Como seu e-commerce pode lucrar mais com o Dia das Mães?

A Páscoa de 2018, já apresentou leve retomada nas vendas se comparada com o mesmo evento nos anos anteriores no país. A expectativa é grande para que o momento melhor da economia também reflita nos números da segunda data mais lucrativa do ano (perdendo apenas para o Natal): o Dia das Mães. E o e-commerce espera lucrar bastante oferecendo presentes para mamães de todas as idades.

No entanto, faltando pouco tempo para o segundo domingo de maio, quem quiser não só atrair como reter os clientes precisará de muita estratégia e, claro, criatividade para aumentar o ticket médio dos consumidores em plena crise. Confira agora algumas dicas que farão com que seu e-commerce consiga vender mais no dia das mães, essa data tão especial:

Layout temático para site e e-mail marketing

Design em tons de rosa e vermelho, botões call to action atraentes, vídeos virais, seções com sugestões de produtos para os mais variados perfis de mães, e-mail marketing com promoções relâmpago e hotsites: tratando-se de sites e e-mail marketing para o Dia das Mães, as únicas regras envolvem ter bom gosto e, claro, priorizar a usabilidade e a experiência do usuário.

Promoções variadas

Promoções são absolutamente indispensáveis, ainda mais quando estimulam o consumidor a inserir mais de um produto no carrinho. E a maior vantagem do Dia das Mães é que essa data envolve diversos segmentos do e-commerce, abrindo uma enorme janela de possibilidades. Lembre-se, no entanto, de que se a intenção for usar as redes sociais na divulgação de concursos e sorteios, é preciso não só se atentar às recomendações da plataforma como ficar atento ao regulamento da Caixa Econômica Federal para a distribuição de prêmios gratuitos.

Kits temáticos com produtos relacionados

Na correria do dia a dia, às vezes não dispomos de tempo suficiente nem para passar um tempo com nossas queridas mães, quanto mais escolher aquele presente que, certamente, as agradará sem sombra de dúvida, não é mesmo? Daí a importância de oferecer kits temáticos, que, além de aumentarem o ticket médio do seu e-commerce, são uma solução prática e rápida para quem não quer deixar de presentear, mas não tem disponibilidade para procurar demais.

Prazos de entregas especiais

Assim como em outras datas sazonais, no Dia das Mães o prazo de entrega chega a ser mais importante do que o próprio preço. Ainda mais se seu e-commerce é especializado em linhas de produtos da categoria sentimentais, como flores, bombons, bebidas finas e cestas de café da manhã. Nesse caso, já pensou que a garantia de entrega na data certa pode se tornar o maior diferencial do seu negócio? Ofereça então um serviço de rastreamento da encomenda e um canal de chat ou, até mesmo, um número de telefone para que o consumidor possa tirar qualquer dúvida

Conteúdo frequente e qualificado

Tudo bem que, a poucos dias da data, o foco principal deve ser na logística de vendas para que as entregas ocorram sem transtornos. No entanto, o conteúdo não pode ser negligenciado, pois é ele que gera engajamento e interatividade. Assim, ao lado de ofertas e descontos, brinde sua base de clientes com campanhas de e-mail marketing que tragam um conteúdo diferenciado, com dicas de presentes dadas por especialistas ou mesmo celebridades, demonstrações sobre seus produtos e depoimentos de mães famosas. Outros ótimos meios de publicação do conteúdo são as redes sociais e blog posts.

Viés sentimental

Independente das dicas práticas para lucrar mais, é essencial que toda sua estratégia para essa data especial tenha como base o sentimento. Afinal de contas, mãe é puro sentimento, não é mesmo? E os e-commerces que souberem tirar o melhor proveito do teor emocional desse dia certamente estarão no topo das vendas. Pense bem: qual é o filho ou a filha que não ama dar um mimo para a mamãe, ainda mais quando há um dia especial no calendário para isso?

Já até conseguiu imaginar o que dar para sua mãe no próximo mês? Comente aqui e nos conte! E se quiser ficar por dentro de mais posts como esse, assine agora mesmo a nossa newsletter!

como vender mais

E-book: Guia Completo de Chargeback

Se você tem um e-commerce sabe que um dos maiores desafios do universo de vendas online é a gestão de recebimentos. E são vários os motivos para que isso aconteça, desde de falhas de comunicação com o servidor central, passando pela indisponibilidade do sistema bancário e por boletos gerados e não pagos até o tão temido chargeback.

Entenda melhor o que é chargeback e como revertê-lo no vídeo abaixo:

 

E por mais que muitos desses motivos não estejam sob controle dos lojistas, a verdade é que, mesmo assim, impactam diretamente no faturamento e no sucesso do empreendimento.

