Criei uma loja online, e agora? Como escolher a solução de pagamentos?

Diariamente são criadas lojas virtuais dos mais variados setores. Porém, muitas vezes somente após a criação da loja vem a pergunta: e agora, como escolher a solução de pagamentos?

Lembre-se que essa escolha está relacionada diretamente ao fluxo de caixa da sua empresa, portanto uma boa escolha, certamente se refletirá nos resultados do negócio já que se trata do mediador financeiro com os clientes.

Quer saber quais os pontos mais importantes para uma boa escolha? Então acompanhe o post!

Porque a sua empresa precisa de uma solução de pagamento

O meio de pagamento para loja online é o sistema que permite realizar os pagamentos via cartões de crédito, débito ou boleto, dentre outras opções.

Quando os e-commerces implantam uma solução adequada, passam a ter melhor relacionamento com o consumidor, o que gera redução da inadimplência, maximização dos lucros e a segurança para ambos os lados.

E para isso a escolha das lojas virtuais deve ser embasada em determinados elementos, os quais devem ser analisados minuciosamente para que atenda às suas expectativas.

Como escolher sua solução de pagamentos

Para facilitar a decisão sobre a melhor escolha para o seu negócio, listamos algumas dicas importantes que irão te ajudar nesta tarefa:

Compatibilidade com a plataforma de e-commerce: o primeiro passo é verificar quais meios de pagamentos estão disponíveis na plataforma de e-commerce escolhida. As plataformas oferecem diferentes condições. Nesse processo, considere as taxas anuais e mensais do sistema, bem como da ativação do serviço;

Certificados de segurança: um certificado básico para oferecer pagamentos online é o SSL (Secure Socket Layer). Além de criptografar os dados que circulam no ambiente online, estes selos também passam confiança para o público;

Checkout transparente: por mais que os consumidores estejam cada vez mais acostumados com as compras online, o checkout transparente segue sendo fundamental para evitar o abandono de carrinho;

Fácil integração e suporte ao cliente: para que o meio de pagamento seja utilizado com máximo desempenho é fundamental que tenha boa integração com o e-commerce. Portanto, no momento de decidir, verifique a integração e se o suporte oferecido é ágil e eficiente;

Análise de taxas e custos extras: outro fator indispensável no momento de decisão sobre a plataforma de pagamento é verificar as taxas e os custos extras cobrados;

Possibilidade de antecipação de recebíveis: vale considerar a possibilidade de receber antecipadamente os valores das transações; 

Serviços oferecidos: as soluções do mercado variam conforme os recursos e serviços disponíveis aos clientes, por isso é importante analisar quais são eles, como gestão de risco, por exemplo;

– Meios de pagamento oferecidos: um aspecto não menos importante são os meios de pagamento oferecidos, facilitando a conciliação e dispensando mais de um contrato.

Conheça o Moip

O Moip é uma solução de pagamentos online completa e que conta com as principais bandeiras do mercado, análise de riscos, proteção de chargebacks, checkout transparente, pagamentos recorrentes e muito mais.

Contar com a ferramenta certa e de confiança, é decisivo para o empreendedor se manter focado no negócio. O Moip apoia empresas de todos os tamanhos a terem uma gestão financeira de sucesso.

Para saber mais, entre em contato com um dos especialistas.

Pagamento recorrente e venda por assinatura, o novo comportamento do consumidor – além dos clubes de assinatura

Os consumidores atuais estão cada vez mais acostumados a comprar de tudo por assinatura. Alguns exemplos bem populares são as academias, os aplicativos de streaming de músicas, filmes e séries, e até mesmo bens de consumo como livros ou vinhos. A venda por assinatura torna-se um nicho interessante para o setor de e-commerce, que inclusive só cresce.

Segundo estatísticas, o mercado mundial de clubes de assinaturas corresponde a 18% do total de vendas por cartão de crédito. Além disso, a tendência é que, até 2023, 75% das organizações ofereçam este tipo de solução. Os principais motivos para isso são a previsibilidade das vendas recorrentes e a  fidelização de clientes, o que facilita o planejamento do vendedor, antecipa a necessidade de estoque disponível e consequentemente aumenta a sua lucratividade. 

O impacto da venda por assinatura do ponto de vista do consumidor

Uma importante característica e vantagem desse modelo de negócio é a possibilidade de empresas e consumidores saírem ganhando. Normalmente, os clientes recebem descontos significativos ao se comprometerem com pagamentos mensais. Outras vantagens para eles são:

– Praticidade: ao contratar algum produto ou serviço por assinatura, o consumidor tem a comodidade de contar com as soluções que atendem a sua necessidade diariamente, semanalmente ou mensalmente, sem precisar recontratar sempre que se apresentar uma demanda;

– Conhecimento de outros produtos do e-commerce: para que esta vantagem fique mais clara, é possível citar a Grand Cru. Além de oferecer a assinatura de acordo com as preferências do cliente, o assinante ainda conta com 15% de desconto em todas as suas compras de lojas físicas e online; 

– Experiência diferenciada: quem opta pelos clubes de assinaturas espera ter um atendimento personalizado, bem como percepções diferenciadas com as empresas de preferência. Um exemplo é a Netflix, que ao longo do tempo percebeu que não bastava apenas oferecer filmes e séries de outras produtoras aos seus assinantes, precisando investir na produção de conteúdos próprios.

O impacto do ponto de vista do e-commerce

Além de trazer vantagens aos consumidores, pelo que citamos até aqui, você pôde ter uma ideia de como a assinatura de e-commerce pode auxiliar nos resultados do setor. Veja agora alguns benefícios do modelo:

– Não há bloqueio do limite do cartão de crédito, o que aumenta o poder de compra do cliente e garante as vendas;

– Aumento da recorrência de compras, fazendo com que as empresas recebam valores mensalmente dos clientes para entregar produtos e serviços que eles compram com frequência, o que traz mais previsibilidade de lucro e também um maior controle de estoque;

– Fidelização de clientes, pois os e-commerces que trabalham com venda por assinatura focam mais em experiências do que apenas em comercializar produtos;

– Automação da gestão de pagamentos e cobrança, fazendo com que os processos relacionados às finanças se tornem mais eficientes e otimizados. 

Estas são apenas algumas das vantagens de investir nos clubes de assinaturas, uma tendência que certamente veio para ficar.

Como começar

Normalmente, o e-commerce de assinaturas tem duas propostas: uma é a das vendas recorrentes, em que os clientes escolhem os produtos que querem receber periódicamente. Em um pet shop online, por exemplo, o cliente pode ter um plano em que recebe todos os meses a mesma ração e outros itens.  Nesse caso, o produto é escolhido pelo consumidor, sem surpresas.

No outro modelo, o benefício é receber um produto exclusivo, desenvolvido especialmente para o clube. É o que acontece nos e-commerces de vendas de vinhos, livros, produtos para crianças, entre outros. A diferença é que aqui o cliente informa determinadas características e acaba recebendo uma surpresa, fazendo com que seja uma experiência bastante diferenciada. 

Apesar de ter um funcionamento parecido com os negócios online tradicionais, é importante ter certos cuidados ao iniciar na venda por assinatura. Algumas dicas são:

– Fazer uma avaliação de mercado para verificar se o produto que se pretende comercializar realmente tem demanda e, portanto, se é viável;

– Compreender a persona, que consiste numa representação semi fictícia do cliente ideal e deve guiar todas as ações, como as de marketing;

– Desenvolver mais de um plano de assinaturas, contendo desde os mais completos, e mais caros, até os básicos e populares;

– Criar uma proposta de valor, a qual diferencia o plano de assinatura de uma compra padrão e também dos concorrentes;

– Oferecer um bom atendimento, que deve ser cordial, personalizado e atender as demandas e dúvidas dos clientes sempre que necessário, o que automaticamente promoverá percepções positivas.

