Gestão de riscos e antifraude para marketplaces: por que é importante adotar

Riscos sempre fizeram parte do mundo dos negócios. No entanto, com a constante digitalização e grande procura por compras online, novos tipos de brechas podem afetar os lucros e, principalmente, a segurança. E isso interfere na empresa e também nos consumidores. Para evitar essas vulnerabilidades, como é a sua gestão de riscos atualmente?

Como o material criado pelo PagSeguro destaca: “a insegurança ainda é presença constante na vida de quem escolhe vender pela internet, afinal, as fraudes, invasões de conta e roubos de dados continuam sendo um risco muito grande, representando prejuízos consideráveis para o e-commerce.”

Por isso, vamos ajudar você a entender como a gestão de riscos e antifraude em espaços online é necessária. Acompanhe!

Por que uma gestão de riscos é necessária no comércio online 

Com a necessidade de contar com processos seguros nos marketplaces, a gestão de riscos é uma abordagem que deve ser considerada pelas empresas o quanto antes. Quem escolhe vender pela internet, acaba se arriscando a ser vítima de fraudes, invasões e até mesmo roubo de dados, o que pode acarretar em grandes prejuízos.

Diferente do ambiente físico, o varejo online (ainda mais agora do que anos atrás) possui diversos players e intermediários, como marketplace, site, redes sociais, etc. Em muitos casos, o que acontece é que as empresas não possuem times dedicados de análise de riscos e prevenção a fraudes, contando com os serviços que as plataformas oferecem.

Isso provoca a necessidade de pensar sobre a importância da gestão de riscos que é adotada, já que se trata de uma estratégia que pode criar caminhos a serem seguidos em diversas situações. Dessa forma, é preciso saber sobre os impactos que o e-commerce pode sofrer para que as estratégias de prevenção e detecção de fraudes sejam adotadas.

É válido considerar que as ameaças no ambiente virtual não são visíveis quando comparadas com uma loja física. Enquanto na loja física o cliente e o cartão estão presentes em sua frente, na virtual eles estão atrás da tela do computador, aumentando a exposição e a necessidade de conhecer melhor o cliente e as características da transação.

Principais riscos em marketplaces para ficar atento

Embora seja impossível a redução das ameaças a nível zero, é possível identificá-las, avaliá-las e traçar estratégias para que causem menos impactos. Nesse sentido, é preciso focar em, sobretudo, minimizar os prejuízos que essas situações podem causar, garantindo mais segurança para quem compra e para o crescimento da empresa.

Em relação a isso, algumas das condições em que um negócio pode ser submetido, ao se ver vulnerável a ataques virtuais, são: indisponibilidade da loja, perda da confiança dos clientes, problemas na transação em operações de venda, queda significativa de taxa de conversão e na reputação da marca.

Por isso, é importante se manter atento aos principais riscos em um marketplace, como:

  • Invasão e comprometimento de dados;
  • Chargebacks;
  • Abusos;
  • Inadimplência;
  • Golpes, fraudes e extorsões.

Vale lembrar que não são apenas lojas online que vendem produtos caros ou de marca renomada que estão sujeitas aos riscos. Lojistas que possuem faturamento de baixo a médio também não estão livres de ameaças, podendo, inclusive, serem usados, sem saber, para teste de cartões (para saber se estão válidos e ativos).

Fraudes mais comuns em produtos do e-commerce

É de se esperar que alguns produtos sejam mais cotados por fraudadores e ameaças virtuais. Provavelmente, o motivo para que estejam na lista dos mais comuns de sofrerem fraude seja a revenda relativamente fácil no que diz respeito ao mercado. Por exemplo, um celular possibilita mais facilidade de ser revendido do que um móvel.

Para ilustrar alguns dos tipos de produtos mais visados por fraudadores, temos: eletrônicos, celulares, jóias, bebidas, games, vestuários, entre outros no qual tenham uma revenda mais rápida.

Por que você deve investir na gestão de riscos e antifraude 

A importância para que marketplaces garantam um ambiente seguro e operante está justamente em evitar as chances reais de perda de negócios e de ter sua imagem comprometida.

