Criei uma loja online, e agora? Como escolher a solução de pagamentos?

Diariamente são criadas lojas virtuais dos mais variados setores. Porém, muitas vezes somente após a criação da loja vem a pergunta: e agora, como escolher a solução de pagamentos?

Lembre-se que essa escolha está relacionada diretamente ao fluxo de caixa da sua empresa, portanto uma boa escolha, certamente se refletirá nos resultados do negócio já que se trata do mediador financeiro com os clientes.

Quer saber quais os pontos mais importantes para uma boa escolha? Então acompanhe o post!

Porque a sua empresa precisa de uma solução de pagamento

O meio de pagamento para loja online é o sistema que permite realizar os pagamentos via cartões de crédito, débito ou boleto, dentre outras opções.

Quando os e-commerces implantam uma solução adequada, passam a ter melhor relacionamento com o consumidor, o que gera redução da inadimplência, maximização dos lucros e a segurança para ambos os lados.

E para isso a escolha das lojas virtuais deve ser embasada em determinados elementos, os quais devem ser analisados minuciosamente para que atenda às suas expectativas.

Como escolher sua solução de pagamentos

Para facilitar a decisão sobre a melhor escolha para o seu negócio, listamos algumas dicas importantes que irão te ajudar nesta tarefa:

Compatibilidade com a plataforma de e-commerce: o primeiro passo é verificar quais meios de pagamentos estão disponíveis na plataforma de e-commerce escolhida. As plataformas oferecem diferentes condições. Nesse processo, considere as taxas anuais e mensais do sistema, bem como da ativação do serviço;

Certificados de segurança: um certificado básico para oferecer pagamentos online é o SSL (Secure Socket Layer). Além de criptografar os dados que circulam no ambiente online, estes selos também passam confiança para o público;

Checkout transparente: por mais que os consumidores estejam cada vez mais acostumados com as compras online, o checkout transparente segue sendo fundamental para evitar o abandono de carrinho;

Fácil integração e suporte ao cliente: para que o meio de pagamento seja utilizado com máximo desempenho é fundamental que tenha boa integração com o e-commerce. Portanto, no momento de decidir, verifique a integração e se o suporte oferecido é ágil e eficiente;

Análise de taxas e custos extras: outro fator indispensável no momento de decisão sobre a plataforma de pagamento é verificar as taxas e os custos extras cobrados;

Possibilidade de antecipação de recebíveis: vale considerar a possibilidade de receber antecipadamente os valores das transações; 

Serviços oferecidos: as soluções do mercado variam conforme os recursos e serviços disponíveis aos clientes, por isso é importante analisar quais são eles, como gestão de risco, por exemplo;

– Meios de pagamento oferecidos: um aspecto não menos importante são os meios de pagamento oferecidos, facilitando a conciliação e dispensando mais de um contrato.

Conheça o Moip

O Moip é uma solução de pagamentos online completa e que conta com as principais bandeiras do mercado, análise de riscos, proteção de chargebacks, checkout transparente, pagamentos recorrentes e muito mais.

Contar com a ferramenta certa e de confiança, é decisivo para o empreendedor se manter focado no negócio. O Moip apoia empresas de todos os tamanhos a terem uma gestão financeira de sucesso.

Para saber mais, entre em contato com um dos especialistas.

Veja como ampliar a receita do seu e-commerce usando o pagamento recorrente

O pagamento recorrente não é algo tão novo assim, mas ganhou muita força nos últimos anos, especialmente com a expansão do comércio eletrônico. Na verdade, esse modelo de cobrança, também chamado de assinatura, é um dos que mais cresce ao redor do mundo e o que consegue oferecer vantagens extras para qualquer tipo de negócio.

Um estudo feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) em 2019 aponta que o mercado de clubes de assinatura está em plena expansão e que a tendência é disparar no Brasil. Os números da pesquisa mostram que nos últimos quatro anos os negócios desse segmento aumentaram em 167% sua participação na economia nacional.

A principal característica do modelo, conhecido ainda como venda recorrente ou compra recorrente, é a praticidade na oferta de produtos e serviços. Isso ocorre porque o pagamento por um produto ou serviço acontece de forma contínua, por meio de assinaturas, planos, contratos ou mensalidades. Geralmente a cobrança é mensal e a adesão costuma ser simples, assim como o cancelamento.

É possível implementar o pagamento recorrente nos mais variados tipos de negócios para ampliar a renda e garantir a sustentabilidade da empresa. Para os empreendimentos que usam a internet para as vendas, essa pode ser uma ótima oportunidade de diversificar e criar novas fontes para ganhar mais dinheiro.