Com o objetivo de esclarecer todas as suas dúvidas sobre contestações,  preparamos o Guia Completo de Chargeback, e-book gratuito que reúne conceitos básicos e procedimentos para lidar da melhor maneira com esta ação.

Baixar e-book

 

Boa leitura e sucesso!

Entenda o que é o overdelivering e como aplicá-lo na estratégia do seu negócio

Ser positivamente surpreendido por uma empresa que faz mais do que é esperado dela é muito bom, não é mesmo? É fato: sempre que um negócio entrega mais do que foi contratado, essa experiência extra ajuda não só a fidelizar clientes como a vender mais! E sabia que essa tática tem um nome? É chamada de overdelivering e é muito usada por e-commerces. Quer aprender mais sobre esse tal de overdelivering e entender como pode implementá-lo em seu negócio? Então acompanhe:

O que é overdelivering?

O overdelivering consiste basicamente em entregar para o cliente mais do que ele espera do serviço, aumentando o valor percebido. Mas atenção: o grande segredo está em oferecer um pouco menos do que sua empresa realmente poderia fazer, reduzindo assim as expectativas, ao mesmo tempo em que aumenta a satisfação do consumidor quando percebe a qualidade concreta do serviço.

Receba dicas infalíveis para otimizar o seu negócio!



Por que ele é importante?

Manter os clientes satisfeitos e fiéis é importante para absolutamente qualquer negócio, afinal, são eles que indicam a empresa para amigos e conhecidos, ajudando a divulgar sua marca nos mais diversos meios. E é aí que entra o overdelivering, como uma forma de fidelizar clientes e torná-los verdadeiros defensores da sua marca. Na prática, um cliente em potencial não deve perceber o valor máximo da sua marca e de seus produtos assim que vê um anúncio. Dessa forma, ele pode ser surpreendido por uma experiência rica, passando a enxergar muito mais valor no negócio.

Como colocá-lo em prática?

Antes de mais nada, vale lembrar que, por mais que seja possível usar algumas ferramentas para facilitar essa entrega de valor extra para seus clientes, é preciso lembrar de nunca extrapolar na tentativa de surpresa, prometendo somente aquilo que realmente pode cumprir.

Cupom

Cupons de desconto são os aliados mais conhecidos do overdelivering, pois são formas de manter um cliente ativo mesmo após a realização de uma compra ou enquanto ele ainda usufrui do serviço. Se você vende cursos online, por exemplo, ao atingir ¾ do curso em andamento, o aluno pode receber um cupom de desconto para se inscrever em mais uma modalidade. Se trabalha no setor de vestuário, pode oferecer cupons para a compra de camisas ou sapatos aos clientes que adquirem mais de uma calça na sua loja online! Não parece bom?

Frete

O frete grátis também é uma tática bem forte na fidelização de clientes, afinal, não é nada raro que um consumidor chegue até o final do processo de compra, com o carrinho cheio, e deixe tudo por lá mesmo só porque o frete vai custar caro. Nesse caso, é possível realizar parcerias com os Correios para reduzir o valor do transporte, proporcionando essa facilidade para seus clientes. Se não for viável oferecer a gratuidade total no frete, pelo menos ofereça descontos para regiões específicas!

Brinde

Brindes são excelentes promotores do overdelivering. E não precisam ser caros ou sofisticados demais. Pode ser desde um bombom que acompanha uma pizza até um cinto combinando com a calça comprada pelo cliente. Faça as contas para avaliar o que cabe no orçamento da empresa e solte sua imaginação!

O segredo do overdelivering está em experimentar: teste o que funciona com seu público e não tenha medo de errar! Assim você fideliza seus clientes, ajudando o negócio a crescer!

E então, pronto para começar? Comente aqui e nos conte que tática pretende implementar primeiro. Aproveite e baixe o nosso e-book gratuito de Marketing Digital para empreendedores de e-commerce e confira as melhores estratégias de Marketing para o seu negócio!

overdelivering

Leia também:

Por que investir no SAC 2.0 em lojas virtuais?

Como fazer um bom pós-venda para seu e-commerce

Política de troca: saiba como estruturar no e-commerce

7 dicas infalíveis para preparar as vendas do seu e-commerce na Black Friday

A Black Friday já pode ser considerada uma data tradicional do comércio brasileiro. Muitos clientes aguardam ansiosamente pelo dia para comprar produtos com melhores preços, condições de pagamentos e entrega. O sucesso das vendas na Black Friday podem trazer inúmeros benefícios para o lojista, tanto no dia da Black Friday quanto no restante do ano, pois o seu negócio acaba atingindo mais pessoas que sempre lembrarão de terem comprado com você.