Segundo o Mapa da Fraude 2020, publicado pela Clearsale, no Brasil houve incidência de R$3,6 bi em tentativas de fraude. Além disso, em 2020, setores de e-commerce, mercado financeiro, vendas e telecomunicações foram vítimas de 403 tentativas de fraude por hora ou 7 tentativas por minuto.

Além disso, ao realizar uma boa gestão de riscos, que é essencial para negócios de todos os segmentos, é possível:

Oferecer mais segurança quanto aos dados dos clientes

Os ativos mais importantes em uma loja virtual são os consumidores. E cada vez mais os ataques virtuais têm predominado em capturar informações sobre os clientes. Isso afeta diretamente a credibilidade do e-commerce, influenciando ainda mais na insegurança de compradores em relação a realizar compras online.

Impactar os indicadores de performance da empresa

Chargebacks de fraude impactam diretamente a saúde financeira da empresa, criando instabilidade no fluxo de caixa e resultando em prejuízos. No entando, ao identificar e conhecer as ameaças, é possível prever os meios de ataques. Isso possibilita um melhor preparo para o enfrentamento, por meio da gestão de riscos.

Gerenciar melhor as operações e otimizá-las

Ao investir em uma eficiente gestão de riscos e antifraude, torna-se possível otimizar as operações da loja. Isso porque, ao controlar melhor as ameaças e ter noção dos perigos ao redor, os sustos que podem ocorrer durante a atuação do negócio são minimizados, o que confere aos gestores maior tranquilidade, produtividade e eficiência.

Defesa contra inadimplência dos sellers

Contar com processos seguros nos marketplaces exige também uma boa gestão de risco contra a inadimplência de sellers. Um exemplo disso são aqueles que não possuem capital de giro para atender a demanda de venda e solicitaram a antecipação do pagamento das vendas realizadas. Então, ele usa esse dinheiro para comprar, posteriormente, os produtos que vendeu.

No entanto, nada garante que ele vai enviar o produto para o consumidor. Caso isso não ocorra, o comprador vai abrir um processo de chargeback para pedir o dinheiro de volta, já que não recebeu o que comprou.

Assim, acaba comprometendo não só o faturamento do marketplace em si, como também a organização do negócio, já que ele precisa devolver o valor de um produto que não foi entregue, porém, o saldo já foi adiantado para o seller.

Uma forma de tratar este risco é investindo em uma gestão que crie gatilhos de venda no início da vida do seller, determinando um volume X para as vendas. Isso permite testar o comportamento do lojista quanto à inadimplência desse tipo.

Concluindo…

Por fim, entender como o marketplace está sujeito a fraudes e precisa de uma boa gestão de riscos é o primeiro passo rumo à garantia de mais segurança. O segundo, portanto, é sobre o quanto você está disposto a investir e ter seu negócio protegido.

O Moip tem o objetivo de ajudar você a reduzir não só as transações fraudulentas como também as complexidades na hora de realizar a gestão de riscos.

Com experiência no mercado, além de expertise em promover processos de qualidade para grandes clientes do país, o Moip oferece a você gestão de riscos para seller e compradores,  além da possibilidade de resolver tudo em um só contrato. Conheça agora mesmo a solução de pagamentos mais completa para a sua empresa!

Moip e a solução pioneira de split payment para marketplaces no Brasil

Já falamos em outras oportunidades sobre as vantagens de se investir em um marketplace próprio e facilitar a livre oferta de produtos a preços extremamente competitivos. Mas antes de tudo, é preciso avaliar como será o processo de pagamento e recebimento de valores transacionados nesse ambiente.

Pensando em facilitar a rotina do marketplace, sellers e compradores, vale a pena considerar a automatização desse processo, através do split de pagamento para marketplace, uma funcionalidade presente em boa parte das soluções de pagamento do mercado.

Split payment é uma funcionalidade da solução de pagamento para marketplace que permite ao consumidor realizar um único pagamento, diante da compra de produtos de diferentes vendedores. Depois realiza a divisão desse valor, conforme o preço de cada.

O split de pagamento para marketplace funciona assim: o comprador realiza a compra na loja de um ou mais lojistas presentes no marketplace. Diante da autorização do pagamento pela administradora do cartão de crédito ou banco, o split de pagamento para marketplace fará a divisão dos valores de acordo com a regra determinada pelo marketplace, no momento da contratação do serviço.