– Disponibilizar várias formas de pagamento para facilitar o processo de compra ao cliente que, sentindo comodidade, tende a permanecer fidelizado.

O cenário promissor da venda por assinatura, somado a um planejamento bem estruturado, pode ser o que a sua empresa precisa para crescer. Portanto, que tal começar a colocar o modelo em prática? Acha que o seu e-commerce pode oferecer esse tipo de solução? Comente aqui para compartilharmos experiências!

O Moip é uma plataforma de serviços financeiros pensada para ajudar varejistas a facilitarem seus processos de pagamento com segurança e inteligência. Para saber mais sobre vendas por assinatura e outras soluções, entre em contato com um dos especialistas.

Como o checkout transparente impacta diretamente o seu negócio

O momento atual do setor de e-commerce é de muita competitividade, o que vem impulsionando a demanda por recursos que promovam uma boa experiência aos consumidores. Para se ter ideia, somente em 2020, 13 milhões de brasileiros realizaram sua primeira compra online. Apesar de ser um mercado promissor e em constante crescimento, é fundamental estar atento a soluções que destaquem o empreendimento da alta concorrência, como é o caso do checkout transparente. 

Se você tem dúvidas sobre o conceito, ele consiste basicamente no processamento do pagamento de um e-commerce realizado dentro do próprio site, ao contrário do processo padrão que redireciona para outra plataforma, gerando desconfiança e insatisfação, o que acaba por afastar clientes. 

Aliás, essa não é uma tarefa difícil. Para se ter ideia, conforme pesquisa da Ve Interative, a taxa média de abandono de carrinho no Brasil é de 83%. Ou seja, se a sua loja virtual não estiver bem preparada, no que envolve o checkout, as chances de perder consumidores para a concorrência é grande. 

Como a falta de um checkout transparente afeta as vendas de um negócio

Imagine que você está navegando em um e-commerce e, ao finalizar a compra e ir para o carrinho, precisa preencher um formulário extenso ou é direcionado para uma página que já não faz parte da loja. Muito provavelmente, iria se questionar sobre a questão, ou mesmo desistiria do site, concorda? 

Pois é justamente isso que acontece com grande parte dos consumidores. Nesse contexto, a falta de um checkout transparente pode acarretar negativamente em diferentes aspectos. Alguns deles são:

Desconfiança da credibilidade e segurança da loja: por mais que as pessoas estejam cada vez mais acostumadas ao universo online, é muito comum que desconfiem de sites onde os processos não são bem claros, o que desfavorece a vontade de se tornar cliente;

Maior abandono de carrinho: se a taxa de abandono de carrinho já é grande entre os consumidores, quando um e-commerce deixar de investir em um checkout transparente, o qual impacta diretamente no receio sobre a segurança dos dados pessoais, ela tende a se tornar cada vez maior; 

Experiência ruim do cliente: nunca foi tão importante priorizar as percepções dos consumidores como nos dias de hoje. Afinal, a concorrência só aumenta, na mesma medida em que as exigências por uma ótima experiência acompanham essa tendência. Se uma loja virtual não tem isso em mente, a satisfação dos seus clientes fica comprometida;

Baixa conversão de vendas: ao se oferecer uma boa experiência de compra, automaticamente o abandono de carrinho é minimizado e as conversões de vendas aumentam. Ou seja, isso significa lucratividade.

Como o Moip potencializa os processos de pagamento do seu negócio

O Moip foi pioneiro na tecnologia de checkout transparente e trouxe essa inovação para o mercado. O sistema oferece a opção de integrar diretamente o seu site por meio da própria API ou das plataformas parceiras. Isso significa uma melhor experiência para o seu cliente e maior conversão para o negócio. Para saber mais sobre a solução, entre em contato com a nossa equipe.

Nova call to action

Checkout Transparente será um diferencial na Black Friday 2020

“Black Friday, aquela disputa virtual de cliente, seu concorrente com ofertas em evidência, você investindo tudo que pode para gerar tráfego, interesse, cliente comprando e por enquanto tudo certo….. o carrinho vai enchendo até que na hora de pagar….. COMO ASSIM O CLIENTE ABANDONOU O CARRINHO? Mas a Black friday é só hoje, mas eu fiz tudo certo, investi em mídias pagas, coloquei nas redes sociais, fiz até frete grátis!”

Se reconhece? Já passou por isso? Para quem empreende no e-commerce abandono de carrinho é um pesadelo. Ele é um dos maiores vilões da compra online e principalmente motivado pela insegurança dos consumidores.

De acordo com um levantamento feito pela Konduto, o Brasil segue como um dos líderes globais em crimes cibernéticos. Só em 2019, foram evitadas fraudes que causariam mais de R$ 5 bilhões de prejuízo às empresas. Mais do que justificada a insegurança, mas existem ferramentas que ajudam e diminuem muito essa insegurança e claro, resultado direto na diminuição de abandono de carrinhos.

A essa altura, você já ouviu falar de Checkout transparente né? Basicamente a forma de realizar pagamentos no próprio ambiente da loja online, ou seja, sem telas, páginas intermediárias ou redirecionamentos.

Então qual é o grande benefício?

Esse simples fato de manter o consumidor na mesma página na hora de realizar o pagamento tira insegurança, impaciência e desconfiança do cliente; e o resultado disso é tranquilidade para incluir os dados pessoais e bancários e finalizar a compra.

Mas não para por aí, com essa ferramenta você tem a possibilidade de personalizar o nome que vai aparecer na fatura do cartão/boleto do seu cliente. Ou seja, ao invés de encontrar um nome de quem está processando o pagamento, seu cliente verá o nome da sua loja, o que evita solicitações de não reconhecimento, o famoso chargeback e ainda garante uma relação mais amigável entre a sua marca e seu cliente.

Portanto, pense sempre na experiência do consumidor no seu site, desde a navegação pela página até a experiência de compra dele, todos os detalhes relacionados a jornada de compra podem ser decisivos.

Mas o que muda especificamente na Black Friday 2020?

O início da pandemia trouxe um aumento exponencial no consumo online, só no Brasil o e-commerce aumentou 56,8% nos primeiros cinco meses de 2020. Além disso, os pedidos delivery cresceram 27%, segundo pesquisas apresentadas por Anthony Long da Philip Morris International no Forum Ecommerce Brasil – Global Edition.

Esses dados mostram que os consumidores brasileiros estão a cada vez mais adaptados e receptivos a realizar compras na internet.

Em pesquisa realizada pela Rakuten Advertising, 86% dos consumidores disseram querer priorizar compras online na Black Friday e Natal em 2020. Ainda segundo a Rakuten: “Vimos muitos brasileiros optando pelo comércio eletrônico pela primeira vez”, ou seja, nessa Black Friday será ainda mais importante oferecer boas experiências de compra online. Pode ser a primeira vez para muitos consumidores que com uma boa experiência em sua loja, tem alta probabilidade de repetir as compras já no Natal.

A Black Friday é um momento de grande disputa no qual os clientes pesquisam as melhores ofertas e os lojistas se preparam para oferecer as melhores condições e experiência de compra, o que significa que o diferencial é concretizar todas as vendas possíveis, ainda mais nesse cenário de mais opções disponíveis.

Neste cenário de maior disputa, mais consumidores podem ficar receosos e inseguros já que são novatos nesse segmento. Isso significa que vão ter pessoas demandando mais garantias de segurança, outras vão pedir por recomendações de amigos e familiares, outras olharão sites como o ReclameAqui, e assim por diante. Por isso é tão importante que o seu site conte com tecnologias que ajudem a entregar a melhor experiência possível.

Checkout Transparente Wirecard Brazil

Pioneira em recebimento de pagamentos online e checkout transparente na América Latina, a Wirecard Brazil foi a primeira empresa de pagamentos a disponibilizar essa funcionalidade.