Em um ano marcado pela tensão política, aumento do desemprego e dólar cada dia mais caro, clientes estarão ainda mais atentos e seletivos em suas compras. Então, para transformar as suas vendas na Black Friday em excelentes oportunidades de negócios, é simples: planeje e execute cada detalhe.

Aqui, preparei sete dicas infalíveis para o seu e-commerce ter sucesso nessa data:

vendas na black friday

#1 Comunicação visual

Uma das coisas que faz toda a diferença é uma comunicação 100% focada para as vendas na Black Friday. Customize o site com o tema, acrescente banners que levem para uma categoria específica da promoção, selos nos produtos que realmente estão com desconto real e ambiente as redes sociais utilizando a temática. Chamadas como “ainda dá tempo”, “última chance” e “só hoje” podem ajudar a encurtar a tomada de decisão do seu cliente.

#2 Marketing inteligente

É possível trabalhar com alguns produtos “iscas”, ou seja, produtos com descontos maiores e mais apelo. Explore todos seus canais de comunicação começando por preparar posts durante o dia para divulgar as promoções. A grande sacada é trabalhar bem sua base de clientes. O primeiro pode ser enviado às 00h01 e durante o dia segmentar a base e realizar outros disparos promocionais.

Nesse dia, muitas lojas e grandes players vão comprar palavras chaves relacionadas às vendas na Black Friday, sendo assim, é importante estar com a campanha otimizada e ter alguém monitorando durante todo o dia para garantir a melhor performance. Além disso, se for fazer alguma ação em redes sociais que usam hashtags, aproveite e marque junto #blackfriday #blackfridaybrasil.

vendas na black friday

3# Estabilidade da loja

Confira se a plataforma está pronta ou vai oferecer algum plano de contingência para o dia da Black Friday. Caso vá fazer alguma ação pontual de grande volume de acesso, consulte sua plataforma ou equipe técnica para que seja tudo planejado e evite lentidões e quedas de servidores. Garantindo uma boa estabilidade de loja, as suas vendas na Black Friday são muito mais potencializadas.

#4 Navegação amigável

Destaque as promoções e facilite o cliente a encontrar os produtos que procura. A boa navegação do cliente na sua loja vai fazer com que ele encontre e feche o pedido mais rápido, aumentando suas vendas na Black Friday e evitando a dispersão na hora da compra. Lembre que nesse dia os consumidores serão impactados por milhares de publicidades, então ser rápido no fechamento do pedido é fundamental para não perder a venda.

#5 Estoque (Para vender é preciso ter produto)

Não esqueça de conferir o seu estoque; evite perder grandes oportunidades de vendas na Black Friday porque acabaram seus produtos, principalmente seus produtos âncoras. Não deixe o cliente para a concorrência, basta uma compra bem-sucedida em outra loja e seu cliente passará a fazer parte do banco de dados para futuras campanhas do seu concorrente.

meios de pagamento online mais usados

#6 Preços e transparência

Não corra o risco de queimar sua marca subindo o preço de um produto e colocando descontos para vender pelo mesmo valor. Seja transparente e, mesmo que só faça promoção em alguns produtos para girar seu estoque, faça promoções reais. Se a margem é baixa, use a Black Friday para girar seu estoque e queimar produtos encalhados por condições imperdíveis e aumente seu banco de clientes para futuras campanhas. Fazendo isso, você diferencia o seu e-commerce dos demais, que em relação às vendas na Black Friday, não são transparentes com seus clientes.

#7 Cuidado com a entrega

O volume nas vendas é algo generalizado, sendo assim, veja com o fornecedor como ele irá operar e coloque um aviso para os clientes com os prazos de entrega. Esteja pronto para dar suporte caso as pessoas procurem informações sobre as entregas. Trabalhe para postar o quanto antes seus pedidos, surpreender os clientes e fazer um marketing positivo, que aumente significativamente as suas possibilidades de vendas na Black Friday.

Sobre o autor:

Alfredo Soares é sócio e fundador da Xtech Commerce, plataforma de e-commerce inteligente com mais de três mil lojas criadas e hospedadas, que permite ao lojista trabalhar de forma multicanal, além de possuir estratégias que cuidam de forma 360º da inteligência de sua loja virtual.

Vendas pela internet: veja como turbiná-las

Trabalho com vendas pela internet desde 2005. Já tive a minha própria loja virtual e já ajudei milhares de pequenos empreendedores a conseguir vender online e, ao longo desse tempo todo, identifiquei os principais males que afligem grande parte dos projetos de vendas pela internet.

Segundo estatísticas da Abcomm, é muito claro, existe uma elite no comercio eletrônico brasileiro que consegue fazer vendas pela internet diariamente e de forma constante, porém, grande parte (em torno de 90%) das lojas virtuais fazem 30 pedidos por mês ou menos.