O marketplace recolhe seu percentual por venda finalizada e repassa o valor excedente ao lojista. Cabe ao marketplace definir de quem será cobrado o frete pelo envio do produto ao comprador, se do percentual dele ou do lojista.

A indicação é de que o marketplace assuma esse percentual sempre, a fim de atrair, cada vez mais, uma base maior (e já mencionamos anteriormente a importância dessa base). A divisão de valor é automática e os lançamentos são realizado por meio do split de pagamento para marketplace, sem intervenção manual, reduzindo assim as possibilidades de erro.

Viu como tudo é feito para evitar ao máximo preocupações e oferecer credibilidade, já que esse processo garante a segurança não só de quem está comprando, mas também de quem está vendendo?

Wirecard para marketplaces

Muita gente se pergunta o que é Wirecard e o que nós fazemos. Então, antes mesmo, de apresentar a nossa ferramenta voltada a marketplaces, vamos explicar o que fazemos.

A Wirecard é uma solução de pagamentos para e-commerces, marketplaces e assinaturas que realizam cobranças recorrentes. Se a gente monta um marketplace? Não! =)

Somos apenas a plataforma de pagamentos mais completa do mercado que propõe funcionalidades capazes de otimizar a rotina do seu negócio, mas podemos indicar alguns parceiros que criam o layout e desenvolvem o marketplace.

Com a ferramenta Wirecard para marketplaces (Wirecard split payment ou split de pagamenta Wirecard) é possível facilitar transações entre compradores e vendedores, cobrar por isso e ter todo o controle, de maneira fácil para você e para os usuários do seu serviço.

Qual a experiência que o marketplace quer oferecer para seu vendedor?

Conta da Wirecard clássica:

Quando a conta do vendedor é criada pela API de cadastro, a Wirecard envia automaticamente uma mensagem para que ele crie sua senha. Nesse modelo, o vendedor faz todo o controle financeiro através da página Wirecard. Todas as dúvidas relacionadas ao pagamento são de responsabilidade da Wirecard.

Conta da Wirecard transparente:

O vendedor faz todo o controle financeiro através do ambiente do marketplace que, por sua vez, deverá desenvolver uma interface dentro da sua plataforma espelhando as informações da Conta da Wirecard em seu ambiente. Ele também é responsável por toda a comunicação e dúvidas relacionadas ao pagamento, pois nesse modelo, a Wirecard só tem relacionamento direto com o marketplace, e o próprio marketplace escolhe quem paga a tarifa.

Relatórios e conciliação financeira no marketplace:

Muito mais flexibilidade e facilidade para extrair relatórios e realizar gerenciamento de fluxo de caixa, através de um dashboard intuitivo que fica na Conta da Wirecard.

Bom, é isso! A expectativa é que esse conteúdo tenha ajudado a você a entender o que é a Wirecard e a tomar a melhor de decisão quanto a solução ideal que oferece split de pagamento para marketplace. Convencido? Vamos investir em um marketplace? Conte conosco!

Se quiser agendar sua consultoria com o nosso time de marketplace, clique nesse link para podermos entrar em contato com você. Será um prazer para nós te ajudar a bombar o seu marketplace.

Entenda por que a experiência do usuário é o novo SEO

Sim, você leu certo: a experiência do usuário é o novo SEO. Está aí se perguntando desde quando? Simples: desde que o Google assim determinou. E até já dava para prever uma mudança do tipo desde que a gigante da web estipulou, em 2015, a responsividade como importante critério de ranqueamento de sites e blogs. Sim, hoje, o fato de qualquer canal online ser responsivo, ou seja, se adaptar automaticamente a qualquer dispositivo (PC, celular e tablet), ganhou extrema relevância aos motores de busca.

Mas afinal, por que a responsividade ganhou tanta força?

Vamos começar do princípio. A essa altura do campeonato, você já deve saber o que é SEO (Search Engine Optimization), mas não custa nada reiterar que ele nada mais é que um conjunto de técnicas e estratégias aplicadas a um site ou blog, visando melhorar o seu posicionamento nos resultados orgânicos do Google. É o SEO que quando feito corretamente garante uma visibilidade interessante a sua empresa na Internet.