Siga com a gente para entender o que é o pagamento recorrente e como você pode usá-lo no seu e-commerce para aumentar a sua receita!

O que é pagamento recorrente

O pagamento recorrente é aquele feito por um período predeterminado. Isso significa que o vendedor estipula um intervalo entre as cobranças, que pode ser mensal, bimestral, semestral, enfim, o melhor prazo conforme o tipo de serviço ou produto oferecido, e o comprador, ao concordar com a recorrência na primeira compra, sabe que fará um pagamento com aquela periodicidade.

Como estamos falando de comércio eletrônico, geralmente essa compra é feita por cartão de crédito ou por débito automático em conta, o que acaba facilitando todo o processo para as duas partes envolvidas. E ambas saem ganhando!

O vendedor consegue ter uma nova maneira de gerenciamento de suas transações, mais automatizada, e não precisa se preocupar em cobrar os clientes todos os meses. Também é um método que ajuda a reduzir a inadimplência, especialmente nas cobranças no cartão de crédito. Além, claro, de se tornar uma receita fixa, garantindo a sustentabilidade do negócio.

Para o cliente, é uma importante forma de não onerar o limite do cartão de crédito, pois não se trata de uma compra parcelada, em que o valor total é reservado no momento da compra. O pagamento recorrente só vai aparecer no cartão na data estipulada no contrato. O comprador ainda garante que terá seu serviço ou produto sempre em mãos, pois estará com a assinatura paga em dia.

Benefícios do pagamento recorrente para o e-commerce

Já citamos algumas facilidades que o modelo de assinatura pode trazer, mas elas não se limitam a diminuir os devedores e assegurar um caixa fixo para o comércio eletrônico. Os benefícios envolvem desde a otimização da gestão financeira até o aumento nas vendas.

Começando pela finanças, o pagamento recorrente torna o controle dos recebimentos muito mais simples, pois há uma data fixa para eles entrarem no caixa do e-commerce. O único trabalho é fazer a conciliação para conferência dos resultados. A atividade de cobrança praticamente acaba, liberando tempo e pessoal para tarefas mais estratégicas.

Como há uma data fixa para os pagamentos, também fica fácil saber quanto dinheiro a empresa terá em cada dia, o que ajuda no planejamento de ações e na realização de campanhas e promoções. Ainda existe o fato de o cliente ter se tornado um freguês, digamos assim, pois você não precisa mais fazer um esforço de marketing e vendas mensal para que ele volte a comprar na sua loja, o que gera economia.

Sobre o cliente, podemos destacar também que se o e-commerce continuar entregando o produto ou serviço com qualidade e dentro do prazos acordados, a fidelização está garantida. Isso leva a dois caminhos: aumento da carteira de negócios com os atuais fregueses e atração de novos clientes — o que proporciona aumento das vendas e, consequentemente, da receita.

Mas a pergunta que fica é: qualquer tipo de e-commerce pode trabalhar com pagamento recorrente? A resposta é sim! Dentro de um nicho de mercado, se você conhecer bem o seu público-alvo e conseguir fazer um planejamento estratégico sólido, qualquer produto ou serviço pode ser vendido. Afinal, a Netflix não começou como um serviço de streaming mundial, certo?

Como aumentar a receita com o pagamento recorrente

Bom, temos dois momentos aqui. Um é aproveitar que o e-commerce já usa o pagamento recorrente e seguir aqueles caminhos que citamos no tópico anterior. O outro é implementar o modelo de assinatura no seu negócio se você ainda não o utiliza ― para isso, vamos dar um passo a passo daqui a pouco.

Digamos que você tem um pet shop online que atende cachorros, gatos, pássaros, peixes e roedores com uma variada gama de produtos, que vai desde ração e medicamentos até brinquedos, coleiras e caixas para transporte. A loja oferece diversas marcas, conta com atendimento de especialistas e trabalha tanto com a venda avulsa quanto com a assinatura.

No modelo de assinatura, uma boa alternativa para gerar mais receita é oferecer produtos que casem com aqueles que o seu freguês já compra. Se ele compra uma ração seca, talvez seja interessante indicar uma ração úmida ou um suplemento alimentar para complementar a alimentação do bichinho. Assim, é mais um item que ele pode incluir na recorrência.

Você também pode criar no site um espaço para os donos dos pets cadastrarem os animais, com foto, nome, medidas (peso, altura, idade), se tem alguma restrição alimentar ou não, data de aniversário e adoção. Dessa forma, quando estiver próximo do aniversário, por exemplo, você pode dar uma dica de brinquedo novo. Esse não precisa entrar na recorrência, pode ser um item incluso apenas uma vez.