Se você faz parte dessa terrível estatística provavelmente você está cometendo alguns dos erros abaixo. Veja se você se identifica com algum deles:

  • Estratégia Errada

Não é à toa que esse item é o primeiro da lista, pois esse é o erro mais comum e mais grave. Para ser mais assertivo, talvez, nem devesse chamar esse item de estratégia errada e sim de “não ter nenhuma estratégia”. Se você quer ter um negócio de sucesso você precisa ter uma estratégia sólida e diferenciada. Planeje cada passo do seu negócio, saiba quanto irá gastar e quanto pretende faturar em um determinado período de tempo. Você irá perceber que investir em vendas pela internet exige uma estratégia pautada em dados e planejamento constante.

  • Não focar em um nicho especifico

A forma mais poderosa que conheço quando se é pequeno e não conseguimos concorrer com os grandes nas vendas pela internet é ser “nichado”. Ser “nichado” é ser focado em um público alvo específico. O Problema é que muita gente que começa uma loja virtual quer vender tudo para todo mundo. A minha dica é: foque em um público específico; conheça os hábitos de compra desse público e saiba como agradá-lo oferecendo os produtos que ele precisa.

  • Falta de informações para contato

Sim, isso é básico e muita gente não consegue sucesso em vender pela internet porque não faz o básico. Quando digo ter informações de contato é ter, pelo menos, um telefone fixo bem no topo do site e/ou um sistema de chat que fique grande parte do dia online. Se você tem um celular como telefone de contato, melhor tirar AGORA. Garanta um número de telefone próprio para realizar um bom relacionamento com o cliente.

e-book-como-vender-mais-em-seu-e-commerce-og

  • Você não utiliza vídeos

Os vídeos em lojas virtuais são recursos extremamente poderosos para ajudar a loja virtual a melhorar a taxa de conversão e a melhorar o tempo que as pessoas permanecem na sua loja virtual. Sem falar, que se você colocar os vídeos da sua loja no YouTube você ainda pode conseguir algumas visitas extras vindas de lá. A estratégia de vídeos tem sido muito utilizada por fornecer um conteúdo relevante para os clientes que buscam fazer vendas pela internet, pois tem mostrado diversos resultados e benefícios para as lojas virtuais como interação com o público e reconhecimento de marca.

  • Descrições ruins e incompletas

Isso é algo que acontece muito, pois as pessoas querem ter muitos produtos (falo mais sobre isso no item 7) e dessa forma não tem “tempo” para fazer boas descrições e os dois maiores problemas disso são:

○ Quando todas as lojas são iguais o cliente vai escolher o menor preço; então você deve garantir um diferencial da sua loja, oferecendo boas descrições de produtos que mostrem os detalhes daquilo que será comprado.

Se tudo na sua loja é igual as dos seus concorrentes o que você acha que os clientes vão levar em consideração na hora de escolher de quem comprar? De quem oferecer o menor preço, é claro.

○ Não ajuda no SEO;

Descrições de produtos copiadas de fabricantes ou muito curtas não ajudam em nada na possibilidade da sua loja virtual ser encontrada e ser bem qualificada pelo Google.

  • Plataforma não é fácil para o cliente comprar

Muitas lojas virtuais são confusas e lentas. Lembre-se, quanto mais tempo e mais cliques o seu cliente precisar dar menor será a sua taxa de conversão. Quer fazer algo para aumentar as vendas? Facilite a vida dos clientes quando eles quiserem comprar de você. Invista em um design responsivo. Se você não sabe o que é isso eu te explico: um site com um design responsivo é aquele que oferece uma experiência completa para o usuário quando acessado por meio de um dispositivo mobile. Ter um design responsivo não significa ter um aplicativo da sua loja virtual, mas sim um site que se adapte aos navegadores mobile, como o Google Chrome para celular, por exemplo.

  • Mix errado de produtos

Aqui é onde vejo muita gente começando a cavar a cova da sua loja virtual. Na ânsia de não parecer uma loja virtual nova e/ou pequena as pessoas que querem vender pela internet optam por ter um mix de produtos com grande variedade e pouca quantidade de cada produto.

Quando fazem isso, os empreendedores acabam matando todo o seu capital em estoque e não tem recursos para compra de tráfego para atrair visitantes/compradores para sua loja.

 

Para entrar mais afundo nisso deixo duas dicas:

1) Vídeo que fiz falando sobre os problemas de quem quer vender pela internet. Assista!

2) O link deste guia completo para vender na internet.  Nele fiz um resumão de tudo que aprendi nesses mais de 10 anos trabalhando com lojas virtuais.