Para se preparar para a Black Friday 2020 comece integrando com a nossa a ferramenta Checkout transparente Wirecard Brazil! Garanta a melhor experiência de compra de forma segura, rápida e descomplicada.

Não importa qual o seu modelo de negócio, essa é a solução ideal para lojistas aumentarem suas vendas. Nesta Black Friday foque no mais importante: SEU NEGÓCIO e SUAS VENDAS!  Deixe a gestão de risco e o relacionamento com adquirentes, gateways, bancos e bandeiras com a gente.

Integrando com a gente você passará a aceitar todos os meios de pagamento, com um único contrato e processo de integração, além de vantagens exclusivas.

  • Um contrato, uma integração;
  • Maior taxa de aprovação de vendas online do Brasil: 98,5%;
  • Integração direta do seu site com a nossa API ou das plataformas parceiras;
  • Atendimento humanizado;
  • Solução Completa:
    • Sistema Antifraude;
    • Conta digital
    • Adiantamento;
    • Sem mensalidade.

Veja como ampliar a receita do seu e-commerce usando o pagamento recorrente

O pagamento recorrente não é algo tão novo assim, mas ganhou muita força nos últimos anos, especialmente com a expansão do comércio eletrônico. Na verdade, esse modelo de cobrança, também chamado de assinatura, é um dos que mais cresce ao redor do mundo e o que consegue oferecer vantagens extras para qualquer tipo de negócio.

Um estudo feito pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) em 2019 aponta que o mercado de clubes de assinatura está em plena expansão e que a tendência é disparar no Brasil. Os números da pesquisa mostram que nos últimos quatro anos os negócios desse segmento aumentaram em 167% sua participação na economia nacional.

E-book

E-commerce de assinaturas – Tudo o que você precisa saber sobre esse modelo de negócio

Seja para clientes que querem mais comodidade nas compras recorrentes, seja para consumidores que desejam itens exclusivos, o e-commerce de assinaturas tem se mostrado um grande diferencial.

Baixar e-book

A principal característica do modelo, conhecido ainda como venda recorrente ou compra recorrente, é a praticidade na oferta de produtos e serviços. Isso ocorre porque o pagamento por um produto ou serviço acontece de forma contínua, por meio de assinaturas, planos, contratos ou mensalidades. Geralmente a cobrança é mensal e a adesão costuma ser simples, assim como o cancelamento.

É possível implementar o pagamento recorrente nos mais variados tipos de negócios para ampliar a renda e garantir a sustentabilidade da empresa. Para os empreendimentos que usam a internet para as vendas, essa pode ser uma ótima oportunidade de diversificar e criar novas fontes para ganhar mais dinheiro.

Siga com a gente para entender o que é o pagamento recorrente e como você pode usá-lo no seu e-commerce para aumentar a sua receita!

O que é pagamento recorrente

O pagamento recorrente é aquele feito por um período predeterminado. Isso significa que o vendedor estipula um intervalo entre as cobranças, que pode ser mensal, bimestral, semestral, enfim, o melhor prazo conforme o tipo de serviço ou produto oferecido, e o comprador, ao concordar com a recorrência na primeira compra, sabe que fará um pagamento com aquela periodicidade.

Como estamos falando de comércio eletrônico, geralmente essa compra é feita por cartão de crédito ou por débito automático em conta, o que acaba facilitando todo o processo para as duas partes envolvidas. E ambas saem ganhando!

O vendedor consegue ter uma nova maneira de gerenciamento de suas transações, mais automatizada, e não precisa se preocupar em cobrar os clientes todos os meses. Também é um método que ajuda a reduzir a inadimplência, especialmente nas cobranças no cartão de crédito. Além, claro, de se tornar uma receita fixa, garantindo a sustentabilidade do negócio.

Para o cliente, é uma importante forma de não onerar o limite do cartão de crédito, pois não se trata de uma compra parcelada, em que o valor total é reservado no momento da compra. O pagamento recorrente só vai aparecer no cartão na data estipulada no contrato. O comprador ainda garante que terá seu serviço ou produto sempre em mãos, pois estará com a assinatura paga em dia.

Benefícios do pagamento recorrente para o e-commerce

Já citamos algumas facilidades que o modelo de assinatura pode trazer, mas elas não se limitam a diminuir os devedores e assegurar um caixa fixo para o comércio eletrônico. Os benefícios envolvem desde a otimização da gestão financeira até o aumento nas vendas.

Começando pela finanças, o pagamento recorrente torna o controle dos recebimentos muito mais simples, pois há uma data fixa para eles entrarem no caixa do e-commerce. O único trabalho é fazer a conciliação para conferência dos resultados. A atividade de cobrança praticamente acaba, liberando tempo e pessoal para tarefas mais estratégicas.

Como há uma data fixa para os pagamentos, também fica fácil saber quanto dinheiro a empresa terá em cada dia, o que ajuda no planejamento de ações e na realização de campanhas e promoções. Ainda existe o fato de o cliente ter se tornado um freguês, digamos assim, pois você não precisa mais fazer um esforço de marketing e vendas mensal para que ele volte a comprar na sua loja, o que gera economia.

Sobre o cliente, podemos destacar também que se o e-commerce continuar entregando o produto ou serviço com qualidade e dentro do prazos acordados, a fidelização está garantida. Isso leva a dois caminhos: aumento da carteira de negócios com os atuais fregueses e atração de novos clientes — o que proporciona aumento das vendas e, consequentemente, da receita.

Mas a pergunta que fica é: qualquer tipo de e-commerce pode trabalhar com pagamento recorrente? A resposta é sim! Dentro de um nicho de mercado, se você conhecer bem o seu público-alvo e conseguir fazer um planejamento estratégico sólido, qualquer produto ou serviço pode ser vendido. Afinal, a Netflix não começou como um serviço de streaming mundial, certo?

Como aumentar a receita com o pagamento recorrente

Bom, temos dois momentos aqui. Um é aproveitar que o e-commerce já usa o pagamento recorrente e seguir aqueles caminhos que citamos no tópico anterior. O outro é implementar o modelo de assinatura no seu negócio se você ainda não o utiliza ― para isso, vamos dar um passo a passo daqui a pouco.

Digamos que você tem um pet shop online que atende cachorros, gatos, pássaros, peixes e roedores com uma variada gama de produtos, que vai desde ração e medicamentos até brinquedos, coleiras e caixas para transporte. A loja oferece diversas marcas, conta com atendimento de especialistas e trabalha tanto com a venda avulsa quanto com a assinatura.

No modelo de assinatura, uma boa alternativa para gerar mais receita é oferecer produtos que casem com aqueles que o seu freguês já compra. Se ele compra uma ração seca, talvez seja interessante indicar uma ração úmida ou um suplemento alimentar para complementar a alimentação do bichinho. Assim, é mais um item que ele pode incluir na recorrência.

Você também pode criar no site um espaço para os donos dos pets cadastrarem os animais, com foto, nome, medidas (peso, altura, idade), se tem alguma restrição alimentar ou não, data de aniversário e adoção. Dessa forma, quando estiver próximo do aniversário, por exemplo, você pode dar uma dica de brinquedo novo. Esse não precisa entrar na recorrência, pode ser um item incluso apenas uma vez.

Tratando os atuais clientes dessa maneira, fica mais fácil conquistar novos consumidores e aumentar o número de assinantes. É possível até fazer aquele tipo de promoção na qual quem indica e quem assina ganha desconto. Se o planejamento estiver bem feito, só essa ação inicial pode render um bom aumento de receita!

Você deve estar pensando que com um pet shop é fácil, pois donos de animais são doidos por seus bichinhos, além de estarmos falando de produtos essenciais na maioria das vezes. Sim, é verdade. Mas como vimos lá no início do texto, os clubes de assinaturas estão em franca expansão no Brasil e nem sempre eles vendem itens tão imprescindíveis assim.