Basicamente a definição é essa e continua a mesma, contudo, além do SEO, a experiência do usuário ganhou peso e representa um fator importante para o alcance de uma boa posição no ranking.

Pense um pouco: se o o mundo vem se digitalizando e as pessoas estão, cada vez mais, utilizando aparelhos móveis para realizarem buscas, é de se entender a razão para o Google diante da última atualização do seu algoritmo (veja mais sobre isso a seguir), ter estabelecido a responsividade como um dos critérios de ranqueamento.

Algoritmos são instruções matemáticas que informam aos computadores como realizar as tarefas que lhes são atribuídas.

Só vale ressaltar um detalhe: não é que as velhas regras de SEO tenham perdido sua valia em função da experiência do usuário. Elas simplesmente foram readequadas para o universo das plataformas mobile, que transformaram completamente a maneira pela qual usuários do mundo inteiro acessam a internet.

Hummingbird: precisamos falar sobre isso!

A partir do lançamento do Hummingbird (beija-flor, em inglês) Update do Google, a última atualização do algoritmo da empresa, ficou evidente o fim das páginas voltadas apenas para satisfazer critérios técnicos. O objetivo do Hummingbird é tornar o sistema de busca, cada vez mais, adequado ao uso humano e focado na intenção do usuário.

hummingbird, o novo algoritmo do Google

Não entendeu? Então, simplificando:

O atual algoritmo do Google pretende aumentar a compreensão da semântica nas buscas, fornecendo resultados mais rápidos e precisos, sem depender de palavras-chave exatas. Por isso, a busca do Google está mais parecida com a forma que os seres humanos entendem o mundo.

Exemplo: Quando você procura por laptop, o Google entende que você também pode estar buscando por notebooks. Eis a busca semântica que trabalha com termos semelhantes.

palavras-chave semânticas
O objetivo principal da web semântica não é, pelo menos para já, treinar as máquinas para que se comportem como pessoas, mas sim desenvolver tecnologias e linguagens que tornem a informação legível para as máquinas.

E acredite, tudo isso facilita e muito a sua vida ao navegar em um site que precisa ser importante tanto para quem o visita (otimização interna) quanto para a comunidade digital em torno dele (otimização externa). Tais pontos contribuem para uma boa classificação no ranking.

Determinando uma boa experiência do usuário

Exaustivamente você já deve ter lido ou ouvido que um conteúdo relevante, uma navegação intuitiva e responsividade são critérios levados em consideração pelo Google na hora de ranquear um site. E é verdade.

Mas sempre que o tema experiência do usuário vem à tona, os entusiastas tendem a se perguntar, além desses critérios, a partir de quais indicativos os algoritmos Google avaliam se o usuário teve experiências positivas ou negativas ao acessar o conteúdo de determinado domínio para fins de ranqueamento. Pois é o que você está prestes a descobrir. Vamos listar dois indicativos que o Google utiliza na hora de realizar essa avaliação da experiência do usuário com um site. Confira:

Bounce rate (taxa de rejeição)

A taxa de bounce demonstra, basicamente, se o usuário efetivamente realizou alguma ação dentro da página.

Bounce rate ou taxa de rejeição é a percentagem de sessões de página única (ou seja, sessões nas quais o utilizador deixou o site a partir de uma página de entrada sem interagir com a página).

Um bounce elevado pode indicar desde que o site tem um carregamento lento, instigando a evasão, assim como apontar para um layout não responsivo e até um conteúdo inapropriado, sem utilidade para o usuário.

taxa de rejeição no Google Analytics

Taxa de conversão

Aqui é o próprio usuário quem indica se o seu problema foi resolvido pelo site, ao se converter em lead. Por exemplo, se ele assinou a newsletter, realizou uma compra, submeteu suas informações para baixar algum material de download, ou resolveu um problema de internet banking, onde há a possibilidade de preencher um formulário final ditando seu grau de satisfação com o serviço. Outro ponto a ser avaliado é se ele retornou muitas vezes ao mesmo site, permanecendo por mais tempo no domínio.

Além dessas, ainda existem muitas outras formas de o mecanismo de busca analisar se o conteúdo do site pode ganhar destaque por se encaixar à era da internet mobile, como o número de visitantes únicos, as interações nas redes sociais (o Google ranqueia cada comentário emitido no Facebook ou no Twitter envolvendo uma marca, por exemplo), o número de páginas visitadas dentro do mesmo domínio e até as landing pages mais acessadas.

