Google Ads para e-commerce: o caminho para fazer uma campanha de sucesso

Com resultados positivos nos últimos anos ― só em 2019, segundo a 41ª edição do WebShoppers, cresceu 16% em relação a 2018 ―, a previsão é que o comércio eletrônico se consolide de vez com a pandemia do coronavírus. Por isso, os negócios online precisam estar preparados para investir e se destacar. Uma forma de fazer isso é por meio de campanhas de Google Ads para e-commerce.

Para ajudar você nesse desafio, criamos um tutorial de como fazer esse tipo de campanha, com todas as informações e detalhes necessários para a criação de um anúncio de sucesso. Siga com a gente e confira!

Como fazer uma campanha de Google Ads para e-commerce

Acompanhe o nosso passo a passo para começar uma campanha de Google Ads agora mesmo:

1º passo: Crie uma conta no Google Ads

Para começar a anunciar, você pode utilizar uma conta que já tem no Google ou cadastrar uma nova somente para gerenciar a publicidade do seu e-commerce. É importante definir a forma de pagamento que você pretende utilizar, sendo possível trocá-la sempre que necessário. Hoje, o Google Ads disponibiliza o pagamento em boleto, cartão de crédito e pelo Mercado Pago.

2º Passo: Defina os objetivos

Para montar uma campanha de Google Ads para e-commerce, listar os objetivos é o princípio mais básico de todos. Então, escolha os produtos que deseja anunciar, qual público quer atingir, quais são as metas de venda, quanto tempo vai durar a ação e qual será o investimento disponível.

Ao definir os produtos que farão parte da campanha, você já pode criar alguns instrumentos que serão usados nas campanhas. Veja alguns deles:

  • Landing pages (LPs): se a proposta da campanha é promover determinados tipos de produtos, crie LPs específicas para eles. Dessa forma, os usuários serão direcionados exatamente para o anúncio sem precisar pesquisar, evitando assim que se distraiam com o restante do site. Garanta, no entanto, que a LP tenha um forte apelo à ação.
  • CTAs: para assegurar que esse chamado à ação funcione, devem entrar em cena os CTAs, que são os botões que levam o usuário para mais perto do fechamento do negócios, como os de Compre, Experimente e Assine.

3º passo: Impacte seu cliente

Com os objetivos e as landing pages definidas, está na hora de focar no público que será impactado pela sua campanha. Para isso, você precisa saber para quem está segmentando, usando palavras-chaves relevantes, e como afetar essas pessoas com uma mensagem forte.

As palavras-chaves do Google Ads para e-commerce precisam abordar cada fase da jornada do comprador, serem específicas sobre o seu produto e fazerem referência à sua LP. O ideal, sempre que possível, é ter uma lista entre 10 e 20 palavras-chave para cada produto que você vai anunciar. Dessa forma, os resultados da sua campanha serão muito melhores.

Para quem ainda não está muito acostumado com esse processo, o próprio Google tem uma ferramenta de planejamento de palavras-chave: o Keyword Planner (gratuita para quem tem conta no Google Ads). Com ela, você consegue achar novos termos para serem usados nos anúncios e também avaliar buscas mensais feitas por uma palavra, além da concorrência por ela. Quanto mais alta a concorrência, mais caro será o anúncio ― falaremos sobre valores daqui a pouco.

Em relação às mensagens, não espere o momento de cadastrar a campanha para pensar nelas. Do mesmo modo que parou para construir as landing pages e os CTAs e para listar as melhores palavras-chaves, tire um tempo para escrevê-las. Foque em destacar sua proposta de valor, aquilo que o diferencia da concorrência e que mais vai chamar atenção do seu público.

4º passo: Estabeleça o orçamento e as formas de anunciar

Podemos dizer que chegamos ao último passo referente à parte mais estratégica de uma campanha de Google Ads para e-commerce: a definição do orçamento. Também é uma parte que está diretamente ligada aos objetivos da ação, pois o investimento depende da quantidade de pessoas que se pretende alcançar ou do volume de produtos que quer vender.

É importante ter claro que você pode começar com um valor baixo e ir aumentando conforme o desempenho dos resultados. Dessa maneira, é possível investir o seu dinheiro de forma cautelosa, buscando a otimização do ROI.