A Netflix, como citamos, não é um clube de assinaturas, mas usa o pagamento recorrente e não é exatamente um serviço essencial, não é verdade? O mesmo podemos falar do Spotify. Já o serviço de pedágio automático Sem Parar é algo bastante útil, inclusive para melhorar o fluxo do trânsito. Bem como o serviço de manutenção de seus purificadores de água que a Brastemp vende, que funciona como uma garantia ilimitada.

Ou seja: tudo depende do seu público-alvo e dos objetivos da sua empresa. Dois dos maiores clubes de assinaturas brasileiros não são considerados essenciais: vinhos e cosméticos. O clube de vinhos Wine é também o maior e-commerce do ramo no país. Seu diferencial é a quantidade de rótulos e a entrega de qualidade. Você escolhe o seu plano de assinatura e o vinho chega na sua casa.

O Glambox se intitula o maior clube de beleza da América Latina. Para entrar no clube é super simples: você escolhe o tipo de plano, preenche o seu perfil de beleza e passa a receber, mensalmente, uma caixa com produtos personalizados. Nos dois casos, é possível adquirir outros produtos no site, de forma avulsa.

Deu para ter uma ideia de como aumentar a receita do e-commerce usando o pagamento recorrente, não é mesmo? Tanto se você já usa esse modelo no seu negócio quanto se pretende implementar. Agora, para consolidar o assunto, confira um passo a passo de como montar um clube de assinaturas:

1 – Comece pela definição do nicho

Quando tratamos de um clube de assinaturas, é importante termos um nicho bem definido, pois é ele que vai estabelecer as bases para a estruturação das vendas, das campanhas de divulgação e do relacionamento diário com os clientes. É preciso mostrar intimidade com o produto ou serviço que você vai vender e também com quem você está conversando.

2 – Faça um planejamento estratégico eficiente

Estabelecido o nicho, é hora de planejar. Não tome atitudes precipitadas só porque o modelo de assinaturas está na moda. Tire um tempo para entender como funciona todo o processo de pagamento recorrente e como ele acontece dentro do e-commerce e para os clientes. A partir daí, monte um planejamento estratégico para essa iniciativa e a siga até o fim.

3 – Inicie a divulgação

Agora que está tudo organizado, é o momento de fazer a divulgação do clube de assinaturas. Estude o público-alvo e foque em campanhas de marketing digital que alcancem os clientes onde eles estejam: redes sociais, e-mails, buscadores, entre outros. Este passo vale, inclusive, para quem já tem um clube bem-sucedido, pois quem está de fora deve saber como é bom participar dele.

4 – Mantenha um bom relacionamento com os clientes

Se o seu objetivo é aumentar a receita do e-commerce com pagamento recorrente, vai ser preciso oferecer mais do que somente um produto. Você vai precisar entregar uma experiência ao seu cliente. Não se limite a enviar um pacote. Faça um atendimento de excelência, entenda o que aquela pessoa estava procurando quando entrou para o seu clube.

Você vai precisar manter um relacionamento com o cliente para, de fato, torná-lo um “afiliado” do seu clube. Dessa forma, além de ficar e adquirir mais produtos, ele vai trazer mais gente para participar!

5 – Tenha uma logística impecável

Se tem uma uma coisa que ninguém gosta é esperar. Então, a logística é item fundamental para quem quer ter um clube de assinaturas. Não pode haver falhas. Aqui não estamos falando apenas de atrasos com horários ou até dias, mas sim de avarias nos produtos. Imagina entregar uma garrafa de cerveja quebrada? Ou um alimento com prazo de validade vencido? Isso não é nada bom!

O investimento em logística é algo que vai valer a pena. E, caso ocorra algum problema, o melhor caminho é o da comunicação honesta e objetiva com o cliente. Se o seu e-commerce sempre foi correto, ele vai entender.

Conte com uma solução de pagamentos adequada

Para abrir um clube de assinaturas ou implementar o pagamento recorrente no seu e-commerce, você vai precisar de ferramentas adequadas para fazer isso, como a solução de pagamentos da Wirecard. Com ela, você consegue criar planos personalizados, fazer a gestão de clientes, o controle das finanças e até recuperar pagamentos.
Para saber mais, acesse nosso site ou entre em contato com a gente. Nossa equipe está pronta para atendê-lo e tirar suas dúvidas. Reforçamos nosso compromisso com os clientes e deixamos nosso time à disposição para ajudar você nesse momento.

Vantagens de integrar um ERP com meio de pagamento

Seja para vendas física ou online, optar pelo uso de um meio de pagamento é uma boa estratégia para organizar o financeiro de uma empresa. Com o uso destas soluções, fica mais fácil identificar os pagamentos recebidos, tornando o dia a dia do lojista mais prático.

Com este conteúdo, você vai aprender o que é um meio de pagamento e como sua integração com um ERP pode ajudar na rotina da empresa, tornando-a otimizada. Boa leitura.

O que é um meio de pagamento?

Para entender o que é um meio de pagamento, é preciso visualizar dois cenários:

  1. Para o lojista, um meio de pagamento corresponde a forma que ele vai receber os valores das compras realizadas pelos clientes;
  2. Para o cliente, o meio de pagamento se refere a forma com que ele vai pagar as compras que fizer. 

Entre estes meios de pagamento, podemos destacar alguns mais utilizadas, como boleto bancário, cartão de crédito e cartão de débito. 

Para facilitar a troca de informações financeiras entre o lojista e o comprador, existem empresas que fornecem soluções de pagamento, trazendo mais facilidade nas transações. Estas soluções podem ser adquirente, subadquirente ou gateway de pagamento, e permitem a integração com um ERP, para que os processos sejam facilitados. 

Adquirente

São empresas que processam as transações realizadas com cartões de crédito e débito, seja no e-commerce ou em lojas físicas. 

Quando uma compra é realizada, o adquirente verifica com o banco se há saldo, para compras no débito, ou limite no crédito, para que a compra seja aprovada. As adquirentes cobram taxas para realização do processo, e para compras parceladas, as taxas costumam ser mais altas.

Estas empresas não oferecem serviços de gateway de pagamento, sistema que processa o pagamento e nem sistema antifraude para garantir a segurança das compras. 

Subadquirente

São empresas que realizam a intermediação dos pagamentos, responsáveis por recolher todos os dados dos clientes para enviar ao adquirente para que seja realizada a liquidação dos valores. 

O serviço oferecido por um subadquirente é mais completo, com gerenciamento antifraude e gateway de pagamento, sem necessidade de envolver um banco, o que diminui a burocracia e facilita o dia a dia do lojista. Com tudo em um só lugar, os custos de contratação podem ser menores. O Moip é um exemplo de solução subadquirente.

Gateway

O gateway é o responsável por realizar a troca de dados (número do cartão, nome do comprador e código de verificação) entre o lojista e o adquirente, de forma criptografada e segura. 

Vantagens de integrar o meio de pagamento com um ERP

Integrar as soluções de pagamento com um ERP traz algumas vantagens para a rotina dos lojistas. Vamos citar algumas delas:

Automatização dos processos

A automatização da rotina é um dos principais benefícios desta integração. Quando o ERP está conectado ao meio de pagamento, consegue realizar a conciliação dos pagamentos, para que não seja necessário acessar a conta bancária para confirmar os pagamentos realizados.

Dessa forma, o lojista também não precisa efetuar a baixa conta por conta. A conciliação identifica as contas a receber que foram pagas e as contas ficam atualizadas e organizadas no ERP.

Se tratando de um e-commerce, sempre que um pedido de venda é importado para o ERP, é criado um vínculo com o meio de pagamento escolhido pelo clientes, e conforme o pagamento for aprovado, o status da compra muda e o lojista pode seguir com o envio das mercadorias. 