Marcio EugênioD Loja Virtual

Saiba como a opção “retirar na loja” pode aumentar suas vendas

Um dos grandes motivos de desistências do carrinho de compras nas lojas virtuais está ligado ao acréscimo do valor da entrega, calculado no fechamento da compra. E isso só mostra que, por mais que os e-commerces possam contar com bons parceiros de transporte, esse valor ainda é um ponto fraco. Exatamente por isso pensamos em criar o artigo de hoje, explicando como a opção “retirar na loja” pode ajudá-lo a reduzir pelo menos uma parcela desses índices de desistências. Confira:

Por que o valor do frete gera desistências?

Infelizmente, grande parte das lojas virtuais não consegue oferecer a gratuidade do frete para todas as regiões do país ou mesmo para todas as categorias de produtos que comercializa. E como o valor relativo à entrega normalmente só é acrescido ao final do processo de compra, quando o cliente já adicionou todos os produtos que pretende adquirir ao carrinho e clicou no ícone para fazer o cálculo e finalizar a compra, é impossível prever quanto essa conta daria até tal ponto. E é esse acréscimo do valor, em muitos casos, que faz com que os consumidores acabem abandonando o carrinho e desistindo da compra como um todo.

Como a opção “retirar na loja” pode ajudar?

Oferecer a opção “retirar na loja” juntamente com a opção de cálculo de frete pode fazer com que os clientes de uma região próxima optem por não pagar pela entrega e fazer a retirada por si mesmos, garantindo assim a conclusão da compra. Ou seja, ao implementar a retirada como alternativa à entrega, pelo menos uma parte das desistências — referente aos clientes situados em localidades próximas ou que possam passar por ali sem maiores transtornos — poderá ser convertida em venda, consequentemente aumentando seu faturamento. Ainda que não seja uma solução definitiva para o problema da desistência do carrinho de compras, essa medida pode ajudar a reduzir os índices e aumentar as receitas.

Como oferecer essa alternativa no site?

Primeiramente, é preciso que exista uma loja ou um espaço físico disponível para que a opção “retirar na loja” possa ser implementada no seu e-commerce. Feito isso, uma excelente forma de acionar essa opção durante o processo de compras é antes mesmo de o cliente informar os dados de entrega. Dessa forma, sem nem mesmo ter sido direcionado para a finalização da compra e passado pelo processo de selecionar a forma de frete e o respectivo endereço para a entrega, o cliente já deixa marcada a opção “retirar na loja”. Ao reduzir o tempo total da transação, a experiência de compra também passa a ser melhor.

Caso você possua lojas físicas espalhadas em diversas regiões, é possível oferecer a opção “encontre uma loja”, baseada na proximidade com o número do CEP do cliente, juntamente com a opção de retirada. Nesse caso, o alcance de clientes é ainda maior!

Viu como, além de aumentar as vendas por meio da redução dos índices de desistências, ainda é possível alavancá-las também por meio do aumento da satisfação dos consumidores com o site? E já imaginou como isso trará mais indicações de novos clientes? Então comente aqui e nos conte se já sabia da importância de oferecer a opção “retirar na loja”. Compartilhe suas opiniões conosco e participe da conversa!

Entenda a importância do SAC no e-commerce

Já pensou que, em tempos de compras virtuais, oferecer o melhor Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) online aos  seus clientes pode ser um fator decisivo para o sucesso do seu e-commerce? O segredo é sempre se lembrar de que o foco de uma loja virtual deve estar em proporcionar a melhor experiência de compra para o usuário, o que envolve especialmente contar com um atendimento rápido, eficiente e respeitoso.

As vantagens de se investir em um bom SAC são inúmeras, indo desde fidelizar clientes habituais pelo bom atendimento até captar novos clientes por meio de indicações de usuários satisfeitos e ser referência em bom atendimento no e-commerce. Mas como exatamente conseguir desenvolver um bom serviço de atendimento ao consumidor? Pois confira o artigo completo e descubra.

Cuidar do atendimento pós-venda

Algumas empresas simplesmente não medem esforços para conquistar clientes e fechar compras, mas assim que recebem alguma sugestão, uma reclamação ou mesmo um pedido de ajuda, não oferecem o mesmo atendimento rápido e eficiente das etapas anteriores. É preciso ter consciência de que um cliente insatisfeito com o atendimento pós-venda não só pode deixar de comprar novamente na sua loja como não indicará seu produto para outras pessoas, fazendo com que o e-commerce não perca só um, mas vários clientes. O pós-venda no e-commerce é, portanto, crucial!

