Plataforma de e-commerce: 10 itens a avaliar antes de contratar a sua

Para escolher a melhor plataforma de e-commerce para o seu negócio é preciso muita análise. Veja no artigo o que não pode faltar em uma avaliação completa.

Compartilhe

Como se trata da sua empresa no mundo virtual, a decisão pela contratação de uma plataforma de e-commerce deve ser tomada com o máximo de cuidado. Afinal de contas, é como se você estivesse montando a vitrine em que seus produtos serão expostos e organizando os corredores da loja para seus clientes passarem selecionando aquilo que querem levar para casa.

Por essas e outras questões, a plataforma de e-commerce deve oferecer um ambiente convidativo e preparado para que você possa fazer uma gestão eficiente do negócio. Então, antes mesmo de começar a pesquisar as opções disponíveis no mercado, tenha um olhar de médio e longo prazos sobre a empresa, considerando onde quer chegar com seu e-commerce daqui a 5 ou 10 anos.

Pensar em respostas para perguntas básicas, como quantos clientes quero ter e quanto quero vender por dia, é fundamental para escolher a melhor solução. Porém, é preciso ir um pouco além se você quer uma plataforma de e-commerce que o acompanhe por muito tempo. Veja abaixo alguns aspectos importantes a serem avaliados pensando em cada ente envolvido no negócio:

infografico

Ficou um pouco complicado? Não se preocupe que estamos aqui para ajudar você. No próximo tópico listamos os 10 principais itens para avaliar antes de contratar uma plataforma de e-commerce.

O que avaliar em uma plataforma de e-commerce antes da contratação

Nosso objetivo é sempre auxiliar você, e agora não seria diferente, certo? Por isso, fizemos uma lista com os 10 itens que devem ser avaliados antes da contratação de uma plataforma de e-commerce. Nossa meta é que, ao final da leitura, você seja capaz de escolher uma solução que traga os melhores benefícios para o seu empreendimento. Confira!

1 – Disponibilidade de orçamento

Antes de começar a procurar por uma plataforma de e-commerce, verifique qual o seu orçamento para investir na solução. Até porque de nada adianta negociar com a plataforma da moda se você não tem orçamento para contratá-la, não concorda?

Por isso, seja realista em relação às suas possibilidades financeiras, levando em consideração que esse é um investimento que também trará excelentes resultados para seu negócio. Busque sempre, portanto, o equilíbrio entre custo e benefício.

2 – Projeção de Vendas

Na prática, muitas plataformas cobram por número de clientes cadastrados. Assim, quando você chega ao limite estabelecido, precisa fazer um upgrade. Para evitar futuras dores de cabeça, procure uma plataforma que facilite esse processo, permitindo que você escale seu número de clientes de forma sustentável, pagando por isso um preço justo. 

Para ter parâmetros, faça uma projeção de vendas, considerando quantos clientes pretende ter em 2, 3 e 5 anos, por exemplo. Lembra das perguntas básicas? É aqui que elas entram. Pergunta a si mesmo em que patamar quer que o seu e-commerce esteja e estabeleça números. A dica é ser o mais realista possível.

3 – Tipo de plataforma

Existem, basicamente, 2 tipos de plataformas de e-commerce no mercado: open source e SaaS. Com as open source, você compra todos os direitos de uso, podendo realizar qualquer tipo de customização. Nesse caso, como os códigos são abertos, você pode contratar um programador para fazer os ajustes que quiser, tornando seu e-commerce o mais personalizado possível.

Já as plataformas SaaS funcionam como soluções na nuvem: você realiza um cadastro e já pode começar a montar sua loja virtual.

Quanto às diferenças entre os modelos, podemos adiantar que as plataformas open source demoram mais para serem implementadas e têm um custo mais alto, justamente por se deter os direitos sobre o código fonte. Já as SaaS são de fácil implementação, tanto que você pode montar um e-commerce em apenas algumas horas!

Além disso, as SaaS também possuem um custo mais atrativo, cobrado em forma de mensalidades, e oferecem manutenções regulares, todas por conta do provedor dos serviços, fora selos de segurança, atualizações e outros benefícios que chegam a todos os usuários ao mesmo tempo. No modelo open source, por outro lado, qualquer modificação fica a cargo do usuário.