Para definir o valor do orçamento, também é preciso determinar qual será o lance escolhido para cada anúncio, ou seja, de que modo pretende pagar pela sua campanha. O Google Ads usa quatro formas para calcular esses custos:

  • CPC (custo por clique): é a opção em que você paga por cada clique que ocorre em seu anúncio. Normalmente é usado para campanhas que têm o objetivo de levar um grande números de usuários para a página de destino (landing page do produto, por exemplo). É um dos lances mais usados, pois costuma trazer mais retorno.
  • CPM (custo por mil impressões): é utilizado, geralmente, quando o objetivo é a mensagem ser vista por um grande número de pessoas. Neste caso, o anunciante só paga quando o anúncio recebe mil impressões (visualizações), independentemente do número de cliques.
  • CPA (custo por aquisição ou custo por ação): é usado para aumentar a execução dos objetivos da campanha, podendo ser uma compra, um download, uma inscrição, entre outros. O anunciante somente vai pagar quando o usuário fizer a ação determinada na landing page, por exemplo.
  • CPV (custo por visualização): este é um lance usado para campanhas que utilizam vídeo. A cobrança ocorre somente quando o vídeo é assistido.  

5º passo: Configure a campanha do Google Ads para e-commerce

Agora que já estamos com as questões estratégicas resolvidas, está na hora de irmos para a ferramenta e colocarmos mãos à obra. Se você nunca trabalhou com o Google Ads, fique tranquilo, pois ele é bem intuitivo. Caso preciso, há menus com ajuda e textos bem explicativos. Mas com esse nosso artigo, você vai tirar de letra, temos certeza.

Então, acesse a sua conta, vá até a guia Campanhas e clique no botão com o sinal de mais (+) para criar uma nova. Existem vários tipos de anúncios disponíveis na plataforma. Você deve escolher aquele que melhor se encaixa com a proposta da sua campanha, com os seus recursos e a realidade do seu negócio. Esses são alguns deles:

  • Rede de pesquisa: é o mais comum. É aquele resultado que aparece nas primeiras posições com o aviso de “anúncio” destacado. Acontece quando o anunciante, no lugar de depender do ranqueamento orgânico para um termo, patrocina palavras-chaves específicas no Google para que o seu e-commerce apareça em uma posição de destaque e consiga mais visitas.
  • Google Shopping:  é um serviço que permite a oferta de produtos de sites de compras online, sendo que os consumidores podem ver e comparar os preços mesmo antes de clicar no anúncio e ser direcionado para a página do e-commerce.
  • Rede de display: são os anúncios que podem ser exibidos em outros produtos do Google, como o Youtube, Google Maps, e em sites afiliados à empresa. Uma das grandes vantagens aqui é a possibilidade de fazer esse patrocínio usando elementos gráficos e audiovisuais.
  • Remarketing: é o anúncio que resgata o cliente para o seu e-commerce após a visita inicial. A partir da instalação de um código especial nas páginas dos produtos vendidos na sua loja online, é possível segmentar campanhas de anúncios específicos para as pessoas que saíram da página sem concluir a compra. Dessa forma, o usuário receberá por um tempo um reforço da sua campanha.
  • Anúncios em aplicativos: essa é outra oportunidade de Google Ads para e-commerce. Se a sua loja virtual tem um app, essa pode ser uma ótima alternativa para estimular as pessoas a baixarem e usarem o recurso. Caso ainda não tenha um aplicativo, você divulgar seus produtos em apps de terceiros, relacionados com o seu segmento de atuação.

Com isso entendido, vamos ver as etapas para configurar uma campanha do tipo rede de pesquisa, já é uma das mais comuns e que traz bons resultados.

Etapa 1 – Selecione seu objetivo

Lembrando do objetivo que falamos lá em cima, chegou a hora de pontuarmos ele dentro da plataforma. Antes de selecionar o tipo de campanha, faça a opção do objetivo do seu anúncio com base nos resultados que você deseja alcançar. Se você escolheu um produto e quer ter mais vendas, então deve escolher esse objetivo. Caso seja atrair mais visitantes para seu site, deixe isso claro.

Ao longo do processo, o próprio Google fará recomendações. Analise se elas fazem sentido com tudo o que você planejou. Se a resposta for positiva, você pode acatar. Um bom exemplo são os campos das configurações gerais, que podem ser preenchidos quando você tem informações relevantes para colocar ali.

Etapa 2 – Escolha os locais de destino

Na sequência, é necessário escolher os locais de destino do seu anúncio. É possível incluir e excluir pessoas com base no país, estado, cidade e região. Para segmentar pessoas de determinados países, basta escolher quais deseja e adicioná-los. Isso significa que os usuários das localidades escolhidas verão seus anúncios.