Oferta de mais opções aos clientes

Quem compra online, sabe que um dos fatores decisivos para finalizar uma compra é que o site ofereça o meio de pagamento que deseja utilizar. 

O meio de pagamento integrado permite que o lojista ofereça múltiplas formas de pagamento para os clientes, evitando a perda de vendas.

Controle sobre as vendas

Controlar todos os pagamentos recebidos de forma manual pode ser uma rotina trabalhosa. Além de tomar tempo do lojista, há possibilidade de erros na hora de dar baixa nas conta a receber.

Sem a integração do meio de pagamento com um ERP, é preciso controlar as vendas em um local e os pagamentos em outro. Além disso, a integração permite a configuração das taxas, tarifas e prazos dos meios de pagamento, facilitando o controle do lojista.

Manter estas informações centralizadas facilita a geração de relatórios financeiros, para que a empresa saiba qual a situação que se encontra.

Evita erros

O controle financeiro é uma rotina importante para qualquer empresa. Evitar os erros causados pela má administração das contas é fundamental para a saúde financeira. Quanto mais automatizado este processo estiver, melhor serão as análises das finanças.

Reduzir a intervenção humana no controle dos recebimentos é uma das formas de evitar erros. A conciliação bancária, por exemplo, é feita de maneira simples dentro de um ERP, sem depender de uma pessoa para verificar os pagamentos no banco. 

Entre alguns possíveis erros que podem ser evitados com a integração, podemos destacar: 

  • erros de digitação
  • esquecimentos na hora de baixar as contas
  • receber o pagamento por uma conta e dar baixa em outra
  • furo de caixa, ao baixar as contas com o meio de pagamento errado

Importante ressaltar que, no e-commerce, é preciso mapear corretamente o meio de pagamento, tanto no ERP quanto na plataforma escolhida. Assim, os pagamentos serão identificados da forma correta.

Reduz tempo 

Sem a necessidade de conferir o pagamento de todas as contas a receber, o lojista tem mais tempo para se dedicar em outras tarefas, como administração de pessoal e das vendas. 

A automatização é uma grande aliada na performance das lojas virtuais, pois deixando este processo mais ágil, os pedidos são aprovados com mais rapidez e já podem seguir para a separação de produtos e envio das encomendas.

Conclusão

Utilizar um meio de pagamento facilita o dia a dia da rotina financeira de uma empresa. A identificação dos pagamentos se torna mais fácil, as contas ficam organizadas e sobra mais tempo para as demais atividades.

Escolha um solução para meio de pagamento e integre a um sistema como o Tiny ERP. Você vai poder centralizar as informações de pagamentos e facilitar a conciliação bancária, para que erros financeiros não sejam cometidos.

Se quiser conhecer mais o Tiny, clique no botão abaixo e crie sua conta.

Como receber pagamentos offline com segurança e praticidade

Ter segurança, eficiência e praticidade ao receber pagamentos é sempre uma preocupação para quem administra uma loja física. Além de ser o ponto-chave para o faturamento da empresa, esse processo ajuda a garantir uma boa experiência ao consumidor. Afinal, quanto mais prático e seguro o pagamento for, maior a satisfação do seu cliente.

Na prática, existem várias maneiras de receber pagamentos offline e cada uma delas tem vantagens tanto para quem compra quanto para quem vende. Por isso, o ideal é conhecer todas elas para que o seu negócio esteja equipado com o que há de melhor em soluções de pagamento. E para ajudar você nessa tarefa, reunimos algumas informações importantes neste artigo. Confira!

Como receber pagamentos offline 

Quando se fala em receber pagamentos offline, existem dois aspectos que devem ser avaliados: um deles trata das formas de pagamento disponíveis, como dinheiro, cartão de crédito, cartão de débito, boleto etc. Já o outro diz respeito aos meios de captura de vendas, que são as formas pelas quais você vai receber os valores, como a maquininha de cartão, o link de pagamento, entre outras.

Para que você entenda os benefícios e os diferenciais das formas de pagamento, assim como dos meios de captura de vendas, vamos esmiuçar as características de cada um deles. Veja:

Formas de pagamento: como o seu cliente paga

As formas de pagamento, como vimos, referem-se à maneira com a qual o comprador vai pagar pelas compras. O ideal é que a sua loja física ofereça, pelo menos, as principais formas, a fim de trazer mais comodidade aos consumidores e evitar a perda de vendas pela falta de alguma delas. Essas são as formas de pagamento mais utilizadas no varejo:

Dinheiro

Apesar de vir perdendo espaço para os cartões, o dinheiro ainda é a forma de pagamento mais usada no varejo. Em estudo do Banco Central do Brasil, 60% dos entrevistados disseram que essa opção é utilizada com maior frequência por eles, principalmente em compras de até R$ 100.

Para quem compra, o grande benefício do pagamento em dinheiro é não precisar ter conta bancária, realidade de um a cada três brasileiros. Já para quem vende, receber pagamentos em dinheiro traz a vantagem de contar com o valor da operação instantaneamente.

Cartão de débito

Conforme a pesquisa do Banco Central do Brasil, o cartão de débito é a segunda forma de pagamento usada com mais frequência por quem compra no varejo brasileiro. Em cinco anos, de 2013 a 2018, o uso desse tipo de cartão cresceu 17% no país.

Para os consumidores, comprar com cartão de débito traz mais organização nas contas pessoais, já que o dinheiro é debitado instantaneamente. Enquanto isso, os lojistas recebem com a mesma rapidez e com mais segurança, já que não ficam com dinheiro no caixa.

Receber na loja com cartão

Cartão de crédito

Forma de pagamento utilizada com maior frequência por 15% dos entrevistados no estudo do Banco Central, o cartão de crédito é a opção preferida pelos consumidores em compras acima de R$ 500.

A possibilidade de parcelar as compras é a grande vantagem do cartão para os consumidores. Além disso, a praticidade e a segurança dessa forma de pagamento contam a seu favor. Para os lojistas, a segurança e a preferência dessa alternativa pelos clientes também a tornam atrativa.

Cartão da loja

Chamados de private label, os cartões de crédito emitidos por lojas têm sido cada vez mais utilizados pelos consumidores. De acordo com pesquisa do Instituto Locomotiva, entre pessoas que têm cartões convencionais, 73% também contam com cartões de redes varejistas.

Os clientes ganham com essa opção já que ela aumenta as possibilidades de parcelamento e pode ter, inclusive, um limite mais alto que os demais cartões. Já para quem vende, a fidelização é o grande benefício: 71% dos entrevistados dão preferência a lojas que oferecem essa opção.

Boleto bancário

Apesar de menos comum, o boleto bancário também é uma alternativa para receber pagamentos em loja física, ainda mais quando as vendas têm um valor alto ou são realizadas para pessoas jurídicas. 

Tanto os lojistas quanto os consumidores são beneficiados pela segurança e praticidade dessa forma de pagamento, que ficou ainda mais segura após a obrigatoriedade de registro dos títulos. Além disso, é possível pagar o boleto tanto em estabelecimentos físicos quanto em apps de bancos.

Meios de captura de vendas: como a sua loja vai receber pagamentos

Para que a sua loja física possa receber por meio dessas formas de pagamento, ela precisa dos meios de captura de vendas, que são soluções desenvolvidas especificamente para receber pagamentos. Elas têm características diferentes e você pode contar com apenas uma ou com várias delas, a fim de facilitar as operações e oferecer uma experiência cada vez melhor aos clientes. Confira:

Transferência Eletrônica de Fundos (TEF)

O TEF é a máquina de cartão integrada ao ponto de venda e tem como maior vantagem justamente essa integração. Com ela, as informações do sistema de vendas convergem com o meio de pagamento, diminuindo o risco de cobrar um valor diferente do necessário. Esse tipo de solução funciona a partir de uma linha telefônica.