Como é possível perceber, basear o SEO exclusivamente nos tipos de buscas que os internautas fazem é realmente pouco para abranger a nova experiência do usuário, que agora tem o mundo inteiro ao alcance dos dedos, a partir de um clique.

E então, gostaria de ficar por dentro de mais assuntos como esse? Então nada de perder tempo: assine agora mesmo a newsletter e ainda aproveite para baixar seu e-book Guia de UX para aumentar a conversão do seu e-commerce.

e-book Guia de UX para aumentar a conversão do seu e-commerce

Precisa receber pagamentos? Conte com o Moip

A Wirecard é uma empresa que oferece soluções de pagamento para lojas virtuais e físicas, assinaturas online e marketplaces. Nossos clientes contam com mais de 15 de meios de pagamento, ferramentas de gestão de risco, além de uma adesão simplificada.

Conferido com o certificado de segurança PCI DSS (reconhecido mundialmente), a Wirecard é utilizado por mais de 50 mil negócios, desde start-ups até empresas estabelecidas, e processa mais de 1 milhão de transações online a cada mês.

Receba pagamentos

A missão da Wirecard é facilitar o envio e o recebimento de pagamentos eliminando distâncias e integrando pessoas e empresas. As cobranças podem ser encaminhadas via o e-mail ou para o smartphone de quem deve pagar. O pagador também encontra diversas opções para pagamento como: cartões de crédito, boleto e débito bancário.

A Wirecard possui interfaces para o recebimento de doações, venda de conteúdo digital, carrinho de compras e muito mais. Além disso, a administração de sua Conta da Wirecard pode ser feita pelo computador ou smartphone.

Aumente as suas taxas de conversão

A Wirecard é criador do sistema de Checkout Transparente, que oferece uma experiência de compra inteligente e ágil para o seu cliente, pois viabiliza que todo o processo de compra seja feito sem redirecionamentos de página. Essa solução é conhecida por garantir um aumento nas taxas de conversão em até 30%.

Garanta um aumento em suas taxas de conversão oferecendo uma experiência de compra inteligente para os seus clientes e acabe com os abandonos de carrinho! Baixe o nosso e-book clicando no banner abaixo!

e-book-checkout-acabe-com-os-carrinhos-abandonados-na-hora-do-pagamento-og

Acesse wirecard.com.br/blog e confira todas as nossas soluções!

5 dicas rápidas e poderosas para vender mais no Dia das Mães

Não é de hoje que o comércio utiliza datas sazonais para impulsionar vendas. Neste período, estamos próximos da 2ª data com maior faturamento no e-commerce: o Dia das Mães. Fique atento à essas 5 dicas bem rápidas e eficientes para pegar a onda e vender muito mais na sua loja virtual. Vamos lá?

#1 Mãe é única

Então, o modo como se vende no Dia das Mães também precisa ser diferente. Vale colocar no site imagens de mamães com seus filhos, famílias, investir na aparência dos produtos e até mudar a cor da página por este período. Use a criatividade para cativar, emocionar e atrair mais consumidores para o seu negócio.

#2 Invista em E-mail Marketing

Estamos em uma era em que o e-mail marketing domina o mercado. Sendo assim, faça bom uso desta poderosa ferramenta de comunicação e venda. Para uma ocasião que mexe tanto com a emoção, por se tratar de alguém tão especial, produza um e-mail marketing personalizado. Trabalhe design, promoções, descontos, priorize clientes fiéis e ofereça frete grátis.

#3 Propaganda: a alma do negócio

Frase velha, mas, sobretudo, VERDADEIRA. Divulgue a promoção de Dia das Mães em todos os canais e comunicação da sua loja. Redes sociais, site, e-mail marketing, anúncios em portais, mas fique atento: não importa o meio e sim a qualidade na informação que você quer transmitir.

#4 Faça ofertas relâmpago

Conhecemos bem a fama do brasileiro de deixar tudo para a última hora. Se é assim, por que não criar ofertas relâmpago dias antes da data e até mesmo no dia? Se a promoção for boa e tiver propaganda eficaz, com certeza trará bons resultados. E, se o presente for algo que a mamãe realmente quer, ela não se importará em esperar por alguns dias pela entrega do produto.