Tratando os atuais clientes dessa maneira, fica mais fácil conquistar novos consumidores e aumentar o número de assinantes. É possível até fazer aquele tipo de promoção na qual quem indica e quem assina ganha desconto. Se o planejamento estiver bem feito, só essa ação inicial pode render um bom aumento de receita!

Você deve estar pensando que com um pet shop é fácil, pois donos de animais são doidos por seus bichinhos, além de estarmos falando de produtos essenciais na maioria das vezes. Sim, é verdade. Mas como vimos lá no início do texto, os clubes de assinaturas estão em franca expansão no Brasil e nem sempre eles vendem itens tão imprescindíveis assim.

A Netflix, como citamos, não é um clube de assinaturas, mas usa o pagamento recorrente e não é exatamente um serviço essencial, não é verdade? O mesmo podemos falar do Spotify. Já o serviço de pedágio automático Sem Parar é algo bastante útil, inclusive para melhorar o fluxo do trânsito. Bem como o serviço de manutenção de seus purificadores de água que a Brastemp vende, que funciona como uma garantia ilimitada.

Ou seja: tudo depende do seu público-alvo e dos objetivos da sua empresa. Dois dos maiores clubes de assinaturas brasileiros não são considerados essenciais: vinhos e cosméticos. O clube de vinhos Wine é também o maior e-commerce do ramo no país. Seu diferencial é a quantidade de rótulos e a entrega de qualidade. Você escolhe o seu plano de assinatura e o vinho chega na sua casa.

O Glambox se intitula o maior clube de beleza da América Latina. Para entrar no clube é super simples: você escolhe o tipo de plano, preenche o seu perfil de beleza e passa a receber, mensalmente, uma caixa com produtos personalizados. Nos dois casos, é possível adquirir outros produtos no site, de forma avulsa.

Deu para ter uma ideia de como aumentar a receita do e-commerce usando o pagamento recorrente, não é mesmo? Tanto se você já usa esse modelo no seu negócio quanto se pretende implementar. Agora, para consolidar o assunto, confira um passo a passo de como montar um clube de assinaturas:

1 – Comece pela definição do nicho

Quando tratamos de um clube de assinaturas, é importante termos um nicho bem definido, pois é ele que vai estabelecer as bases para a estruturação das vendas, das campanhas de divulgação e do relacionamento diário com os clientes. É preciso mostrar intimidade com o produto ou serviço que você vai vender e também com quem você está conversando.

2 – Faça um planejamento estratégico eficiente

Estabelecido o nicho, é hora de planejar. Não tome atitudes precipitadas só porque o modelo de assinaturas está na moda. Tire um tempo para entender como funciona todo o processo de pagamento recorrente e como ele acontece dentro do e-commerce e para os clientes. A partir daí, monte um planejamento estratégico para essa iniciativa e a siga até o fim.

3 – Inicie a divulgação

Agora que está tudo organizado, é o momento de fazer a divulgação do clube de assinaturas. Estude o público-alvo e foque em campanhas de marketing digital que alcancem os clientes onde eles estejam: redes sociais, e-mails, buscadores, entre outros. Este passo vale, inclusive, para quem já tem um clube bem-sucedido, pois quem está de fora deve saber como é bom participar dele.

4 – Mantenha um bom relacionamento com os clientes

Se o seu objetivo é aumentar a receita do e-commerce com pagamento recorrente, vai ser preciso oferecer mais do que somente um produto. Você vai precisar entregar uma experiência ao seu cliente. Não se limite a enviar um pacote. Faça um atendimento de excelência, entenda o que aquela pessoa estava procurando quando entrou para o seu clube.

Você vai precisar manter um relacionamento com o cliente para, de fato, torná-lo um “afiliado” do seu clube. Dessa forma, além de ficar e adquirir mais produtos, ele vai trazer mais gente para participar!

5 – Tenha uma logística impecável

Se tem uma uma coisa que ninguém gosta é esperar. Então, a logística é item fundamental para quem quer ter um clube de assinaturas. Não pode haver falhas. Aqui não estamos falando apenas de atrasos com horários ou até dias, mas sim de avarias nos produtos. Imagina entregar uma garrafa de cerveja quebrada? Ou um alimento com prazo de validade vencido? Isso não é nada bom!

O investimento em logística é algo que vai valer a pena. E, caso ocorra algum problema, o melhor caminho é o da comunicação honesta e objetiva com o cliente. Se o seu e-commerce sempre foi correto, ele vai entender.