Monitorar as redes sociais

Hoje em dia, as impressões de praticamente qualquer pessoa — esteja ela satisfeita ou insatisfeita e tenha ela razão ou não — podem facilmente ir parar nas redes sociais e tomar enormes proporções, pelos mais diversos motivos. Assim, se seu e-commerce extrapola o prazo de entrega combinado, já pode ser motivação suficiente para o cliente ir até o Facebook dizer com todas as letras que não recomenda sua loja porque ainda não recebeu seu produto. Claro que nenhuma empresa está isenta de cometer erros, mas a maneira como ela lida com isso faz toda a diferença! Portanto, monitorando as redes sociais para responder possíveis reclamações você fica preparado para mudar uma percepção negativa do cliente com relação a seus produtos, serviços ou atendimentos.

Reagir às dúvidas mais frequentes

Quando você percebe que algumas dúvidas de consumidores aparecem mais frequentemente ou até mesmo se consegue antecipar alguns questionamentos comuns — relativos à forma de pagamento, ao prazo de entrega, à mudança no cadastro e assim por diante —, pode ser interessante disponibilizar um campo para perguntas e respostas recorrentes. Tudo bem que organizar esse conteúdo pode levar algum tempo, mas esse prévio trabalhinho extra com certeza poupará tanto seu tempo como o de seus clientes depois!

Dar tratamento humanizado

Não é porque o atendimento no e-commerce é feito todo virtualmente que você não pode conseguir oferecer um tratamento humanizado, respeitoso e acolhedor. Fato é que a eficiência do sistema na compra é essencial para que o negócio seja efetivado, mas cuidar da maneira com a qual você conversa com seu cliente antes, durante e depois da transação pode também ser um grande diferencial.

Usar o feedback a favor do e-commerce

O medo de se deparar com um retorno negativo pode se transformar em um dos maiores aliados do e-commerce se o empresário souber utilizá-lo de maneira a melhorar seu negócio. Assim, se o cliente fornece uma informação valiosa que pode ajudar o gestor a entender o que há de errado nos processos do seu negócio, é preciso explorar esse feedback ao máximo, a fim de entender como solucionar a questão para que outra pessoa não tenha que reportar o mesmo problema.

A gestão de um e-commerce obviamente tem suas particularidades, que, exatamente por isso, devem ser encaradas com muito cuidado. E, como você aprendeu aqui, é aí que entra um bom Serviço de Atendimento ao Consumidor! Pronto para colocar nossas dicas em prática? Acha que deixamos algum aspecto importante de fora? Comente aqui e divida suas impressões e sugestões conosco! Participe!

Os principais motivos de um e-commerce NÃO faturar

Se o seu e-commerce não está vendendo bem ou não está alcançando de forma alguma os objetivos que você almeja, é bem provável que esteja cometendo alguns erros básicos que possivelmente nem sequer notou. Veja os principais motivos de um e-commerce não faturar e formas para converter essa situação.

Estratégias erradas

Estratégias imprecisas ou erradas formam o erro mais comum e mais grave da maioria das lojas virtuais. Na verdade, em alguns casos, o problema é “não ter uma estratégia”. Se você quer ter um negócio de sucesso, precisa ter uma estratégia sólida e diferenciada.

Você cuida diretamente do marketing digital da sua loja? Existe algum tipo de estratégia sendo colocada em prática? Se não, você precisa tomar uma atitude. Nosso conselho é que você procure uma empresa ou profissional que possa lhe ajudar a definir uma estratégia válida e funcional. Procure também, ferramentas de marketing para sua loja virtual.

Foque em um nicho específico

Diferente dos meios tradicionais, o marketing de massa, aquele que alcança muitas pessoas ao mesmo tempo, não funciona bem na internet. Para ter sucesso, independente da área de atuação, sua loja virtual deve focar em subcategorias de mercados. O que isso significa? Que você deve focar em um nicho específico.

Que tal identificar o público que as grandes marcas não atendem e focar em táticas para vender para ele? Muita gente começa uma loja virtual querendo vender tudo para todo mundo, mas isso pode ser determinante para os baixos resultados. Por isso, identifique um “grupo menor” e tente alcançá-lo.

Falta de informações para contato

Mesmo isso sendo um aspecto básico, muita gente deixa a desejar. Quando nos referimos a informações básicas de contato, estamos falando de telefone visível, sistema de chat, área de cadastro, entre outros canais que permitam uma melhor experiência do usuário.

Nossa dica é que essas opções estejam todas disponíveis, de forma que seu cliente possa avistar e interagir facilmente. Um FAQ com as dúvidas mais frequentes e atendimento automatizado também funcionam bem, desde que o atendimento humano não seja deixado de lado.

Falta de conteúdo

Já ouviu dizer que conteúdo hoje em dia é essencial? Então, se seu e-commerce não investe em marketing de conteúdo, você pode estar perdendo vendas. Investir em um blog corporativo para expor posts informativos é uma tática quase obrigatória atualmente. Também existem outros formatos de conteúdo, como vídeos, mídias sociais, infográficos, E-books, entre outros!