Máquina de cartão

Essas são as maquininhas de cartão que não são integradas ao PDV e funcionam por meio de Wi-fi, bluetooth ou GPRS 3G. Elas são portáteis, aceitam vendas em cartões de crédito, débito e vales-alimentação e refeição. Além disso, emitem um comprovante impresso, mas que não serve como documento fiscal.

Mini máquina de cartão

Esses equipamentos são ainda menores do que as máquinas tradicionais e são muito utilizados por autônomos ou mesmo para receber pagamentos em loja física. Elas também podem funcionar por Wi-fi, bluetooth e GPRS 3G e a grande diferença é que o comprovante fiscal é enviado ao cliente por e-mail ou SMS.

Como escolher as melhores soluções para a sua loja

Em se tratando das formas de pagamento, o melhor é sempre contar com as soluções mais utilizadas pelos seus clientes. Dessa forma, eles ganham praticidade ao comprar na sua loja e você não corre o risco de perder vendas por não contar com a ferramenta que os consumidores preferem.

Já em relação aos meios de captura de vendas, é preciso analisar diversos aspectos antes de escolher a solução ideal. Um deles diz respeito à segurança: avalie se as marcas oferecem gestão de risco e se têm um bom sistema antifraude para prevenir riscos. Em tempos em que 8,9 milhões de brasileiros são vítimas de fraude com o cartão, isso é fundamental. 

Verifique, ainda, o modo de funcionamento do meio de captura. Aqueles que contam várias opções para a operação das transações, como o Wi-fi, o bluetooth e o GPRS 3G, são boas opções porque o risco de você ficar na mão e não conseguir cobrar algum valor é quase zero. Além disso, essas formas de funcionamento trazem muita praticidade para o dia a dia.

Analise, é claro, as taxas e os prazos de recebimento negociados pelas operadoras. Quanto menor eles forem, melhor para a sua loja. E não esqueça de conferir funcionalidades extras desse tipo de serviço. Aqui na Wirecard, por exemplo, a solução de pagamentos conta com conciliação financeira e bancária, dashboard com informações completas e envio de cobrança por e-mail.

Ah, e se você também tem uma loja virtual, é importante saber se o meio de pagamento oferece integração entre as vendas online e offline. Isso torna o gerenciamento das vendas e recebimentos muito mais fácil e ainda contribui para a sua estratégia omnichannel.

E então, ficou fácil entender como receber pagamentos offline de forma prática, segura e eficiente? Compartilhe este artigo com a sua equipe e otimize ainda mais o seu negócio!

Tenho um e-commerce e quero abrir loja física: o que devo fazer?

Quando o assunto é expandir os negócios, o que temos visto com bastante frequência é a chegada de muitas marcas ao mundo virtual, motivadas, principalmente, pela possibilidade de aumentar o número de consumidores. Porém, o contrário também acontece. Há empresários que começam online e, depois de um tempo, sentem a necessidade de ter um local próprio. Daí surge a questão: o que devo fazer se quero abrir loja física paralela ao meu e-commerce?

A junção do mercado virtual e físico é cada vez mais comum entre as empresas. E não só pela questão do aumento das vendas, mas também como uma forma de fidelizar os clientes. Ao vender online e offline, você pode oferecer muito mais comodidade ao consumidor, que não fica preso a apenas uma opção de comércio.

Contudo, é preciso ter alguns cuidados para que o novo espaço de negócio se desenvolva tão bem quanto o atual. E para ajudar você nessa tarefa de abrir uma loja física depois de já ter um e-commerce estruturado, separamos algumas orientações que vão deixar o trabalho muito mais seguro e tranquilo. Siga com a gente e confira!

Conheça seu novo território de negócio

Há duas questões aqui. Uma é que estamos falando de um espaço físico, que exige organização, recepção, apresentação e outros detalhes estéticos que, muitas vezes, não são necessários no mundo virtual. 

Então, escolha um local que atenda às exigências da sua marca e fique atento à montagem da vitrine, à arrumação das prateleiras e balcões, ao controle do estoque e, especialmente, à escolha da equipe. Um bom atendimento é essencial para ter sucesso nas vendas offline.

A outra questão envolve a burocracia. É de extrema importância estar ciente das implicações jurídicas e contábeis que envolvem abrir um negócio físico atrelado a um virtual. Geralmente, esse processo de expansão exige apenas uma atualização dos dados da loja virtual, indicando a mudança no contrato social e, quando necessário, a alteração do Cadastro Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). 

Não é preciso obter um novo registro da empresa e nem nova sociedade empresária para migração ou ampliação do negócio, pois a empresa será uma só, com alterações somente nas atividades. Além disso, fique atento às especificidades que as lojas físicas exigem, como a prestação de contas sobre o estoque, o horário de funcionamento, a carga horária dos funcionários, entre outras. 

Para não ter erro, conte sempre com o apoio de um contador ou de um advogado. Assim, você garante que tudo fique dentro da lei e não corre o risco de sofrer penalidades no futuro. 

Como explicar para a equipe que quero abrir loja física?

Nesse ponto, o mais importante é deixar claro que não existe, e nem deverá existir, qualquer tipo de competição entre vender online e offline. Os funcionários precisam entender que os dois ambientes fazem parte de uma mesma empresa e que os resultados serão compartilhados por todos. Um bom caminho aqui é fazer com que as equipes trabalhem de maneira integrada. 

Faça com que o time do online conheça as atividades e a forma de trabalhar dos funcionários do offline e vice-versa. Incentive, inclusive, que recomendem um ao outro para os clientes. Pense em um comprador que entra no site para comprar uma camiseta, mas está em dúvida sobre o real tamanho do produto. Então, ele entra em contato por e-mail para saber como ter certeza sobre isso. 

Na resposta, o atendente do e-commerce pode recomendar que ele vá até a loja física da marca para provar e confirmar o tamanho. E orientar que, se ele achar melhor, pode fechar negócio por lá mesmo, sem precisar voltar ao site. 

Ou, por exemplo, quando o cliente entrar na loja física e não encontrar o produto na cor desejada, pois o estoque ainda não foi reposto, o vendedor pode indicar que ele entre no site, pois lá tem todo o portfólio da marca, dando a certeza que encontrará o que procura. 

Há ainda a possibilidade da venda online com retirada em loja física, que é o melhor exemplo de integração entre as equipes. Hoje, essa opção é bastante usada por empresas que têm muitos pontos de vendas offline, como as grandes lojas de varejo. Normalmente, a pessoa compra no site e busca o produto na loja mais próxima, sem ter que esperar pela entrega ou pagar frete. 

E o contrário também é possível. O cliente vai até a loja física, mas não encontra a mercadoria por conta da falta em estoque. O vendedor, então, entra no site e faz a venda, indicando que o produto pode ser enviado para o endereço dele. 

Isso ainda acontece pouco, mas é totalmente possível. Em qualquer uma das situações, o cliente fica satisfeito e reconhece que a marca, como um todo, está fazendo um bom trabalho! 

Mantenha o padrão da marca

Quando você tem uma marca, ela precisa oferecer o mesmo patamar de satisfação ao cliente, independentemente da plataforma. Por isso, ao montar o seu espaço físico, mantenha o mesmo padrão de organização, de funcionalidade e de beleza do seu e-commerce. 

Separe a sua loja por categorias e dê indicações claras aos clientes de qual é cada seção. Além disso, mantenha os produtos organizados e com o preço sempre visível para evitar qualquer dúvida. Para lojas de grande porte, uma boa dica é disponibilizar máquinas de consulta de preços. 

Também tome bastante cuidado com a limpeza dos produtos e da vitrine para que o cliente não encontre sujeira ou poeira sobre a mercadoria ou as prateleiras. Isso faz parte do bom atendimento e conta muitos pontos na avaliação sobre voltar ou não a um comércio. 