Conte com uma solução de pagamentos adequada

Para abrir um clube de assinaturas ou implementar o pagamento recorrente no seu e-commerce, você vai precisar de ferramentas adequadas para fazer isso, como a solução de pagamentos da Wirecard. Com ela, você consegue criar planos personalizados, fazer a gestão de clientes, o controle das finanças e até recuperar pagamentos.
Para saber mais, acesse nosso site ou entre em contato com a gente. Nossa equipe está pronta para atendê-lo e tirar suas dúvidas. Reforçamos nosso compromisso com os clientes e deixamos nosso time à disposição para ajudar você nesse momento.

E-commerce de assinaturas: uma boa forma de vender online

Que o e-commerce cresce mais e mais a cada dia todo mundo está cansado de saber, certo? Mas será que você também já ouviu falar em e-commerce de assinaturas? Pois esse novo modelo está conquistando um espaço enorme, o que não se dá por acaso! Quer aprender como ele funciona e por que pode ser uma boa maneira para você vender online? Então acompanhe agora mesmo nosso post de hoje:

O que é um e-commerce de assinaturas?

Esse modelo consiste na venda de algum produto ou serviço de que os consumidores precisam (ou desejam) com certa frequência. Pela peculiaridade da regularidade, escolhe-se fazer a cobrança de forma recorrente, ou seja, por meio de mensalidades.

Normalmente, as empresas que desejam adotar essa abordagem precisam pensar em formas criativas de atrair o público, bem como escolher um sistema de pagamento que facilite as cobranças e tire qualquer complicação de sua gestão.

Por que essa é uma tendência no mercado?

O que não faltam são empreendedores se adaptando e apostando tudo no e-commerce de assinaturas: desde os gigantes do entretenimento, como HBO, Apple e Netflix, até serviços menos comuns, como um e-commerce assinaturas de bolos caseiros, outro de cervejas premium e até de venda de laranjas! Mas por que tantos negócios estão adotando o modelo de assinaturas? De fato, não é apenas uma moda, mas sim uma maneira inovadora e eficiente de atender à demanda constante de diversos nichos.

Dessa forma, as necessidades dos clientes são supridas com qualidade, bons preços e comodidade, um combo pra lá de poderoso quando se trata de consumo.

Quais as principais diferenças para outros modelos?

Como você pode imaginar, é claro que existem certas diferenças entre esse e outros tipos de e-commerce que devem ser examinadas de perto. Veja algumas delas:

Pacotes

Em um serviço de assinatura, é preciso pensar com cuidado nas expectativas e necessidades do público-alvo, a fim de montar diferentes pacotes, com preços variados, para alcançar a maior fatia possível. Assim, a personalização no e-commerce de assinaturas acaba sendo maior do que em uma loja em que todos os itens estão à venda separadamente.

Proposta

A proposta de uma assinatura precisa ter algum diferencial que ajude a convencer os interessados a respeito de seu real valor. Nesse contexto, muitas empresas têm usado uma seleção de qualidade ou conteúdos úteis para enriquecer suas ofertas e fugir do comum, destacando-se no mercado.

Entregas

Se a entrega dos produtos não for impecável, os clientes não se sentirão motivados a continuar assinando. Por isso, além de contar com uma solução de qualidade nesse quesito, é sempre bom ter também um plano B, a fim de garantir que nada dará errado ao levar o produto aos consumidores.

Relacionamento

Em absolutamente qualquer negócio, é preciso se relacionar bem com os clientes, não é verdade? Mas em um e-commerce de assinaturas essa necessidade é ainda maior, já que, caso contrário, eles provavelmente não continuarão com a empresa por muito tempo, cancelando o contrato. Pedir feedbacks constantemente, mostrar-se disposto a ajudar e resolver qualquer problema prontamente são boas formas de colocar isso em prática.

E as vantagens de um e-commerce de assinaturas?

As maiores vantagens, tanto para os clientes quanto para as empresas, na verdade são muitas. Podemos destacar:

Para quem compra

  • Grande comodidade;

  • Preços mais baixos por produtos melhores;

  • Exclusividade.

Para quem vende

  • Maior fidelização dos clientes;

  • Diferenciação dos concorrentes;

  • Facilidade de escalar o negócio.

Como você pôde ver, gerenciar um e-commerce de assinaturas pode ser vantajoso tanto do ponto de vista financeiro, pelo fato de facilitar a fidelização dos clientes, quanto por ajudar a criar modelos de negócio inovadores, baseados na constante geração de valor para os clientes. Sem dúvida, vale a pena considerar!

Agora nos conte aqui: você assina ou conheceu algum e-commerce desse tipo? Já pensou em como poderia integrar esse novo modelo ao seu negócio? Deixe seu comentário e participe da conversa!