Já se você quer que algumas regiões não tenham acesso a sua campanha, basta digitar o nome do país, estado ou cidade e clicar em excluir.

Etapa 3 – Defina a estratégia de lances

Você já conhece os tipos de lances que podem ser dados, então, é só escolher o que melhor se encaixa com os seus objetivos. Lembre-se, no entanto, que não é necessário começar com o valor máximo do seu investimento. É possível iniciar com uma cota mais baixa, avaliar um período e ir aumentar conforme os resultados.

Etapa 4 – Produza extensões para os anúncio

Antes de criar o anúncio em si, você ainda precisa escrever as extensões de anúncio para a campanha, como sitelinks, frases de destaque e análises de produtos. Essas extensões agregam mais profundidade aos anúncios do que o título padrão e as duas linhas de texto. Segundo o próprio Google, exibir esse tipo de informação adicional aumenta a taxa de cliques em até 15%.

Etapa 5 – Escreva seus anúncios

Quanto mais claros e diretos forem seus anúncios, melhor. No Google Ads para e-commerce, você tem três títulos com 30 caracteres e duas linhas com 90 caracteres cada uma para convencer o público que o seu produto tem mais valor que o do concorrente. Então, aproveite o espaço com inteligência e estratégia. E não esqueça de providenciar uma URL amigável para a sua página, com o nome da sua empresa ou do seu produto bem exposto e legível.

Para que não haja erros, crie sempre de 3 a 5 cinco anúncios para cada um dos grupos de palavras-chaves e faça testes com eles para descobrir qual têm uma performance mais compatível com os resultados esperados. Avaliar é essencial para o sucesso das suas campanhas e nos obriga a ficar de olho no que está dando certo ou não.

6º passo: Acompanhe os resultados

Depois de publicar o anúncio é hora de aguardar os resultados. Monitore o desempenho e busque maneiras de otimizá-lo sempre que possível. Somente desse modo é possível garantir que a estratégia de Google Ads para e-commerce está sendo realmente eficiente e causando o impacto desejado no seu negócio virtual.

Esperamos que este conteúdo seja bastante útil para o seu dia a dia e você possa voltar a ele sempre que tiver dúvidas sobre como fazer uma campanha no Google Ads para seu e-commerce. E, como você já sabe, conte sempre com a Wirecard e nossas soluções de pagamento para seu e-commerce.

Como fazer boas landing pages para seu e-commerce

No universo do e-commerce, as landing pages se mostram como verdadeiras aliadas nos processos de atração e conversão de visitantes em leads, ampliando sua base de contatos para uma estratégia de marketing digital personalizada e efetiva. Esses recursos criam conexões com os visitantes, complementando um anúncio ou um CTA de modo a fazer com que a oferta de valor se torne ainda mais atrativa para quem está procurando por aqueles produtos ou serviços.

Exatamente por isso é que, ao pensar em criar landing pages para seu e-commerce, você precisa traçar uma estratégia que leve os usuários a se tornarem potenciais clientes, construindo o ambiente ideal para que a conversão ocorra sem demora e com precisão. Para tanto, procure conhecer os elementos imprescindíveis para uma landing page de sucesso. Curioso? Então confira:

Propósito definido

Cada landing page deve ter um propósito. Você pode simplesmente querer captar dados dos visitantes para iniciar um relacionamento ou vender um produto ou serviço, por exemplo. O importante é que o propósito esteja alinhado a seus objetivos de marketing e também a outras estratégias que deem suporte à landing page (como anúncios pagos, chamadas em redes sociais ou CTAs ao final de um blog post).

Página única

Prefira sempre ter sua landing page separada do seu e-commerce para evitar distrações. Lembre-se de que, como página de destino, ela tem um objetivo único: a conversão. Elimine, portanto, outros elementos que possam desvirtuar o visitante dessa proposta. Só deixe o convite para acessar seu site, para a página de agradecimento, depois que o visitante tiver cumprido aquilo que você espera.

URL otimizada

A URL nada mais é que o endereço on-line da sua landing page, um dos primeiros elementos a serem identificados pelos buscadores. Se um internauta está procurando por camisas polo em São Paulo e, coincidentemente, você tem uma landing page para a venda de camisas polo no Estado, o ideal é que a palavra-chave camisa polo esteja na sua URL. Dessa forma, o internauta consegue encontrar mais facilmente sua empresa e pode desfrutar de suas ofertas.