Descrições ruins e incompletas

Esse é outro problema recorrente no setor. Descrições obscuras, com excesso de erros gramaticais, definitivamente afastam os consumidores. Muitos donos de lojas virtuais estão preocupados em ter muitos produtos, mas acabam não dando aquela atenção as descrições de produtos.

Informações copiadas de fabricantes, ou muito curtas, não ajudam em nada, inclusive no que diz respeito ao ranqueamento nos sites de busca como o Google. Mais uma vez ressaltamos que é bom contratar profissionais qualificados para lhe auxiliarem. Um bom redator freelancer ou outro profissional de conteúdo institucional pode resolver isso para você.

Dificuldades na navegação

Lembre-se que quanto mais tempo e cliques seu cliente precisar dar, menores serão suas taxas de conversão. Quer fazer algo para aumentar as vendas? Facilite a vida dos consumidores quando eles quiserem comprar.

A usabilidade é um quesito imprescindível para sua atuação no comércio eletrônico. Disponibilize as funções de forma clara e acessível. Se coloque no lugar de seu cliente e analise friamente se sua plataforma está proporcionando uma boa (até mesmo ótima!) experiência para o usuário. Não faça isso uma vez apenas, mas sempre.

Mix errado de produtos

Infelizmente o que muitos encaram como vantagem é, na verdade, um decreto para baixar as vendas. Na intenção de não parecer uma loja virtual nova ou pequena, as pessoas que querem vender pela internet optam por ter um mix grande de produtos, geralmente com alta variedade e pouca quantidade de cada produto.

Lembre-se que os varejos virtuais não são como os físicos. É necessário ter um estoque, mas não se pode matar todo o capital em estoque e não ter recursos para investir em meios de tráfego e atrair compradores para a loja. Para vender, não basta dar ênfase a apenas o estoque, mas também a táticas para gerar audiência. Afinal, não adianta ter produtos e não ter clientes.

Se alguns desses erros estão sendo cometidos, procure corrigi-los para você vender bem na internet. Se quiser expor alguma consideração ou dúvida, fique à vontade. Abaixo tem um espaço especialmente para você.

Fonte: S3 Commerce

4 erros de SEO que prejudicam seu e-commerce

Na procura por uma vantagem competitiva, o SEO (Search Engine Optimization, ou otimização para motores de busca) é uma das táticas favoritas das lojas virtuais. É preciso deixar claro que, sozinho, isso não vai transformar seu negócio, mas deixar a otimização de lado por completo também não é uma boa decisão, já que pode prejudicar muito suas vendas. Veja alguns erros de SEO para e-commerce que você pode evitar a fim de ter mais sucesso e sair na frente da concorrência.

Títulos muito longos

O título está entre os elementos mais importantes da otimização de página (perde apenas para o conteúdo), pois é o principal texto que a descreve e aparece em três lugares de destaque: na aba do navegador, nos resultados de pesquisa e em sites externos, como redes sociais.

Os buscadores costumam cortar os títulos que passam de 50 a 60 caracteres. Pensando nesse limite, é bom colocar a palavra-chave principal logo no título, pois isso aumenta tanto a posição no ranking de busca quanto as chances de seu link ser clicado.

Falta de meta description

Meta description é a informação que aparece logo abaixo do título nas páginas de pesquisa. Essa descrição serve para atrair os usuários e incentivá-los a clicar no link em questão. Para sites de e-commerce é uma boa oportunidade de incluir detalhes importantes e chamadas à ação.

Em páginas de produto é possível gerar a meta description automaticamente com base em um modelo pronto, trocando apenas informações dinâmicas, como o nome e categoria do produto. Apesar de não ter grande influência sobre a posição no ranking de busca, esse campo é vital para aumentar o número de cliques nos links, à medida que dá aos interessados uma prévia do que encontrarão.

Estrutura incorreta de cabeçalhos

Como o conteúdo é o elemento mais importante de SEO na página, os headings, ou cabeçalhos, são usados para criar uma hierarquia que deixe claro, tanto para os motores de busca quanto para os usuários, quais são as peças mais importantes desse conteúdo e como se relacionam entre sí.

Esses cabeçalhos são divividos em tags que vão, por ordem decrescente, de h1 a h6. Ou seja, o h1 é a tag que indica a informação central, e não deve ser usada mais de uma vez em cada página. Os tópicos secundários devem ser h2 e assim por diante. Pode parecer bobagem, mas seguir essa estrutura importa para os buscadores, já que os ajuda a “entender melhor” o conteúdo e a confiar que ele será realmente relevante para os usuários.

