Por Thiago Maboni

O desenvolvimento de novos modelos de negócio resultou na popularização e no avanço de práticas simplesmente revolucionárias de comércio eletrônico. Tanto que, hoje em dia, adentrar o universo do e-commerce com sucesso se tornou o sonho de milhares de empreendedores ao redor do mundo. Já está familiarizado com marketplaces e lojas virtuais próprias?

A lógica é simples: assim como a loja virtual própria, o marketplace é uma forma de comercialização online que tem como objetivo vender pela internet. O que então os diferencia? Mais simples ainda! A loja virtual é um site criado por uma empresa, possuindo layout e design customizados, URL própria e somente produtos daquela marca.

Já o marketplace não é um endereço exclusivo, configurando-se como um território compartilhado, ambiente em que os produtos se encontram lado a lado, concorrente com concorrente, em uma espécie de feirão virtual.

E então, já sabe qual é a melhor opção para vender seus produtos? Será que um modelo é mesmo melhor que o outro? Pois acompanhe o paralelo que preparamos para o post de hoje e tire suas próprias conclusões.

Visibilidade

Começando pelo marketplace, agora que você já conhece vagamente seu conceito, é de se imaginar que, como os produtos ficam expostos em sites de amplo conhecimento do público, os fregueses do anfitrião passem a ser também seus fregueses, certo? Por isso, o investimento no que diz respeito à divulgação se torna muito pequeno, consequentemente proporcionando um alto retorno.

Em contrapartida, a fidelização do consumidor acontece com o portal de anúncios e não especificamente com sua marca, que acaba se tornando dependente da estratégia do novo modelo de negócio.

Em relação às lojas virtuais, fazer com que sua página ganhe visibilidade dentre as toneladas de sites que existem por aí acaba sendo um desafio constante, que precisa de investimentos. Nesse caso, além de levar tempo e demandar boas estratégias de marketing, o custo de investimento tende a ser um pouco mais elevado.

Por outro lado, o cliente reconhece o valor da sua marca, cogitando a possibilidade de compras futuras e passando pelo processo de fidelização. E esses definitivamente são benefícios compensatórios que garantem a consolidação de seu espaço no mercado.

Reputação

No marketplace, boa reputação é requisito obrigatório. Afinal de contas, as ferramentas de recomendações e de comentários se tornaram muito sofisticadas ao longo do tempo, de modo que os consumidores, especialmente quando insatisfeitos, acabam sendo bastante enfáticos nessas plataformas. E a verdade é que, se sua reputação não estiver das melhores, você corre o risco de ser expulso.

Na loja virtual própria, por sua vez, é possível rever suas falhas com mais tranquilidade. Seguindo a máxima de que errar é humano e sabendo que principiantes realmente tendem a cometem erros, se você não tem que se reportar a ninguém não só fica mais fácil como há mais tempo para se aprender com os erros e saná-los, evitando assim que o nome da sua marca seja detonado na rede.

Lucro

Na prática, por todas as facilidades que oferece aos usuários, as taxas do marketplace costumam ser bem altas. E por mais que cada portal adote uma política diferenciada, de maneira geral todos cobram taxas calculadas sobre seu faturamento. Nesse sentido, algumas cobranças podem superar a casa dos 20%, diminuindo bastante o lucro real da marca.

E nesse caso também não adianta querer superfaturar, já que a concorrência é muito acirrada. Assim, em alguns casos, acaba sendo preciso vender em quantidades muito grandes para compensar.

Com uma loja virtual própria, por sua vez, o lucro realmente é só seu, mas há diversas despesas que não podem ser ignoradas. Aí entram a manutenção do site, a constante necessidade de implantar novas funcionalidades, a contratação de sistemas de pagamentos, hospedagem, investimentos em divulgação e a integração com transportadoras para o frete, por exemplo. Assim, apesar de ser seu, você ainda depende dos outros, tendo, de alguma forma, que colocar a mão no bolso.

Por tudo isso e muito mais, não acha que, em vez de escolher apenas um, não seria mais sensato trabalhar com ambos os modelos? Então pense grande e aproveite as oportunidades imperdíveis que os meios modernos oferecem!

Entendeu direitinho quais são as vantagens e as desvantagens de cada modelo de negócio? Comente aqui e divida suas impressões conosco!

Comentários