#5 Mantenha o seu estoque sob controle

Da mesma forma que esta data pode fazer com que sua loja atinja um pico nas vendas, se não for bem planejada e administrada, ela pode trazer consequências ruins para a imagem do seu e-commerce. Programe-se, cumpra prazos e tenha sempre um controle eficiente do estoque.

5 erros mais comuns cometidos em um e-commerce

Quando surpreendidos pelas incontáveis oportunidades que um e-commerce pode oferecer, muitos futuros empresários do ramo de negócios virtuais acabam não planejando devidamente o empreendimento e derrapam logo no começo das operações. (mais…)

Vantagens da “Compra com um Clique” e como integrá-la corretamente no seu e-commerce

Para quem compra pela internet nada melhor que ter agilidade e segurança na hora de finalizar o pagamento. Esta também é uma das partes mais importantes do processo de venda para o lojista. Com um checkout mais simples e intuitivo, sem grandes obstáculos, o vendedor tem mais conversão e menos abandono de carrinho.

Nesse sentido, a “compra com um clique” é uma ferramenta estratégica para otimizar o processo de pagamento e-commerce. Veja abaixo algumas vantagens de oferecer essa opção para o seu cliente e como funciona o processo de integração:

#1 Menos tempo, mais conversão no site:

Quando o cliente usa a Compra com um Clique o pedido dele é processado automaticamente sem passar pelo carrinho de compras. Esta é uma vantagem grande já que geralmente o passo a passo do carrinho de compras oferece ao consumidor o tempo da dúvida, principalmente ao apresentar informações sobre prazo de entrega, preço do produto, tipos de pagamento, parcelas, valor do frete, etc.

O cliente também pode optar pela compra com um clique por estar sem os dados de seu cartão no momento em que vê uma boa oferta. Na Compra com um Clique o cliente não precisa se preocupar em preencher formulários extensos e nem ter os dados de cartão em mãos (eles já estarão armazenados previamente no seu site). Além disso, ele tem menos chance de ser “barrado” por erros de preenchimento e ainda ganha tempo para navegar mais no seu site.

#2 Mais agilidade e confiança:

Se por um lado o cliente quer mais agilidade durante o pagamento online ele também espera mais segurança do seu e-commerce. Por isso se você quer implementar a Compra com um Clique considere oferecer a ela também um ambiente seguro de armazenamento e tráfego de dados. Uma boa opção é contar com o apoio de uma solução de pagamentos com certificação PCI e Gestão de Risco.

#3 Compra com um Clique como estratégia de fidelização:

A Compra com um Clique também pode ser usada para consolidar a venda dos clientes indecisos. Se você já sabe qual produto seu consumidor está interessado ou se ele é um comprador recorrente que tal enviar um e-mail com a opção de compra com um clique para ele? Reforce a vantagem da rapidez da compra, mas também não se esqueça de informá-lo sobre o funcionamento e as regras da Compra com um Clique no seu e-commerce para evitar devoluções e chargeback.

“Não me surpreenderia ver esse tipo de transação sair da internet e ir para o mundo físico, como já acontecem em diversos outros países do mundo. Por exemplo, quando você vai à academia nos Estados Unidos eles já associam sua digital ao seu cartão de crédito. Da mesma forma que você usa sua digital para entrar na academia, você a utiliza também para comprar um lanche, pagar por uma toalha extra.

É como “1 click”, ou melhor, “1 toque”…” Para integrar a Compra com um Clique usando Wirecard é necessário integrar o Checkout Transparente. Veja alguns pré-requisitos:

1) Utilizar API Wirecard:

Você deve ter a ferramenta API habilitada em sua conta da Wirecard e utilizar sua KEY e TOKEN para se autenticar na API e poder processar as requisições.

2) Possuir informações de identificação do comprador/cliente:

Você deverá ter as informações para enviá-las na instrução XML e conseguir processar o pagamento.

3) Desenvolver Checkout próprio:

O Checkout é o momento no qual seu cliente seleciona a forma de pagamento e informa seus dados. O Transparente permite que você desenvolva essas telas com seu layout e de acordo com suas regras de negócio.

