Split de pagamento na prática: situações onde ele pode ser adotado

Ao longo dos últimos anos, o mercado de e-commerce vem crescendo de forma significativa. Junto a esse movimento, bem como impulsionadas por fatores como a transformação digital e o novo perfil do consumidor, estão as ferramentas que podem ser utilizadas para facilitar o dia a dia das empresas e otimizar a experiência dos clientes. O split de pagamento é uma delas. 

O recurso, que vinha sendo utilizado pelo varejo físico há algum tempo, chegou ao comércio eletrônico recentemente, mas já faz parte das operações de muitos varejistas e negócios de outros setores. Se você está aqui, provavelmente é porque ouviu falar sobre a solução e quer saber se a mesma pode auxiliar a sua organização.  

Nesse caso, chegou ao lugar certo. Acompanhe o artigo, saiba mais sobre o conceito e conheça algumas formas práticas de utilização. 

O que é split de pagamento?

Split de pagamento é o nome que se dá à possibilidade de um mesmo cobrador dividir uma transação financeira em diversos pagamentos. Desse modo, os diferentes agentes, ou vendedores, recebem o valor devido de forma automática e sem repasses e bitributação.

É uma funcionalidade muito usada no método de cobrança de comissão sobre as vendas, como é o caso de marketplaces como o Mercado Livre, Submarino e Magazine Luiza. Além disso, aplicativos como Uber e Airbnb também utilizam a ferramenta. 

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo. Imagine que um consumidor faz uma compra de R$500,00 no marketplace, valor que é repassado para intermediadores e lojistas automaticamente no momento do checkout. 

No entanto, na fatura do cartão do cliente aparece apenas o valor total, não sendo discriminada a divisão feita entre os parceiros. Isso facilita tanto os processos das empresas quanto a experiência de compra. 

Em quais circunstâncias o split de pagamento pode ser utilizado?

O split de pagamento pode ser adotado por qualquer negócio que tenha a necessidade de dividir pagamentos de uma mesma transação por diferentes destinatários. Listamos algumas situações específicas para as quais ele pode ser empregado:

  • Compras que envolvem mais de um vendedor

Uma situação que vem se tornando cada vez mais comum, na medida em que o número de marketplaces cresce, é o cliente colocar produtos e serviços de diversos fornecedores no mesmo carrinho. Para o consumidor, a compra continua a mesma, enquanto para as empresas o processo se torna dinâmico, organizado e facilitado, já que as mesmas recebem os valores de forma automatizada e descentralizada, direto da transação, sem a necessidade de repasse ao marketplace. 

  • Uso de dois cartões pelo cliente

Outro exemplo de como o split de pagamento pode ser utilizado é quando o consumidor utiliza dois cartões para realizar uma compra. Isso ocorre por razões como limite insuficiente ou prazos de pagamentos diferentes. Ao contar com essa comodidade, caem as chances de um potencial cliente desistir de adquirir aquilo que precisa ou ir para a concorrência. 

  • Marketplace de serviços

O marketplace de serviços é um modelo de negócios inovador, que tem como objetivo reunir diversos fornecedores em um mesmo ambiente online. Um dos mais conhecidos é o Get Ninjas, que integra soluções como as de limpeza, manutenção, assistência técnica e reformas. 

Para esses casos, o split de pagamento também é uma boa solução. Isso porque tanto o intermediador, no caso o site, quanto os profissionais recebem seus pagamentos de forma automática, confiável e segura.

  • Comissionamento

Outra forma de utilizar o split de pagamento é para situações mais simples de comissionamento. Por exemplo, no caso dos representantes de vendas, os quais podem indicar determinada marca ou produto. Enquanto o valor cheio fica para o marketplace, os mesmos recebem uma porcentagem, repassada na hora da transação, sem necessidade de ir para a conta-mãe e, depois, para o comissionado. 

Como o Moip apoia varejistas a aprimorar o spit de pagamento

O Moip, que foi fundado em 2007 e adquirido pelo grupo PagSeguro é pioneira no split de pagamento, com a solução mais madura do mercado e 100% transacional Seu propósito  é apresentar soluções simples e definitivas para negócios e empreendedores.

Entre as ferramentas disponibilizadas estão o split de pagamento e recurso de checkout transparente, as quais já são amplamente utilizadas no mercado. Para saber mais sobre esses e outros serviços, converse com um de nossos especialistas.

Split de pagamento - Conheça as vantagens


Veja como criar uma campanha de marketing digital ideal para o seu e-commerce

A maioria dos empreendedores estava se planejando para o segundo trimestre de 2020 quando tiveram que iniciar um plano muito maior: sobreviver em meio a uma pandemia. Uma das opções encontradas foi aderir ao e-commerce, assim, as vendas poderiam continuar. No entanto, para que a boa experiência prossiga, o ideal é que as empresas desenvolvam campanhas de marketing digital.