Facilite o pagamento offline como faz no online

Vender online e offline tem diferenças, é claro, mas para o cliente, se no site ele pode dividir a compra em 10 vezes, por que na loja física isso não é possível? Então, tente ao máximo estabelecer condições iguais para as vendas digitais e analógicas, oferecendo diversas opções de pagamento, com parcelamento no cartão ou no carnê, e um atendimento agilizado nos caixas. 

Uma dica aqui é criar um programa de fidelização que integre as compras online e offline. Assim, além de disponibilizar vantagens para os clientes, você consegue ter um controle melhor da relação dele com sua marca, independentemente da plataforma. Isso facilita na hora de negociar e possibilita a oferta de melhores condições de pagamento. 

Quero abrir loja física, e agora?

Como você viu, expandir um negócio online para um offline não é algo impossível ou complexo demais. É trabalhoso, pois exige atenção em vários detalhes indispensáveis antes, como a arrumação de vitrines e o atendimento presencial. Mas como mostramos, é totalmente viável e pode ser um grande salto para o seu negócio. 

E, claro, para fazer tudo isso sem se atrapalhar com as finanças, é preciso contar com uma solução que auxilie na gestão financeira. Uma delas é a Wirecard, que tem maquininha para a loja física, plataforma de pagamento para a loja online e integração entre as duas para uma administração simples dos ganhos e dos gastos. Entre em contato e veja como nós podemos ajudá-lo!

Esperamos que este artigo seja útil para você. Aproveite também para acessar outros artigos do nosso blog. Tem muito conteúdo relevante para ajudar você a impulsionar as suas vendas e fazer a sua empresa crescer!

Checkout transparente: entenda o que é e as vantagens dessa solução

Quem empreende no e-commerce sabe que o abandono de carrinho é um grande desafio para esse segmento. Há muitos motivos que levam os consumidores a desistirem da compra na hora H e, entre os mais comuns, estão os problemas no checkout, ou seja, no processo de finalização da transação. A boa notícia é que você pode contar com uma alternativa para enfrentá-los: o checkout transparente.

Por que é importante ter atenção ao checkout

Antes de falar sobre o que é checkout transparente e explicar todos os benefícios dessa solução, vamos contextualizar por que ela é importante. Bom, conforme o estudo E-commerce Trends 2018, 70,1% dos consumidores elencaram problemas na finalização da compra como os principais motivos para abandonarem o carrinho no comércio eletrônico.

Entre os entrevistados, 29,9% informaram que se sentiram inseguros quanto ao pagamento. Já para outros 20,8%, o problema foi o checkout confuso. Por fim, para 19,4% deles, a exigência de criação de uma nova conta foi o que causou o abandono da compra. Como podemos perceber, todos esses motivos têm relação com um checkout pouco eficiente.

Agora, pense com a gente: se 97,3% das pessoas entrevistadas na pesquisa disseram já ter abandonado um carrinho no e-commerce e 70,1% delas elencaram problemas no checkout entre os motivos que levam a essa atitude, é urgente pensar em maneiras de tornar o processo de finalização mais eficaz. Afinal, de nada adianta ter bons preços e produtos se o cliente não concluir a transação.

O que é preciso fazer para ter um checkout eficiente

Talvez agora você esteja se perguntando o que, de fato, é um checkout eficiente. Podemos dizer que tudo começa pela segurança garantida e transmitida ao consumidor. Isso porque, segundo relatório do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Câmara Nacional de Dirigentes Lojistas), apenas 20% dos entrevistados afirmam se sentir totalmente seguros para comprar online.

Ou seja, por mais que os investimentos em proteção para quem compra pela internet aumentem a cada ano, muitas pessoas ainda têm insegurança ao fazer compras no ambiente digital. Dessa forma, para aumentar as vendas no e-commerce, é fundamental não apenas garantir a segurança dos dados dos usuários, mas também transmitir essa sensação de segurança.

Para isso, ter uma página de pagamento com layout intuitivo e adequado, que dê visibilidade a todos os dados da compra do usuário, é um bom começo. Ainda sobre esse processo, o ideal é que o cliente nunca seja redirecionado a outras páginas durante o pagamento. Quando isso ocorre, ele pode se sentir inseguro, com a impressão de que algo está errado e, por consequência, cancelar a compra.

Opte, então, por um meio de pagamento online que faça toda a finalização de compra em uma mesma página, sem redirecionamentos e que, de preferência, seja personalizada com a marca do seu negócio. Com isso, os usuários se sentirão mais confiantes para finalizar a transação. Por fim, também é importante se atentar aos formulários a serem preenchidos pelos consumidores.

Quando uma loja virtual solicita muitos dados para finalizar uma transação, o cliente pode, mais uma vez, se sentir inseguro em relação à proteção das informações que registra no site. Além disso, entre as principais vantagens do e-commerce estão a praticidade e a rapidez ao comprar, outros motivos pra ninguém querer gastar muito tempo preenchendo formulários.

Como o checkout transparente pode ajudar

Como você sabe, para que as transações financeiras sejam realizadas no e-commerce é necessário contar com um meio de pagamento online, que pode ser um gateway ou um intermediador, como já vimos aqui no blog. A questão é que, no passado, quando as lojas virtuais começaram a atuar aqui no Brasil, essas ferramentas direcionavam o usuário para outra URL ao finalizar a compra.

Essa medida, como vimos no tópico anterior, pode fazer com que o cliente se sinta inseguro, ainda mais quando se trata de alguém sem experiência com as compras online. Por isso, em 2012, o Moip criou o checkout transparente, uma solução que ajuda a aumentar as vendas no e-commerce promovendo facilidades na finalização das transações.

Com o checkout transparente, o meio de pagamento online continua sendo o responsável por todo o gerenciamento da transação. A diferença é que o consumidor não é mais direcionado a uma página externa. O domínio da URL permanece inalterado durante toda a finalização da compra, trazendo a tranquilidade que o usuário precisa para concluí-la.

Aliás, o checkout transparente do Moip, por exemplo, possibilita que você personalize o carrinho conforme as suas preferências. Assim, você pode transmitir ainda mais segurança ao cliente a partir de um layout intuitivo, com a cara da sua loja online, e da divulgação de todas as informações sobre a compra de forma simplificada.

Dessa maneira, o usuário nem mesmo percebe que é o Moip quem está processando a transação e você continua contando com um meio de pagamento online seguro e eficiente. Outra facilidade é que o consumidor não precisa fazer nenhum cadastro além daquele que é necessário para você e nem passa por páginas intermediárias para concluir a compra.

Inclusive, o checkout transparente do Moip conta com a solução Compra por 1 Clique, em que o cliente pode cadastrar os dados na primeira compra e utilizá-los nas próximas transações sem precisar preencher todas as informações novamente. Essa medida também facilita o checkout, pois torna o processo menos complexo e muito mais rápido.

Por todos os benefícios do checkout transparente, estima-se que as lojas online que usam essa ferramenta têm uma taxa de conversão até 30% maior do que aquelas que não a utilizam, já que o abandono de carrinho acaba sendo muito menor. E vale lembrar que toda a operação é segura, tanto para quem compra quanto para quem vende.

Conte com o checkout transparente do Moip

Agora que você conhece os benefícios do checkout transparente para aumentar as vendas no e-commerce, sabe que um meio de pagamento online é essencial para melhorar esse processo na sua loja virtual. E nada melhor do que contar com a empresa pioneira nessa solução! No Moip, o checkout transparente vem acompanhado de muitas outras vantagens.

Alguns exemplos são o split de pagamento para marketplaces, a conciliação financeira, a maquininha de cartão para implementar a sua estratégia omnichannel e um sistema anti-fraude com análises automáticas e manuais. Tudo isso para que você não perca nenhuma venda e torne os resultados do seu negócio cada vez mais positivos!