4) Informar ao comprador/cliente que a transação é processada pela Wirecard:

Você deverá informar ao seu cliente que a Wirecard é responsável pelo processamento da transação. Além de transmitir segurança, isto evita o “não reconhecimento” do nome Wirecard na fatura. Além disso, a Wirecard garante a segurança para compradores, caso ele tenha algum problema, podendo inclusive diminuir as suas contestações diretamente no banco emissor e resolvendo os problemas.

Gostou desse texto? Quer experimentar a ferramenta de Compra com um Clique e alavancar os resultados do seu negócio? Entre em contato conosco!

Checkout transparente: a ferramenta de pagamento com foco no vendedor

O checkout é uma das etapas mais importantes durante o processo de venda em um e-commerce. Em poucas palavras, o checkout é o conjunto de passos para realizar o pagamento de um produto ou serviço online (desde colocar o produto no carrinho até a confirmação do pagamento). Um checkout transparente promove um aumento nas taxas de conversão de um site, justamente por proporcionar uma experiência de compra otimizada para o cliente.Sem um checkout eficiente, todo o investimento em marketing, pesquisas de usabilidade e captação de leads podem ser perdidos já que é justamente nessa etapa que o cliente decide se vai ou não comprar o produto. Por isso cada elemento que o vendedor inserir nesse processo deve ser cuidadosamente pensado e acaba sendo responsável pela desistência do consumidor ou pela venda bem-sucedida. O checkout transparente impede que os abandonos de carrinho aconteçam na sua loja virtual, porque facilita o processo de compra de um produto.

Além dos fatores relacionados ao comportamento do próprio comprador, como por exemplo o arrependimento e a distração, outros detalhes como número de etapas para a realização do pagamento e a experiência de uso que o vendedor proporciona para seu cliente durante a finalização da compra são fortes impactadores de conversão.
Segundo pesquisas da Forrester Research, checkouts complicados são responsáveis por 11% dos abandonos de carrinhos, enquanto que a obrigatoriedade de apresentar dados (formulários) é responsável por 14% das desistências. Outro item que pode “atrapalhar” a finalização de uma venda é a presença do Um intermediador de pagamento, como o Wirecard, oferece um checkout transparente, que livra o cliente do redirecionamento de páginas, aumentando as taxas de conversão de um site.

Se, por um lado, empresas coma Wirecard, Pagseguro, MercadoPago e Paypal trouxeram mais praticidade para os negócios solucionando todas as demandas do lojista – como segurança nas transações e oferta de vários meios de pagamento – ao se posicionarem como intermediadores incluíram no processo seu próprio fluxo de checkout e em alguns casos também inseriram etapas desnecessárias como preenchimento de cadastros e abertura contas.

Pensando em simplificar esses processos e aumentar a conversão de seus lojistas, a Wirecard criou em 2012 o checkout transparente, tornando-se a primeira empresa de pagamentos a dar preferência ao lojista no processo de checkout. “Na Wirecard já existia o conceito do “Pagamento Direto”, mas nós precisávamos desenvolver uma solução que facilitasse a integração e ao mesmo tempo fizesse o armazenamento seguro e inteligente de dados para viabilizar a compra por um clique. Por isso optamos pela tecnologia JavaScript que é compatível com os módulos ASP, PHP, Java, Ruby, de fácil integração.

Outra vantagem que oferecemos para o vendedor ao criar o Checkout Transparente é que o lojista fica automaticamente coberto pelo nosso certificado de segurança do PCI, já que as informações da transação dele vão direto para o servidor da Wirecard. Assim, além do vendedor fornecer total segurança para os compradores não precisa se preocupar em se adequar a essas regras e padrões”, diz Breno Oliveira, um dos desenvolvedores que criaram o checkout transparente da Wirecard.

Para os vendedores, além de ser uma solução com foco na conversão dos lojistas, o checkout transparente favorece muito a experiência de pagamento do cliente. “No Zarpo, implementamos o one-step check-out através do check-out transparente da Wirecard desde o inicio da nossa operação. Conseguimos obter uma experiênca do usuário avançada em poucas horas sem ter que abrir mão de todo o leque de serviços de pagamento que Wirecard oferece”, disse Pierre-Eloi Déchery, CEO da plataforma de viagens Zarpo.