Talvez, no primeiro momento, pensar e colocar em prática uma campanha de marketing online não fosse algo essencial. Porém, agora que as coisas estão um pouco mais calmas, é possível pensar e organizar essa estratégia fundamental para qualquer tipo de negócio. Assim, uma iniciativa que surgiu para garantir sua sobrevivência, pode virar uma alternativa real de lucro para a sua marca.

Para você ter uma ideia, 79,1% das casas no Brasil já contam com acesso à internet, o que é um facilitador para as compras online. Além disso, o comércio eletrônico cresce ano a ano. O relatório WebShoppers 41 apontou que o e-commerce cresceu 16% em 2019, em relação a 2018, faturando, aproximadamente quatro vezes mais do que em 2010.

Como criar uma campanha de marketing digital?

Uma campanha de marketing digital tem 3 etapas: planejamento, execução e análise. De um jeito mais simples, significa que você vai estudar o que pretende fazer, colocar em prática e, depois, avaliar os resultados para saber se a campanha foi um sucesso. Vamos ver como funciona cada etapa com um pouco mais de detalhe!

1 – Planejamento

O ponto de partida do planejamento é definir o objetivo da campanha, o que você deseja com esse trabalho de promoção do comércio eletrônico. Ele é voltado para a sua marca de forma geral? Ou será focado em um produto ou mix de produtos? Ou ficará no ar por um período sazonal, como uma data comemorativa ou uma estação do ano?

Depois, é importante estabelecer em quais canais a campanha será veiculada e por quanto tempo. Lembre-se que estamos falando de algo determinado, por isso não é legal que fique no ar por um longo período, pois as pessoas podem perder o interesse ou achar que não existe um diferencial. À frente falaremos mais sobre os canais de marketing que podem ser usados.

Na sequência, é fundamental verificar se haverá orçamento disponível para investir, uma vez que é possível fazer ações tanto orgânicas quanto pagas. E para fechar o planejamento, não se esqueça de colocar no papel quais são os resultados que você espera alcançar no seu e-commerce com cada campanha de marketing digital que é lançada.

2 – Execução

Chegou a hora de tirar do papel tudo o que foi planejado. A principal dica aqui é: não invente, siga à risca tudo o que você programou, especialmente se houver dinheiro envolvido. Lembre-se que, apesar das coisas estarem ficando um pouco mais calmas, ainda estamos vivendo um período de incertezas. É importante não exceder limites, mas seguir a estratégia que condiz com o negócio.

Faça tudo conforme o planejamento da campanha de marketing digital e vá acompanhando os resultados.

3 – Análise

Como falamos, a análise começa durante a execução, mas sempre no sentido de monitorar. Caso os resultados estejam muito abaixo daquilo que você colocou no planejamento, pode ser necessário fazer algumas alterações na campanha durante o período em que está no ar. Mas só realmente se preocupe com isso se os números forem muito ruins, pequenas variações são normais.

Após o término da campanha de marketing digital, é o momento de avaliar os resultados finais da ação para saber se o e-commerce alcançou ou não o que foi estipulado no planejamento. Os dados colhidos na análise também podem ser aproveitados como base para novas estratégias e promoções.

A principal dica aqui, para quem está dando os primeiros passos no comércio eletrônico, é fazer uma campanha de cada vez. Então, planeje, execute e analise. Veja o que deu certo e o que pode ser melhorado para somente daí começar a próxima promoção

Canais de marketing que posso usar na minha campanha

Existe uma grande variedade de canais de marketing que podem ser usados em campanhas de divulgação online, mas isso não significa que você precisa usar todos. Você deve escolher aqueles que são mais adequados ao seu tipo de negócio e também ao público que você quer atingir. Não adianta, por exemplo, insistir nas redes sociais, se quem compra da sua empresa não está lá.

A melhor forma de conhecer o seu público é estabelecer personas para o seu e-commerce. Elas são como personagens que reproduzem o perfil do cliente ideal e trazem dados como idade, gênero, classe social, estilo de vida e necessidades de quem seria o consumidor em potencial de uma loja. Para entender, em detalhes, como definir personas para o seu negócio, acesse este artigo!