Acesse o nosso site e saiba mais sobre as nossas soluções. E se você tiver alguma dúvida, deixe seu comentário aqui embaixo. Nossa equipe está à disposição para ajudar!

5 dicas para começar a investir em e-commerce de assinaturas

Facilidade nas compras recorrentes, produtos exclusivos e um modo de consumir diferenciado: esses são os pilares do e-commerce de assinaturas, segmento que tem crescido no Brasil e vem chamando a atenção tanto de clientes interessados em uma experiência diferente quanto de empreendedores querendo aproveitar o bom momento desse nicho.

O cenário é realmente positivo: conforme a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), em 2014, havia cerca de 300 e-commerces de assinaturas no país, que faturavam R$ 430 milhões por ano. Já em 2018, apenas quatro anos depois, os números saltaram para 800 empresas e faturamento de R$ 1 bilhão anualmente.

E o melhor é que ainda há espaço para crescer se considerarmos os índices de outros mercados. Nos Estados Unidos, por exemplo, esse segmento fatura US$ 10 bilhões ao ano, o que indica que aqui no Brasil é possível aproveitar ainda melhor esse modelo de negócio. Porém, para ter sucesso não basta contar apenas com um bom cenário. É preciso planejar as ações com atenção antes de investir.

Então, para ajudar você que está pensando em abrir um e-commerce de assinaturas ou mesmo fazer um clube de assinaturas para sua loja online já existente nós vamos detalhar como funciona esse tipo de e-commerce e elencar cinco dicas importantes sobre esse nicho promissor. Acompanhe e comece a planejar o seu novo negócio!

O que é e-commerce de assinaturas

As vendas por assinaturas não são, em si, uma novidade. Você deve se lembrar que revistas, jornais e outros produtos são enviados para seus assinantes periodicamente, com praticidade e conforto, há muitos anos. O grande feito do e-commerce de assinaturas é potencializar esse serviço, oferecendo ainda mais facilidade e experiências diferenciadas ao consumidor.

Em geral, o e-commerce de assinaturas tem duas propostas: uma é a das vendas recorrentes, em que os clientes escolhem os produtos que querem receber periodicamente. Em um pet shop online, por exemplo, o usuário pode assinar um plano para receber a mesma ração para gato todos os meses, facilitando a sua rotina. Nesse caso, o produto é escolhido pelo consumidor, sem surpresas.

Já na outra proposta, o benefício é receber um produto exclusivo, desenvolvido especialmente para o clube. É o que ocorre nos e-commerces de assinaturas de livros, vinhos e produtos para bebês, entre outros exemplos. Nesses casos o cliente escolhe um plano com características predefinidas, mas os itens recebidos são sempre uma surpresa, intensificando essa experiência.

A assinatura ocorre de forma simples, prática e segura, como em qualquer e-commerce. O usuário acessa o site, confere os planos disponíveis, escolhe o que mais lhe agrada, faz o pagamento e recebe os produtos em casa. Dessa forma, o consumidor ganha comodidade e tem uma ótima experiência, seja em compras recorrentes, seja na assinatura de planos com curadoria e exclusividade.

Como começar a investir em um e-commerce de assinaturas

Apesar de ter operações semelhantes às de uma loja online tradicional, o e-commerce de assinaturas tem particularidades que exigem cuidados especiais. É justamente sobre elas que vamos falar agora, com dicas sobre como planejar as ações para abrir um negócio nesse segmento. Confira:

#1 Entenda o seu mercado:

A avaliação do mercado é um processo comum antes da abertura de qualquer empresa, o que não é diferente no caso de um e-commerce de assinaturas. Afinal, é importante entender se o produto que você pretende comercializar realmente tem demanda no mercado e, principalmente, se conta com potencial para conquistar consumidores no clube de assinaturas.

Isso porque existem produtos que são bem vendidos em lojas online convencionais, mas não tem o mesmo apelo em um negócio como esse, como itens que são facilmente encontrados ou que não se encaixam em um programa de vendas recorrentes. É importante avaliar também se outros negócios oferecem o mesmo serviço e de que forma fazem isso. Quanto mais exclusiva a sua oferta, melhor!

#2 Saiba quem é a sua persona:

É fundamental saber quem é a persona, ou seja, o cliente ideal do seu e-commerce, para desenvolver produtos e serviços que sejam realmente atraentes para ela. Ainda mais quando se trata dos planos de curadoria, em que o consumidor assina um pacote pré-definido, mas não sabe exatamente quais serão os itens entregues em sua casa.

Nesse caso, é preciso entender bem quais são as necessidades, os hábitos, os gostos e o perfil da sua persona para ter assertividade ao definir os produtos que serão entregues. Isso também acaba sendo útil em outros processos do e-commerce, como a criação de campanhas de marketing, a escolha do meio de pagamento ideal e o atendimento.

#3 Desenvolva mais de um plano de assinatura:

No caso dos planos de curadoria, é importante disponibilizar mais de uma oferta para atrair clientes. Por exemplo, se você quer criar um clube de assinaturas de cervejas, pode oferecer uma opção com uma garrafa de cerveja e um encarte sobre ela e outro kit com a garrafa, o encarte e um item a mais, como um porta copos, um abridor ou outro mimo que seja surpresa a cada entrega.

O ideal é que haja uma opção mais completa, e por isso mais cara, e uma mais em conta. Assim, se o consumidor não quiser investir muito ou preferir experimentar o serviço antes de assinar um plano mais robusto, tem a opção mais barata. Planos com propostas de valor diferentes são bem-vindos também e podem até ser assinados por um mesmo cliente.

#4 Crie uma proposta de valor:

Falando em propostas de valor, são justamente elas que farão com que um cliente deixe de comprar um produto em outra loja para adquirir o seu plano. Uma proposta de valor é aquilo que diferencia a sua oferta da de outros e-commerces e lojas físicas, são os benefícios e diferenciais que uma pessoa terá à disposição ao assinar o seu clube.

O ineditismo, a exclusividade e a curadoria feita por especialistas no assunto são alguns dos exemplos mais comuns de propostas de valor utilizadas no e-commerce de assinaturas. É fundamental destacar esses aspectos nas campanhas de marketing e no atendimento ao consumidor para que ele perceba as vantagens de assinar o clube e passe a fazer parte dele.

#5 Ofereça um bom atendimento:

Para atrair e conquistar clientes, é fundamental oferecer um bom atendimento, o que abrange vários processos. Por exemplo, é importante que o seu site tenha boa usabilidade para que o usuário possa navegar com facilidade entre as páginas. Caso ele tenha dúvidas, um chatbot ou um profissional deve atendê-lo prontamente para que se sinta confiante em finalizar a compra.

O meio de pagamento também é uma escolha estratégica. O ideal é que disponibilize várias formas de pagamento, seja seguro e eficiente e conte com soluções como melhor dia para pagar e cálculo de pró-rata. Por fim, investir em uma embalagem exclusiva é uma ótima pedida e garantir a entrega no prazo combinado é fundamental para promover uma boa experiência ao cliente.

Siga as dicas e aproveite o bom momento do e-commerce de assinaturas 

Com o cenário positivo vivido pelos e-commerces de assinaturas e um bom planejamento de todo o negócio, as chances de fazer sucesso nesse segmento são grandes! Por isso, considere as dicas deste artigo e comece a planejar a sua entrada nesse mercado com eficiência. E lembre-se que a Wirecard está aqui para ajudar você a alavancar resultados com um ótimo meio de pagamento!

Acesse o nosso site e conheça os diferenciais da nossa solução para e-commerce de assinaturas ou deixe seu comentário aqui embaixo para entrarmos em contato. Nossa equipe está à disposição para ajudar a sua empresa a crescer!