4 – Responsividade do layout

Por já constituírem uma realidade mais que comprovada, as vendas mobile não podem simplesmente ser desconsideradas por nenhum comerciante online. Nesse sentido, o segredo está em prezar por plataformas de e-commerce responsivas, que se adaptem a diversos tamanhos de tela sem perder a qualidade da navegação.

Vale lembrar aqui que buscadores, como o Google, consideram a responsividade um critério fundamental, conferindo uma classificação melhor nos resultados de busca para aqueles sites que também pensam da mesma forma.

5 – Oferta de funcionalidades

Uma boa plataforma de e-commerce deve reunir funcionalidades que facilitem tanto a navegação dos usuários quanto a gestão do empreendedor. Assim, antes de escolher, o ideal é se certificar de que as funções disponíveis correspondem às necessidades do negócio ou que ao menos exista a possibilidade de customizá-las, para que você tenha uma solução que realmente agregue valor.

6 – Possibilidade de customização

Nesse contexto, customizar é alterar funcionalidades, layout, menus e diversos outros itens da plataforma para deixá-la mais atrativa para o público e mais intuitiva para a equipe, a fim de melhorar não só os resultados das vendas, mas também a forma com que você conduz o empreendimento.

Verifique juntamente ao fornecedor quais são as opções de customização, ou seja, o que você pode alterar na plataforma. Não se esqueça de perguntar o custo para cada alteração ou se você mesmo pode realizá-las.

7 – Integração com ferramentas

Uma boa plataforma também deve estar preparada para a integração com outras ferramentas essenciais para o negócio, como sistemas ERP e de automação de marketing. Quando você tem essa possibilidade, agiliza os processos, concentra as informações em um único lugar e facilita a gestão do empreendimento e o atendimento ao cliente, melhorando a credibilidade geral do e-commerce.

8 – Formas de pagamento

Quanto mais opções de pagamento seu e-commerce disponibilizar, maior será sua capacidade de vendas. Pense bem: as formas de pagamento se diversificam bastante, a cada dia surgindo novas bandeiras de cartões de crédito e soluções para e-commerce — como o débito automático em conta.

E você deve estar preparado para atender seu público com o máximo de eficiência nesse quesito, certo? Por isso, optar por uma plataforma que traga essa variedade de opções ou que permita a integração com soluções robustas de pagamento online é fundamental para o sucesso de suas vendas.

9 – Opções de frete

O frete é um dos principais motivos para o abandono de carrinho no e-commerce, justamente porque o cliente chega ao final do processo de compra e descobre que levará muito tempo para receber ou que terá que pagar um valor muito alto para adquirir o produto.

Para evitar a perda de clientes por esse motivo, você pode diversificar as opções de frete, deixando que os próprios consumidores escolham a melhor opção. Para isso acontecer, no entanto, a plataforma escolhida deve permitir a oferta dessas alternativas, assim como a integração com sistemas dos Correios ou de transportadoras para fazer um cálculo fiel do valor a ser pago.

10 – Fornecimento de suporte

Por fim, é fundamental que você contrate uma solução que forneça o suporte adequado. E por adequado é preciso entender várias opções de canais de atendimento (como presencial, por chat, e-mail, redes sociais, videoconferência, entre outras), além, é claro, de disponibilidade de atendimento.

Imagine que você contrate uma ferramenta com um suporte de segunda a sexta-feira e sua plataforma tem um problema no sábado. É absolutamente inviável esperar todo esse tempo para que o problema seja resolvido, não é verdade?

Avaliação feita? Agora é só escolher a melhor solução para construir um e-commerce de sucesso! Esperamos que esse artigo tenha te ajudado e tirado dúvidas que pudessem estar atrapalhando o andamento dos seus planos. 
E como você já sabe, a Wirecard está aqui para auxiliar você neste momento. Confira a campanha “Conte com a Wirecard” e, claro, conte com a gente! Nosso compromisso com os clientes continua o mesmo de sempre e estamos à disposição para ajudá-lo a enfrentar este momento tão delicado.

Compartilhe