Conhecendo o seu público, fica muito mais fácil escolher o canais de marketing. No ambiente digital, pode-se destacar:

  1. Redes sociais: As redes sociais conquistaram a atenção dos brasileiros. Estima-se que, no país, 95,2 milhões de pessoas estejam ativas em pelo menos uma rede social. Com certeza, algumas delas, como o Facebook e o Instagram, as mais populares por aqui, são um ótimo canal para o seu e-commerce mostrar presença com conteúdo para se relacionar e adquirir novos contatos.
  2. E-mail: Uma das primeiras ferramentas de comunicação digital, o e-mail ainda conta com sua importância há muito estabelecida. Ele continua sendo usado pela maioria das empresas para se relacionar com os contatos.
  3. Busca orgânica: As ferramentas de busca representam um dos grandes concentradores de audiência da internet. Só o Google concentra, em média, 6 bilhões de buscas por dia. Um dos pontos importantes deste canal é o fato de que, geralmente, o público que pesquisa sobre um assunto em um buscador já sabe o que quer.
  4. Referência: Assim como uma rede social ou um buscador pode trazer público para o seu negócio, outros sites também podem funcionar como um canal de acesso a ele, basta que você seja referenciado. Geralmente, a referência ocorre por meio de conteúdo de sites e blogs, porém, se você tem uma loja virtual bacana ou mesmo uma página no Facebook, esse link pode ser usado para que outros estabelecimentos possam indicar a sua marca.
  5. Tráfego direto: Esse canal representa quem entra diretamente no seu site, sem vir de outra página da internet. Isso significa que a pessoa já conhece o seu e-commerce e digita o endereço no navegador, sem precisar ir no Google pesquisar, por exemplo. O tráfego direto indica, na maioria dos casos, que a marca conquistou relevância diante do público, que já gravou informações sobre ela.
  6. Mídia paga: Podemos dizer que este é um canal que atua dentro de outros canais, pois por meio de mídias pagas é possível construir modelos de “venda” de audiência. Mesmo que seja possível alcançar um certo público no Facebook de forma orgânica, por exemplo, chegar sempre no público certo é bastante difícil. Com a mídia paga, você consegue que esse percentual aumente de modo considerável.

Agora que já vimos como criar uma campanha de marketing digital, quais canais podem ser usados e até como definir o público específico para um negócio, chegou a hora de detalharmos quais são os tipos de ações que podem ser feitas. Vamos lá?

Ações de uma campanha de marketing digital para começar agora mesmo

Como já dissemos, ainda estamos vivendo um período de incertezas, pois a situação da pandemia não está totalmente controlada. Precisamos ter um cuidado extremo com a higiene e ainda não sabemos quando os negócios voltarão a operar dentro da normalidade que estávamos acostumados. Então, o mais indicado é investir em ações que possam otimizar as vendas do comércio eletrônico.

Aqui, separamos ações de uma campanha de marketing digital que você pode implementar agora mesmo no seu comércio eletrônico:

Redes Sociais

Para quem está começando, uma ótima forma de aparecer para o público é criar páginas e perfis nas redes sociais. Mas fique atento: opte sempre pelas páginas corporativas. No Facebook, por exemplo, não use o seu perfil pessoal para falar da sua marca. Faça uma página específica para o e-commerce, pois além de ficar profissional, isso dá alguns benefícios na hora promover publicações e anúncios. O mesmo vale para qualquer rede, como Instagram, LinkedIn, Twitter, YouTube, entre outros.

Nas redes, é possível criar conteúdo de divulgação orgânico, para manter uma relação próxima com o público, mas também desenvolver campanhas pagas, com posts patrocinados e anúncios. As próprias mídias têm suas ferramentas de marketing integradas, que permitem criar e gerenciar as campanhas. A sua parte é fazer bom planejamento, execução e análise.

Links patrocinados

Os links patrocinados estão disponíveis nas redes sociais e em motores de busca. A proposta é simples: pagar por campanhas para que elas tenham impulsionamento e, dessa forma, alcancem um maior número de pessoas, trazendo mais visibilidade à marca. Uma das formas mais conhecidas são aqueles anúncios que aparecem no topo das buscas no Google.  

Há vários formatos disponíveis para você anunciar por meio de links. A escolha pelo tipo que você vai usar é feita quando a campanha é configurada na plataforma do Google ou da rede social escolhida. Eles estão separados em:

  • Custo por clique (CPC): o anunciante paga a cada clique no link;
  • Custo por mil impressões (CPM): a cobrança ocorre quando o anúncio atinge mil visualizações;
  • Custo por ação (CPA): o anunciante só é cobrado quando o usuário (cliente) realiza alguma ação relacionado ao anúncio;
  • Custo por visualização (CPV): para cada pessoa que ver o anúncio, é pago um valor.

O valor a ser investido em cada um dos formatos vai depender do modelo e da palavra-chave escolhidos pelo anunciante.

E-mail Marketing

Por ser uma das ferramentas mais antigas no meio digital, o e-mail segue como método interessante para se comunicar com o público. Em campanhas de marketing digital, ele é usado em estratégias de e-mails marketing, pois possibilita a comunicação com uma ampla seleção de contatos de um só vez. Ele auxilia na captação de novos leads e também na nutrição dos clientes com informações do negócio.

