

Plataforma para loja virtual: como escolher?

O comércio eletrônico é um mundo de oportunidades para quem se aventura nele. Por outro lado, abrir um negócio na Web pode não ser tão simples como parece. Com o objetivo de auxiliar futuros empreendedores online, o nosso Blog lança uma nova série que aborda com detalhes cada passo a passo para abrir uma loja virtual. Aqui você verá algumas dicas para escolher a melhor plataforma para loja virtual para o seu site.

Nas próximas semanas, vamos apresentar opiniões, fornecer informações técnicas e relevantes e destrinchar cada um dos passos para que você crie uma loja virtual de sucesso.

Este material será de grande importância para você que deseja abrir um e-commerce, mas encontra-se perdido em meio a tantas informações, dados e opiniões.

Você sabe o que é, para que serve e como escolher uma plataforma para loja virtual? É justamente este o tema do nosso post de hoje. Vamos lá?

Hospedando um site na Web – Let’s start!

A Plataforma para loja virtual é o sistema responsável pelo gerenciamento e visualização da loja virtual na Web. Criação e gerenciamento (produtos, estoques, preços, pagamentos…) fazem parte do escopo de funções desta ferramenta, que engloba inclusive rotineiras de uma loja virtual.

A escolha de uma plataforma para loja virtual que seja adequada ao perfil do negócio é um dos passos mais importantes para o sucesso de uma loja virtual. Uma escolha certa ou errada, pode determinar o sucesso ou o fracasso de um e-commerce.

Muita atenção! Não pense que seja simples o processo de troca de plataforma no meio do caminho. Por isto invista tempo, conhecimento e energia na fase da escolha do sistema.

Além disso, é interessante observar se a ferramenta contém formas de monitoramento de redes sociais, marketing e SEO.

Dicas para escolha da plataforma para loja virtual:

Converse com varejistas online experientes – mesmo se o ramo de atuação for diferente do seu, vale a pena ouvir a opinião de pessoas que já passaram por esta etapa. Aprender com erros e acertos dos outros é uma forma de atingir objetivos de forma mais rápida e menos árdua. Uma ótima forma de ampliar a sua rede de contatos é participando de eventos. Veja um dos mais importantes calendários de eventos do setor.

-Considere boas referências do mercado: Algumas plataformas para loja virtual são referências no mercado pela sua qualidade e custo benefício. Plataformas com a Vtex, NuvemShop, Fastcommerce e XTech são boas referências do mercado. Analise a que mais se enquadra de acordo com o seu modelo de negócio e garanta um site otimizado.

Colha o máximo de informações – Pode parecer uma dica clichê, mas infelizmente muitas lojas virtuais que se mostravam promissoras fecharam devido às decisões equivocadas que poderiam ter sido evitadas. Por isso, consulte sites especializados no tema com matérias, artigos e notícias do setor. Além do Blog da Wirecard, boas referências sobre e-commerce são os portais E-Commerce Brasil, E-Commerce News e e-Bit.

Considere o perfil da loja e invista em conhecimento – De nada adianta uma plataforma com uma série de funções sofisticadas se quem for operá-la não tiver conhecimento para usá-la. Faça o planejamento da sua loja em curto, médio e longo prazo e programe-se. Com isto em mente, busque conhecimento. Seguem alguns portais de cursos online para que você e sua equipe se mantenham atualizados:

Uni Buscapé Company

Internet Innovation

Impacta

Esperamos que este post possa de fato te ajudar a entender um pouco mais sobre a importância da escolha de uma boa plataforma para o seu e-commerce. Tenha sempre em mente que a plataforma para loja virtual é a base do seu e-commerce e que quando a base não está sólida, nada se sustenta.

 

 

Aproveite para aprender como vender mais em um e-commerce. Baixe o nosso e-book gratuito clicando no banner abaixo e aprenda como!

e-book-como-vender-mais-em-seu-e-commerce-og