Por William Franklin

Justamente na hora de fechar o pedido, já na página de checkout, seu cliente dá de cara com a seguinte mensagem: “por favor, realize o depósito identificado da quantia referente ao frete + produto na seguinte conta”. Nada promissor, não concorda? Pois em tempos de crescimento exponencial do e-commerce no Brasil, não adotar a conveniência de um bom intermediador de pagamento é temeroso para qualquer loja virtual, podendo até ser traduzido como suicídio comercial. Afinal, qual é o cliente que irá não só confiar, mas gastar seu precioso tempo enfrentando fila de banco para comprar um produto que poderia ser adquirido em menos de 5 minutos?

Neste post, vamos mostrar quais aspectos devem ser considerados ao escolher o melhor entre tantos intermediadores de pagamento disponíveis para seu e-commerce no mercado. Interessado? Então confira agora mesmo!

Página de checkout

Um intermediador de pagamento é como se fosse o apêndice mais importante da sua loja virtual, pois é ele que vai garantir a rentabilidade das conversões. No entanto, a maior parte dos intermediadores faz com que o usuário saia da página de checkout da loja, sendo transportado para outra completamente diferente. O problema é que essa mudança brusca normalmente leva à desconfiança por parte do cliente, que, consequentemente, abandona o carrinho de compras cheio. Levando esse cenário em conta, um ponto que deve ser analisado é se o intermediador oferece uma página de checkout personalizada, condizente com o segmento e o layout da sua loja.

Valores das taxas

Se abrir mão do intermediador de pagamento hoje em dia é o mesmo que decretar a falência antecipada do seu negócio, melhor já discutirmos o valor das taxas, certo? Além de observar as empresas que oferecem os preços mais em conta do mercado (inclusive taxa de adesão gratuita), é preciso avaliar a quantia cobrada em caso de produtos parcelados cujos valores você deseja receber integralmente no ato da compra, por exemplo. O que acontece é que, muitas vezes, a taxa que incide sobre essa flexibilidade de pagamento é tão alta que pode inviabilizar suas vendas.

Nível de comodidade

O ideal é que você foque totalmente na gestão do negócio, deixando toda a parte financeira por conta do intermediador. Por isso, vale a pena prestar atenção a detalhes que poderão garantir sua comodidade, como a possibilidade que poucos intermediadores oferecem, por exemplo, de receber pagamentos também off-line, além de optar pelo serviço que ofereça ao cliente maior flexibilidade no que se refere às opções de pagamento, incluindo aí todas as bandeiras de cartão de crédito, bankline e boleto bancário.

Grau de segurança

Apesar de o e-commerce brasileiro ter conseguido driblar a crise, os consumidores ainda estão engatinhando na desenvoltura com as compras on-line. Sendo assim, qualquer elemento que consiga agregar confiabilidade e segurança às transações pela web é mais que válido. E aí entram os intermediadores de pagamento, cada vez mais populares e práticos. Assegure-se, portanto, de que está escolhendo um serviço reconhecido (cheque sempre o Procon local e o portal Reclame Aqui), bem como uma marca de credibilidade no mercado. E boas vendas!

E então, pronto para escolher a melhor solução para seu e-commerce? Que tal aproveitar para dar uma olhada neste post e descobrir mais motivos para usar um intermediador de pagamento?

gateway ou intermediador de pagamentos

Comentários

  • Tudo bem, tenho pague seguro mas nunca vendi nada pie ele.Não sei como é para receber o dinheiro.