Você pode fazer um campanha de e-mail marketing, por exemplo, para avisar os cliente mais fiéis sobre a chegada de uma nova coleção com exclusividade. Ou escolher determinados consumidores, que você sabe que gostam de um produto específico, pois estudou sua clientela, e oferecer um desconto especial para queima de estoque.

Conte com a Wirecard!

Fazer uma campanha de marketing digital vai ajudar e muito o seu e-commerce nesse momento, mas você também não pode deixar de oferecer facilidades na hora de receber do seu cliente. E para isso, conte com a Wirecard. Nós temos uma solução de pagamentos completa para o seu negócio, que disponibiliza diversas opções ao consumidor, facilitando o seu dia a dia. Se quiser saber mais sobre a nossa solução de pagamentos, entre em contato ou acesse nosso site. Reforçamos nosso compromisso com os clientes e deixamos nosso time à disposição para ajudar você nesse momento. Confira a campanha “Conte com a Wirecard” e, como ela bem indica, conte com a gente!

Marketing em redes sociais: 5 dicas para você divulgar seu negócio

Seja no Facebook, no Twitter, no Instagram ou em qualquer outra rede social, hoje é difícil encontrar quem não tenha ao menos um perfil na web, não é mesmo? E não estamos falando apenas de pessoas físicas, mas também de pessoas jurídicas! Essas redes estão aí para aproximar público e marcas, trazendo uma nova dinâmica de relacionamento entre empresas e consumidores. E se o que você está buscando é justamente mais proximidade com seus leads e clientes, não pode deixar de conferir as 5 dicas de marketing em redes sociais que preparamos. Acompanhe:

Encontre seu público

Para começar a fazer marketing em redes sociais, o primeiro passo consiste em saber por onde seu público anda. E por mais que, no Brasil, as plataformas de maior sucesso sejam o Facebook, o Twitter, o LinkedIn e o Instagram, nada impede que você também avalie sua presença em outras, como Pinterest, Reddit, Snapchat, Medium e assim por diante. Tudo depende do perfil de seus consumidores e como eles preferem manter contato com sua marca.

Assuma a linguagem do canal

Cada rede social tem suas particularidades, que devem ser respeitadas para que você aproveite ao máximo tais ferramentas. No Twitter, preze por informações pontuais, que levem até o site ou o blog da sua empresa. Já no Facebook você pode ser mais eclético, mesclando informação e entretenimento, com algumas pitadas de publicidade de vez em quando. No LinkedIn, porém, sua linguagem deve ser mais formal, visando criar uma rede de conexões profissionais. Vale fazer uma pesquisa antes, além de observar a interação de outras marcas com os usuários. Mas é com o tempo e a prática que você pega o jeito, fazendo a comunicação fluir naturalmente.

Diversifique o conteúdo

Respeitando as características de cada rede social, você não só pode como deve diversificar os conteúdos publicados para alcançar um número maior de pessoas. Pode ser que parte do seu público no Twitter não goste tanto de frases lançadas ao acaso, mas se prenda a conteúdos com imagens ou vídeos. O mesmo ocorre no Facebook e no LinkedIn. Lembrando que, como as imagens são chamarizes difíceis de serem ignorados, devem ser usadas sempre que possível. Basta pensar no sucesso do Instagram para ver como elas são poderosas para conectar marcas e pessoas!

Seja sociável e participativo

Mais do que ficar publicando posts automaticamente, para fazer um bom marketing em redes sociais você precisa participar. Dialogue com sua audiência, faça enquetes, lance perguntas e peça opiniões. O segredo está em criar oportunidades para que seu público interaja com a empresa e se sinta parte dela. Lançar um concurso para nomear um novo produto, por exemplo, pode ser uma boa forma de engajar a audiência, fazendo com que as pessoas se interessem mais em saber o que seu e-commerce faz.

Acompanhe sua evolução

É preciso entender que marketing em redes sociais é uma estratégia de médio a longo prazo, afinal, as pessoas não criam confiança na marca de um dia para o outro. Antes, observam e fazem algumas interações para, aos poucos, desenvolverem empatia. Para não deixar que nada escape a seu olhar e, assim, possa continuamente melhorar sua estratégia, fique de olho nas reações. Monitore o comportamento de seus seguidores, veja o que eles falam, quando falam, como falam, se compartilham seus posts, se comentam, se mencionam a marca. Estar atento a todas as movimentações dos usuários permitirá que você entenda melhor como chegar até eles, envolvendo-os com suas ações de marketing em redes sociais.

Como anda sua estratégia de marketing em redes sociais até o momento? Que outras ações você agregaria à nossa lista? Deixe seu comentário e participe da conversa!

marketing digital para empreendedores