Título atraente

O título deve ser chamativo e contribuir para aguçar a curiosidade e o interesse do visitante, fazendo com que ele queira saber mais a respeito do que você está ofertando. Use as palavras-chave da sua oferta no título, sempre acompanhadas de termos que revelem sua importância. “Tudo o que você precisa saber sobre”, “guia completo” e “X razões para” são bons começos.

Subtítulo completo

O subtítulo deve trazer informações complementares ao título, sempre se aprofundando mais no assunto abordado. Por exemplo: “guia completo para e-commerces de sucesso: tudo o que você precisa fazer para aumentar o número de conversões na sua loja virtual”. No caso, você está chamando a atenção para e-commerces e dizendo que, ao ler tal material, o visitante saberá tudo o que precisa para aumentar seu número de conversões. Aí é só lançar a isca e fisgar!

Imagens relevantes

Acredite: as imagens concentram mais informações do que você pode imaginar. Por isso, são ideais para captar a atenção do usuário e transmitir sua mensagem. Levando isso em conta, escolha imagens que representem sua oferta de valor (como a foto do produto que está vendendo). Se sua landing page tem como intuito captar dados dos visitantes com o download de um conteúdo rico, use imagens que ilustrem esse conteúdo (como um livro para um e-book ou o print de uma tela para um webinar, por exemplo).

Layout caprichado

O layout também contribui para aumentar o número de conversões, já que a harmonia de cores e elementos torna a página mais atrativa e agradável para quem a visita. Por isso, quando você for criar suas landing pages, tenha certeza de que as cores combinam, de que o texto é perfeitamente legível, de que a imagem está estrategicamente posicionada e de que o formulário e o CTA estão em destaque. E não se esqueça que menos é mais! Assim, deixe bastante espaço em branco na página para facilitar o encontro das informações e a leitura!

Formulário destacado

O grande objetivo da sua landing page é levar visitantes à conversão, certo? No caso da captação de dados para iniciar um relacionamento, você terá um formulário que deverá ser preenchido. Esse formulário deve solicitar apenas os dados imprescindíveis para que você tenha um primeiro contato com cada lead. Nas próximas interações, você pode incrementar esses formulários com outras informações, criando um perfil completo sobre sua audiência.

CTA infalível

O CTA (ou call to action) deve estar envolvido por um botão que não passe despercebido por ninguém. Utilize frases curtas e bem direcionadas, dizendo exatamente o que o visitante deve fazer: “faça o download agora”, “aproveite a oferta”, “resgate seu bônus” e assim por diante. Reparou como as primeiras palavras sempre estão no imperativo? Esse recurso de copywriting é fundamental para que você convença seu visitante de uma vez por todas a dar o próximo passo.

Prova social

A prova social é uma forma de validar a importância da oferta para quem está visitando sua landing page. Você pode inserir um contador de quantas pessoas já fizeram o download de um material ou resgataram seus cupons de desconto, assim como inserir o depoimento de alguém que já experimentou sua solução e aprovou. Essa prova social aumenta a credibilidade da empresa e instiga as pessoas a quererem desfrutar dos mesmos benefícios que as demais.

Compartilhamento fácil

A geração de leads não precisa ser um esforço unicamente seu. Você pode aproveitar a empolgação da sua audiência, motivando-a a compartilhar sua oferta de valor nas redes sociais, por e-mail ou até mesmo por SMS. Para tanto, insira botões de compartilhamento nas suas landing pages e peça que as pessoas informem suas redes de contatos sobre sua oferta. Quanto mais visitantes você tiver, mais leads manterão contato com seu e-commerce e mais oportunidades de vendas aparecerão.

Validação final

A criação de boas landing pages é um exercício contínuo de teste, validação e ajuste de sua comunicação, a fim de que ela se torne cada vez mais assertiva e alinhada às expectativas do seu público. Então fica aqui uma última dica: faça testes A/B para validar a relevância dos elementos da sua landing page. Altere o título, o subtítulo, as cores, as imagens, a posição do formulário, o CTA ou qualquer outro elemento, observando a reação da audiência. Quando você verificar que chegou a uma landing page perfeita para seu e-commerce, as conversões acontecerão sem muito esforço!

Se gostou das nossas dicas, que tal compartilhá-las com seus amigos, colegas de trabalho e parceiros de negócios? Passe nosso post para frente!

guia de UX para aumentar a conversão do seu e-commerce