Imagens sem Alt Text

Alt text é o texto que você adiciona a uma imagem, caso ela não possa ser mostrada pelo navegador. Além disso, os motores de pesquisa ainda não conseguem ler imagens, assim eles usam as descrições oferecidas pelo alt text, junto com algumas outras informações, para entender melhor como as imagens se relacionam com o seu conteúdo.

Assim, é importante descrever bem os elementos visuais da figura para que possam ser incluídas nos resultados quando forem relevantes. Como muitas lojas deixam essa tag de lado, acabam perdendo algumas posições no ranking de resultados.

Em conclusão, os erros que citamos são apenas a ponta do iceberg, mas acertar esses pontos já representa um grande avanço no seu planejamento de SEO para e-commerce. Ao dar atenção a eles, com o tempo sua loja vai se colocar melhor nas páginas de busca e atrairá mais clientes.

Gostou das nossas dicas sobre SEO? Acompanhe o Blog da Wirecard para aprender ainda mais sobre como vender na internet!

Saiba quais são os 5 tipos de frete para loja virtual

A lógica é simples e direta: por não contarem com lojas físicas onde os clientes possam efetuar suas retiradas, é indispensável que os e-commerces possuam um excelente serviço de entregas. Entretanto, a verdade é que, na prática, muitos empreendedores acabam tendo dúvidas a respeito das cobranças relativas a esse serviço. Também se encontra nesse grupo? Então, esclareça agora mesmo algumas dessas incertezas com nosso artigo, pois vamos tratar exatamente dos principais tipos de frete para uma loja virtual! Confira:

Frete grátis

Essa modalidade é bastante utilizada e pode acabar sendo o principal fator de decisão entre o abandono do carrinho do carrinho e o fechamento do negócio por parte dos clientes. Pode até parecer contraditório, mas o frete grátis é altamente vantajoso para o e-commerce, pois é visto como um excelente atrativo pelos consumidores. De toda forma, continua sendo preciso ter em mente que os custos serão totalmente absorvidos pela empresa. Portanto, vale a pena analisar minuciosamente se seu negócio possui condições financeiras de arcar com o pagamento das transportadoras sem comprometer seus lucros e sua saúde financeira.

Frete por região

Esse é um dos tipos de frete mais utilizados por e-commerces pelo mundo afora. Já reparou que, normalmente, o frete para capitais e regiões metropolitanas é menor, enquanto o valor para entregas no interior é mais elevado? E vale ressaltar que, nessa modalidade, a responsabilidade pelo pagamento do frete fica para o cliente! Sendo assim, ao finalizar a compra, o valor do frete calculado para o CEP informado é acrescido ao valor do produto adquirido. Nesse caso, a empresa não arca com os custos do transporte, mas pode correr o risco de sofrer com desistências do carrinho de compras por causa do prazo e do valor da entrega.

Frete com desconto

Uma outra possibilidade consiste em estipular uma certa quantidade de produtos ou um valor mínimo para, a partir dessa meta, oferecer descontos ou até mesmo a isenção total do pagamento do frete pelo cliente. Nesse caso, a responsabilidade do pagamento é compartilhada entre a empresa e consumidor. Essa é uma estratégia que permite que os custos sejam divididos, não pesando demais no bolso de ninguém, além de servir como forma de estímulo para o cliente fazer uma comprar maior.

Frete fiel

A ideia por trás de se oferecer condições especiais para quem participa de programas de fidelidade é semelhante ao que foi descrito no tópico anterior, porém, nesse caso, o objetivo é fazer com que os clientes fiéis — importantíssimos para negócio — obtenham ainda mais benefícios, de forma a se sentirem realmente diferenciados. Esse é um dos tipos de frete que pode contribuir ainda mais para fortalecer sua marca e melhorar o relacionamento com os clientes mais especiais.

Frete fixo

Para aplicar essa modalidade de frete é preciso fazer uma análise bem detalhada das informações de vendas, tais como média de quantidade, volume, preço e peso. Feito isso, basta cruzar os dados com o valor do frete de cada região e definir um preço fixo para as entregas. Mas atenção: nesse caso, é importante delimitar o tamanho ou o peso dos produtos que podem ser adquiridos em cada compra.

Dentre tantos tipos de frete — e olha que ainda há outras opções além das que foram citadas por aqui! —, a melhor alternativa é analisar a realidade financeira da empresa e o perfil de seus clientes, a fim de encontrar uma solução que seja agradável para ambas as partes, sendo que nada impede que mais de uma modalidade de frete seja escolhida para as transações, ok?

E então, já sabe quais opções se encaixariam melhor no seu modelo de negócio? Deixe suas opiniões nos comentários! E aproveite o momento para entender por que frete grátis pode significar lucro!

Você está buscando estratégias para vender mais no seu e-commerce? Esse nosso e-book abaixo irá te ajudar com isso. Confira!